Recordar é viver: com interceptação no fim, Patriots vencem Eagles no SB XXXIX

As duas equipes se reencontram no Super Bowl 52, com o time da Filadélfia buscando conquistar seu primeiro anel e exorcizar o fantasma da derrota de 2005

Recordar é viver: com interceptação no fim, Patriots vencem Eagles no SB XXXIX
Os Eagles querem a revanche depois do algoz de 2005 (Foto: Al Messerschmidt/Getty Images)

O Super Bowl LII, que acontecerá nesse domingo (4), no U.S. Bank Stadium em Minneapolis, será uma reedição do Super Bowl 39. Há exatos doze anos atrás, no dia 6 de fevereiro de 2005, o New England Patriots batia o Philadelphia Eagles por 24-21 em Jacksonville e conquistava o seu segundo título consecutivo e o terceiro em quatro anos, estabelecendo uma dinastia nos anos 2000 para o time de New England (quando uma franquia conquista 3 títulos ou mais em uma mesma década). 

Para entrar no clima da grande final da NFL nesse fim de semana, a VAVEL Brasil relembra como foi esse jogo:

As coincidências em relação a temporada 2017-2018 

Além de serem os mesmo times a se enfrentarem na final, as semelhanças não param por aí: os Eagles na temporada regular de 2004 também sofreram com a contusão de um jogador importante (como a do quarterback Carson Wentz este ano).

O wide receiver Terrell Owens fez uma grande temporada até a semana 15, onde fraturou a clavícula e ficou de fora do restante dos jogos, mas conseguiu contrariar todas as expectativas e entrar em campo em Jacksonville para tentar o primeiro título de seu time.

Outra grande coincidência foi o caminho que os Eagles trilharam até a final: eles vieram de uma temporada de 13 vitórias e 3 derrotas e depois passaram por Minnesota Vikings e Atlanta Falcons nas rodadas da NFC e sairam vitoriosos em ambos, da mesma forma que fizeram esse ano.

Como foi a partida

O primeiro quarto foi extremamente equilibrado entre as duas equipes, com sólidas atuações defensivas de ambos os lados (especialmente a de New England, que conseguiu interceptar o quarterback Donovan McNabb quando o ataque dos Eagles chegou a redzone), fazendo com que o placar ficasse no 0 a 0. Já no segundo quarto, o time da Filadélfia consegue abrir o placar com um touchdown anotado por LJ Smith após passe de McNabb, e pouco antes do intervalo o astro Tom Brady consegue encaixar passe para David Givens levar o jogo empatado em 7-7 para o vestário.

O show do intervalo ficou por conta de Sir Paul McCartney (escolhido como uma atração "segura" após o polêmico episódio entre Justin Timberlake e Janet Jackson, em que o cantor deixou a estrela com os seios a amostra no Super Bowl 2004), que desfilou seus grandes sucessos da carreira solo e de sua ex-banda como "Live And Let Die" e "Hey Jude".

A partir disso, o jogo se seguiu equilibrado com novamente um touchdown para cada lado que deixou o placar em 14-14, com ambos os times tendo grandes dificuldades de pontuar e deixando o resultado completamente em aberto até o último quarto, e foi aí que brilhou a estrela do wide receiver Deion Branch (agora aposentado), que simplesmente deu um show dentro de campo maior do que o do ex-beatle no intervalo.

O jogador vinha de uma temporada regular bem fraca, jogos muito irregulares e sendo fortemente questionado pela torcida dos "pats", até que na noite daquele 6 de fevereiro (mais especificamente na etapa final) ele conseguiu apresentar uma das melhores atuações individuais de um recebor na história do Super Bowl, com destaque para a grande jogada da partida, em que Branch conseguiu evitar que Brady fosse interceptado na campanha dos Patriots e ainda fez uma grande recepção que em seguida deu o touchdown do título para o time de New England, que em seguida ainda anotou um field goal de 22 jardas pelos pés de Adam Vinatieri.

Os Eagles ainda diminuiram no finalzinho com um passe de 30 jardas de McNabb, mas que não foi suficiente para tirar seu time da fila e evitar a formação da maior dinastia da NFL no século XXI. Branch terminou a partida com excelentes 11 recepções para 133 jardas e foi eleito MVP do jogo, sendo o único título dos Patriots até hoje em que o ídolo Tom Brady não foi eleito como o jogador mais valioso.

Após essa grande final, a franquia de Massachusetts chegou novamente ao Super Bowl em quarto oportunidades: sendo vice em 2008 e 2012 para o New York Giants, e campeã em 2015 e 2017 em cima de Seattle Seahawks e Atlanta Falcons, respectivamente, renovando sua dinastia.

Já pelo lado do Philadelphia, as "águias" nunca mais chegaram a final da liga e ainda buscam seu primeiro anel para enfim, soltar o grito de campeão. Quis o destino que essas duas franquias ficassem novamente frente a frente em uma decisão, onde a dupla Tom Brady e Bill Belichick visam defender seu reinado absoluto e alcançar novamente a marca de 3 títulos em 4 anos, enquanto Nick Foles e companhia buscam se aproveitar de seu status de "azarão" e de seu time equilibrado para levar o primeiro Vince Lombardi para a cidade da Filadélfia.