Botafogo
apenas empata com Goiás na Serrinha e perde chance de virar líder da Série B
Foto: Divulgação/Brasileirão Série B

Deixando escapar a liderança da Série B do Brasileirão 2021, o Botafogo visitou o Goiás pela 32ª rodada e ficou no empate em 1 a 1 nesta terça-feira (26). No estádio da Serrinha (Hailé Pinheiro), o placar foi definido rápido, com quatro e dez minutos do primeiro tempo. Hugo marcou pelo mandante, e Joel Carli, pelo visitante.  

Confronto direto dentro do G-4. Foram a campo o quarto colocado Goiás, com 52 pontos, e o segundo colocado Botafogo, com 55. Enquanto o Esmeraldino queria aumentar a distância para o CRB (51 pontos), time colado no pelotão de acesso, o Glorioso mirava a liderança e dependia apenas de si. Isso porque o líder Coritiba havia acabado de jogar na rodada e, com o empate, deixou a diferença em exatos três pontos, com os cariocas ultrapassando em caso de resultado positivo pelo número de vitórias. A equipe goiana vinha de empate (0 a 0 com o Londrina), e a da estrela solitária, de boa vitória (3 a 0 sobre o Brusque).

Estratégias

Marcelo Cabo teve apenas um desfalque para buscar os três pontos em casa, mas importante: Apodi, por suspensão. Com isso, Diego ficou com a posição, enquanto Caio Vinícius ganhou a vaga no meio-campo. Esquema tático: 4-4-2. Tadeu no gol. Na zaga, David Duarte e Reynaldo. Nas laterais, Diego pela direita e Hugo pela esquerda. Caio Vinícius e Fellipe Bastos foram os nomes mais recuados no meio-campo, que também contou com Luan Dias e Elvis adiantados na construção. E, no ataque, Nicolas e Alef Manga apareciam com mobilidade.  

Enderson Moreira também precisou fazer, ou melhor, manter somente uma alteração do time considerado titular, com Jonathan Silva ainda lesionado e sendo substituído por Hugo. Esquema tático: 4-2-3-1. No gol, Diego Loureiro. Daniel Borges na lateral-direita, Hugo na esquerda, enquanto Carli e Kanu formaram a dupla de zaga. No meio-campo, Barreto e Pedro Castro ficaram responsáveis pelo primeiro combate e transição ofensiva; mais à frente, Warley subia pela ponta-direita, Diego Gonçalves pela esquerda, e Chay foi o nome da criação. Rafael Navarro era o jogador mais isolado no ataque.

Equipes marcam nos primeiros minutos

Apesar de ser o encontro do terceiro melhor mandante com um dos piores visitantes desta Segundona, a primeira etapa foi equilibrada na Serrinha, mas com superioridade goiana no quesito finalizações. O jogo começou pegado, com marcação firme e várias faltas, demonstrando a disposição que as duas equipes teriam ao longo dos 45 minutos iniciais. A defesa do Goiás bloqueava bem as tentativas do Botafogo em especial na intermediária defensiva.

E, logo aos quatro minutos, uma falha individual alterou o placar. Diego recebeu espetado no lado direito, cruzou rasteiro para a área, a bola aparentemente ficou tranquila para a defesa tirar, mas Warley recuou muito mal para Diego Loureiro. Hugo, então, apareceu de trás para chegar antes do goleiro alvinegro: bola na rede, 1 a 0 Esmeraldino.

O Glorioso foi para a reação, porém com dificuldade para conseguir a primeira finalização. Foi quando, aos dez, a partir de cobrança de falta pela direita, Chay levantou na área, e Joel Carli cabeceou cruzado para ver a bola entrar no empate. A partida entrou em um perde e ganha, com as duas equipes brigando pela bola, buscando a velocidade e a finalização.

Aos 15, eram 53% de posse de bola para o time da casa, porcentagem que pouco cairia até o apito parcial. Os cariocas exploravam a bola alçada na área, enquanto os goianos apostavam no lado esquerdo para atacar, principalmente com Hugo arriscando conclusões. Caio Vinícius aparecia na linha de três para a saída de bola e no ataque para algumas construções de jogada.

Nos minutos finais, o Goiás ia permanecendo e assustando no setor ofensivo, também com bolas levantadas na área, e conseguindo concluir bem mais que o adversário. Luan Dias era ativo entre os jogadores da frente pela direita. Números parciais: 11 a 3 em finalizações e 5 a 1 em chutes a gol, ambos favoráveis ao mandante.

Esmeraldino finaliza mais, enquanto Glorioso tenta pressão no fim 

Enderson Moreira voltou do intervalo sem Hugo e com Carlinhos na lateral esquerda. Mas o início foi de poucas mudanças no cenário em relação ao primeiro tempo, só dando Goiás no ataque e faltando apenas caprichar na construção das jogadas para converter em chances reais. Aos seis minutos, um raro chute do Botafogo na direção do gol, em tentativa de Barreto de fora da área.

O Esmeraldino encontrava espaços dentro da área alvinegra desde a etapa inicial, enquanto o Glorioso não adiantava a marcação, preferindo dar campo para o time da casa se espalhar e deixar buracos defensivos.

Aos 15, a equipe carioca conseguiu encaixar um também raro contra-ataque, com Diego Gonçalves invadindo a área e cruzando da esquerda, mas errando o passe. No mesmo minuto, eram 59% em posse para a goiana, aumentando sua vantagem no quesito e mantendo até o fim.

Cinco minutos depois, Chay sofreu uma lesão, precisou ser substituído, saiu de campo na maca e chorando, cena preocupante para a sequência do principal nome do time nas próximas rodadas. Marco Antônio foi escolhido como substituto, e Barreto também deu lugar a Luís Oyama. Marcelo Cabo respondeu com troca tripla: saíram Luan Dias, Nicolas e Caio Vinícius para as entradas de Dadá Belmonte, Welliton e Rezende.

O duelo, então, ficou aberto, com os dois times puxando subidas em velocidade. O Goiás passou a marcar mais a saída de bola botafoguense e a conseguir boas roubadas perto da área. Enderson decidiu sacar Warley para dar vez a Luiz Henrique no setor ofensivo. Muito diferente de sua atuação anterior, na vitória sobre o Brusque, Rafael Navarro pouco participou do jogo, sem receber bola ou conseguir buscar para levar perigo ao gol adversário. Do lado goiano, Alef Manga saiu para a entrada de Pedro Bahia; do carioca, Rafael Moura substituiu Navarro como de costume.

Já aos 38, o Botafogo conseguiu um momento no ataque, com sequência de escanteios, mas sem exigir muito de Tadeu. No momento, o placar das finalizações estava em 15 a 7 para o mandante. Carlinhos aparecia bem no ataque, tentando a assistência e aparecendo dentro da área. O Glorioso seguia pressionando na tentativa do gol da vitória no fim, que daria a liderança do campeonato. Porém sem mais bolas na rede: 1 a 1.

Classificação e próximos compromissos

Com a igualdade no placar, as equipes se mantiveram em suas colocações iniciais: quarta para o Goiás, agora com 53 pontos, e segunda para o Botafogo, com 56. O time carioca está a dois pontos do líder Coxa, enquanto o goiano tem dois a mais que o CRB em quinto. O próximo compromisso do Esmeraldino é, novamente, em casa contra a Ponte Preta na terça-feira (2) às 21h30. Já o Glorioso volta a campo no dia seguinte, na quarta-feira (3) às 19h, quando recebe o Confiança.  

VAVEL Logo