Conheça Marcelo Gallardo, a nova cobiça rubro-negra
Foto: Divulgação / River Plate

No River Plate há mais de sete anos, Marcelo Gallardo é, com certeza, o nome mais cobiçado da América do Sul, despertando, também, interesse de seleções e clubes europeus. Mas por qual fórmula vitoriosa passa a carreira de Gallardo? Qual sua forma de jogo, suas exigências como líder? 

Gallardo iniciou sua carreira como técnico no Nacional, do Uruguai, e logo no primeiro ano conquistou o campeonato uruguaio pelo clube. Em 39 jogos, venceu 23, empatou sete e perdeu nove, deixando o clube (por decisão pessoal) com um aproveitamento de 65%. Ficou parado de 2012 a 2014, quando assumiu o River Plate, dando início à fase mais vitoriosa da sua carreira. Com um semestre de trabalho, conquistou a Copa Sul-Americana em cima do Atlético Nacional e a Recopa Sul-Americana sobre o San Lorenzo.

Em 2015, em uma das melhores temporadas pelo River, venceu a Recopa Sul-Americana, a Copa Libertadores e a Copa Suruga. Conquistou também a Copa Argentina em 2016 e 2017, vencendo também em 2017 a Supercopa Argentina. Em 2018, conquistou o bicampeonato da Copa Libertadores, vencendo o maior rival, o Boca Juniors. E apesar do vice para o Flamengo, na final da Libertadores 2019, foi um grande ano para Gallardo, tendo conquistado a Recopa Sul-Americana, a Copa Argentina e Supercopa Argentina.

Em 2021, parece ter fechado o ciclo com chave de ouro. Conquistou o único título que não havia conquistado como técnico, o Campeonato Nacional Argentino.

Metodologias

Base

Como um requisito básico para se treinar o Flamengo, Marcelo Gallardo adora usar a base. Responsável por um projeto que pretende levar o River a ter todo o time titular formado por garotos da base. Durante sua passagem, utilizou 87 jogadores, revelou cerca de 30 promessas e foi a cabeça pensante de um investimento de milhões de dólares num projeto que envolve a modernização do CT da base. Aproximou as relações Sub/Prof, mantendo contato constante com os treinadores e jogadores da base, para que a metodologia fosse implantada em uníssono. Entre as principais revelações de Gallardo, podemos citar nomes de: Exequiel Palacios, Gonzalo Montiel, Martinez Quarta e Nicolas de La Cruz.

Comissão técnica

Marcelo conta com uma comissão técnica composta por 9 profissionais, a médica Sandra Rossi, os auxiliares Matias Biscay, Hernan Bujan e César Zinelli, os preparadores físicos Pablo Dolce e Diego Gamalero, o preparador de goleiros Alberto Montes e o analista de desempenho Nahuel Hidalgo.

Estimado em um custo mensal de R$ 3 milhões, a comissão técnica de Gallardo não depende apenas do dinheiro para trabalhar, parecido com o que fez Jorge Jesus na sua passagem pelo Flamengo, Marcelo Gallardo no River tinha a chave do centro de treinamento à sala do presidente, tendo carta branca pra atuar em todas as áreas desejadas.

Forma de jogo

Um amante dos estudos e da tática, tem como principais inspirações Klopp e Guardiola. Gallardo usa e abusa da troca de passes, usando principalmente o goleiro e os laterais, dando amplitude, para construir o jogo de trás.

Com uma forma de trabalhar que se assemelha a de Jorge Jesus, ele também usa o 4-1-3-2, com variações no 4-1-2-1-2 e 4-3-1-2, não perdendo nunca a característica marcante de ser um time extremamente ofensivo e irretocável no perde pressiona. Tática essa que passa pelo excelente trabalho realizado por Sandra Rossi e Pablo Nigro, uma neurocientista e um psicólogo especializado no futebol, o poder de reação absurdo e as tomadas de decisões quase sempre impecáveis, dizem muito sobre a importância de uma mente bem preparada pronta pra atuar em um esporte tão exigente e de alto nível.

Estatísticas

Usando como base os números do último campeonato conquistado, Gallardo teve 78% de aproveitamento, em 22 jogos, onde venceu 16 e perdeu apenas dois. Teve o melhor ataque e a melhor defesa do campeonato, marcando 48 gols e sofrendo apenas 13. No geral, nas 356 partidas disputadas como técnico do River, Gallardo tem 191 vitórias, 91 empates e 74 derrotas, com média de 1,85 gols marcados e 0,95 sofridos, por partida.

Semelhanças com filosofia de Jorge Jesus

Semelhanças dos trabalhos realizados por JJ e Marcelo Gallardo, além da comissão técnica que exige carta branca pra trabalhar, Marcelo Gallardo se assemelha a Jesus em ser um viciado em trabalho, funcionários do River dizem que ele passa cerca de 12h diárias no clube, preparando treinos e estudando adversários. Como também citado acima, assim como o Mister, Gallardo considera de suma importância trabalhar também o psicológico dos jogadores, alegando que um jogador completo utiliza da parte mental tanto quanto a parte física.

VAVEL Logo