Com bela atuação, Botafogo derrota Brusque com
tranquilidade pela Série B
Foto: Vítor Silva/Botafogo

O Botafogo conquistou uma boa vitória sobre o Brusque pelo placar de 3 a 0 nesta quarta-feira (20) pela 31ª rodada da Série B do Brasileirão 2021, em jogo marcado por nada menos que três gols anulados (dois do mandante e um do visitante) - um outro teve a marcação revertida e confirmada pelo VAR, depois de impedimento mal marcado pela assistente.

No Nilton Santos, com a presença de 3.058 torcedores, Rafael Navarro marcou duas vezes (e teve outro gol invalidado), e Marco Antônio fechou o resultado nos acréscimos.

Enquanto o Glorioso foi a campo em casa buscando se firmar no G-4 e diminuir a distância para o líder Coritiba (de cinco para dois pontos), o Quadricolor lutava para se manter afastado da zona de rebaixamento, aumentando a diferença de três pontos para o Londrina, que a abria. Em segundo lugar com 52 pontos, a equipe carioca vinha de empate sem gols em clássico nacional com o Cruzeiro, e a catarinense, na 14ª posição com 35 pontos, de vitória sobre o Remo por 3 a 1.

Estratégias

Enderson Moreira teve o desfalque de Jonathan Silva, que foi titular contra o Cruzeiro, na lateral esquerda por questão física, e Hugo ficou com a vaga, recuperado de séria lesão na clavícula. O lateral-direito Rafael também retornou após tratar uma tendinite patelar, mas começou no banco.

Esquema tático: 4-2-3-1. No gol, Diego Loureiro. Daniel Borges na lateral-direita, Hugo na esquerda, enquanto Carli e Kanu formaram a dupla de zaga. No meio-campo, Barreto e Pedro Castro ficaram responsáveis pelo primeiro combate e transição ofensiva; mais à frente, Warley subia pela ponta-direita, Diego Gonçalves pela esquerda, e Chay foi o nome da criação. Rafael Navarro era o jogador mais isolado no ataque.

Waguinho Dias também contou com desfalque em uma das laterais: a direita, com João Carlos suspenso. Assim como o volante Zé Mateus, outra peça fora. Por outro lado, Éverton Alemão pôde voltar à zaga. Ianson era outro nome à disposição após cumprir suspensão, mas permaneceu de fora por opção técnica.

Esquema tático: 4-3-3. Ruan Carneiro no gol. Na zaga, Claudinho e Luizão. Nas laterais, Toty pela direita e Airton pela esquerda. Evandro e Rodolfo foram os nomes mais recuados no meio-campo, que também contou com Jhon Cley adiantado na construção. E, no ataque, Thiago Alagoano avançava pela ponta direita, Garcez pela esquerda, com o artilheiro Edu aparecendo mais centralizado cuidando da área.

Glorioso marca três para valer um

A primeira etapa apresentou momentos alternados de superioridade, com o primeiro pertencendo ao Brusque. Apesar de iniciar rodando a bola no campo de defesa e optando por postar marcação baixa, o visitante logo passou a avançar, ganhando campo, utilizando os lados. Thiago Alagoano aparecia ativo e encontrando espaço pelo corredor direito. Enquanto isso, o Botafogo chegava mais pelo meio, usando os volantes na transição. Diego Gonçalves se movimentava bem no ataque, flutuando na frente da área e aparecendo dentro dela.

Até que, a partir dos 20 minutos, quando a posse de bola era de 58% a favor do time da casa, o mesmo começou a marcar presença no setor ofensivo. O Quadricolor tentou, então, adiantar a marcação para atrapalhar a saída de bola botafoguense. Warley, que foi bem acionado nos primeiros minutos de jogo, deixou de ser, assim como o Glorioso diminuiu as subidas pela direita. Chay fazia mais uma boa atuação, com mobilidade, construção e finalização (que se manteve no segundo tempo). Hugo também ia bem no retorno, buscando bastante o cruzamento. Do outro lado, Edu insistia nos lances individuais na área pela esquerda, mas não conseguia concluir.

Foi quando o Botafogo deu início a uma incrível sequência de três gols anulados por posição irregular. Aos 32, a partir de jogada coletiva, com boa troca de passes na intermediária ofensiva, a bola sobrou para Warley cruzar rasteiro da direita e encontrar Navarro bem-posicionado na frente do gol, concluindo para dentro. Mas, após revisão do VAR, o lance foi anulado por impedimento de Warley. Com 41, Diego Gonçalves finalizou impedido dentro da área pela esquerda para balançar a rede, depois de outra assistência do camisa 25.

E, no minuto seguinte, o segundo anulado de Navarro. No entanto, desta vez, a análise do VAR mostrou que a posição do centroavante era legal, após chute de Diego Goncalves de fora da área: 1 a 0 Bota, que foi para o intervalo com 11 a 5 em finalizações.

Quadricolor não encaixa construções ofensivas e é dominado

Apesar de precisar correr atrás do prejuízo, pelo jogo em si e pela tabela do campeonato, e de fazer essa tentativa nos minutos iniciais da volta dos vestiários, o Brusque não conseguiu manter o ritmo e encaixar as construções. Além disso, encarava um Glorioso com disposição e ofensividade. Navarro não parou de dar trabalho à defesa catarinense na área, recebendo bola e buscando a finalização.

A equipe carioca permanecia no campo de ataque, com muita participação de Chay na criação. Waguinho resolveu sacar Garcez para a entrada do centroavante Hugo Borges, mexida nos homens da frente.

O Quadricolor buscava Edu dentro da área como principal alternativa, com bastante bola aérea nele, mas sem sucesso. Até que, aos 27 minutos, depois de ser chamado pelo VAR para checagem no monitor, o árbitro marcou pênalti de Airton em cima de Warley, que foi derrubado na área. Navarro foi para a cobrança e converteu o segundo do Bota, terceiro dele e segundo validado. Os catarinenses foram, então, para mais trocas: Foguinho, Felipe Souto e Bruno Alves substituíram Rodolfo, Thiago Alagoano e Jhon Cley. Enderson respondeu trocando Warley e Hugo por Marco Antônio e Carlinhos.

E, aos 36, terceiro anulado na partida por impedimento, agora do time visitante. Na sequência, continuou só dando Botafogo na pressão ofensiva. Diego Gonçalves seguia ameaçando dentro da área, sempre buscando as jogadas de ataque.

Ainda deu tempo de Matheus Frizzo, Ronald (voltando de longo período lesionado) e Rafael Moura entrarem nas vagas de Chay, Diego e Navarro; do outro lado, Edu dar vez a Tony. E tempo também para, já aos 47, Marco Antônio receber bom passe de Rafael Moura, arrancar pelo corredor esquerdo, invadir a área e só parar depois de fazer o 3 a 0, fechando o placar no Nilton Santos. Números finais: 51% de posse para o Brusque e um elástico 24 a 7 em chutes para os cariocas.

Classificação e próximos compromissos

Com a boa vitória, o Botafogo foi a 55 pontos, ainda na vice-liderança, ficando agora a apenas dois pontos do Coxa no primeiro lugar e abrindo cinco de distância para o quinto colocado CRB.

Por outro lado, o Brusque não conseguiu se afastar mais do Z-4, permanecendo em 14º com 35 pontos e a três da zona.

O próximo compromisso do Glorioso é fora de casa contra o Goiás, em confronto de G-4, na terça-feira (26) às 21h30. Já o Quadricolor volta a campo antes, no domingo (24) às 20h30, quando recebe o Vila Nova.

VAVEL Logo