Hexacampeão europeu, Liverpool enfrenta Flamengo em busca do
primeiro Mundial
Foto: Divulgação/FIFA

Não se discute a história belíssima e vencedora do Liverpool Football Club. Ao longo de 127 anos, feitos singulares, recuperações após tragédias e históricas conquistas contribuíram para que a grandeza da equipe inglesa ultrapasse os limites da ilha britânica e alcançasse o mundo inteiro. Porém, existe um título que o clube ainda não conquistou: o Mundial de Clubes. Os Reds tentam pela quarta vez e podem conquistar o título inédito caso vençam o Flamengo neste sábado (21), pela decisão do torneio, a ser disputada no Khalifa International Stadium, em Doha, no Catar. A cobertura está sendo completamente feita durante todo o sábado (21) na VAVEL Brasil. Fique de olho!

É fato que os clubes ingleses pouco valorizam a competição, tanto que vários participaram. Nottingham Forest, Aston Villa, Chelsea, Liverpool e Manchester United já disputaram e apenas os Red Devils foram campeões (1999 e 2008). Cabe aos comandados de Jürgen Klopp entrar na galeria neste fim de semana. Abaixo, veja todas as derrotas do Liverpool no Mundial, seja no formato antigo – Torneio Internacional – e no formato atual elaborado pela Fifa.

Foto: Divulgação/FIFA
Firmino comemorando gol decisivo contra o Monterrey (Foto: Divulgação/FIFA)

Em dezembro de 81...

Como efusivamente canta a torcida do Flamengo, em dezembro de 1981 o time carioca pôs os ingleses na roda. Porém, vale ressaltar que, em 1977, o Liverpool desistiu de disputar a competição. Vice-campeão europeu, o Borussia Mönchengladbach encarou o Boca Juniors, que venceu por 5 a 2 no placar agregado – na época, as finais eram realizadas em dois jogos. No ano seguinte, os Reds venceram a Uefa Champions League novamente e o Boca faturou a Libertadores da América, mas a falta de datas disponíveis impediu que o jogo acontecesse.

Aí veio a decisão do torneio europeu em 1981, quando o Liverpool venceu o Real Madrid por 1 a 0 no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid/ESP. Desta vez, houve data disponível e o adversário foi o Flamengo. Regidos por Zico, os rubro-negros mantiveram o embalo da conquista da Libertadores da América e do Campeonato Carioca naquele ano para manter a mesma pegada. Com um time inesquecível para o torcedor e um primeiro tempo avassalador, o Mengão foi campeão do mundo no outro lado do planeta. No Estádio Olímpico de Tóquio, na capital do Japão, a vitória foi com classe: 3 a 0 no primeiro tempo, com gols de Nunes (duas vezes) e Adílio, além da participação do Galinho de Quintino nos três tentos. Ao fim do jogo, o camisa 10 foi premiado como o craque do jogo.

A escalação do Flamengo no jogo que foi realizado ao meio-dia do dia 13 de dezembro de 1981 (meia-noite no horário de Brasília) tinha Raul Plassmann; Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Lico. A memorável escalação rubro-negra teve como técnico Paulo César Carpegiani.

Quem tem mais é Rey de Copas

Em 1984, uma das campanhas mais memoráveis do Liverpool em competições europeias. No Estádio Olímpico de Roma, os ingleses enfrentaram a Roma. Mais uma vez, a equipe do noroeste da Inglaterra teve que enfrentar um ambiente hostil, palco do adversário. Sofreu, mas venceu. Após empate no tempo normal em 1 a 1 e nenhum gol na prorrogação, o título veio apenas nas penalidades máximas, ao vencer por 4 a 2.

O Estádio Olímpico de Tóquio novamente foi palco da decisão do Mundial – entre os anos de 1980 e 2001 – e o adversário seria um veterano em grandes finais, diferentemente do Flamengo, que tinha alcançado os voos mais altos de sua história pela primeira vez. Encarar o Independiente/ARG não é uma tarefa fácil, e, na década de 1980, o poderio da equipe argentina era ainda maior em sua sexta participação no torneio. Foi um jogo disputado, grande parte pelo gramado castigado devido ao rigoroso inverno. Com gol marcado por Percudani aos seis minutos de jogo, o Rey de Copas fez jus à sua alcunha e venceu por 1 a 0. O jogo teve a arbitragem do brasileiro Romualdo Arppi Filho.

No meio do caminho tinha uma pedra...

E essa pedra se chamava Rogério Ceni. Em 2005, o São Paulo voltava a conquistar a América depois de 22 anos. Com elenco recheado de grandes nomes, foi um ótimo passo para a equipe voltar a conquistar títulos nacionais e internacionais. Do outro lado do confronto no Mundial, o Liverpool, que voltava a conquistar um título continental depois de 21 anos, em uma das finais mais históricas da Uefa Champions League. Diante do Milan, a equipe inglesa terminou o primeiro tempo derrotada por 3 a 0, mas buscou o empate na etapa complementar e garantiu a vitória nas penalidades máximas.

O Mundial de Clubes já estava no formato atual, bem diferente em relação à participação de ambos. Campeonato globalizado, com representantes de todos os continentes. Níveis de estrutura, qualidade técnica e investimento à parte, a Fifa enxergou o torneio como algo que poderia obter muito lucro e formar um certame mais “justo”. Na semifinal, o São Paulo tinha vencido o Al-Ittihad/SAU por 3 a 2, enquanto o Liverpool venceu o Deportivo Saprissa/CRC por 3 a 0.

Na decisão, formações táticas diferentes e os primeiros minutos mostraram qual seria o panorama da partida. Liverpool com muita força no ataque, enquanto o São Paulo jogava com tranquilidade. Fechava a defesa, fortalecia a marcação e trabalhava rápidas jogadas para levar perigo. E a situação se intensificou com o gol marcado pelo Tricolor Paulista aos 27 minutos, quando Mineiro recebeu passe de Aloísio Chulapa e finalizou na saída do goleiro Pepe Reina. No segundo tempo, os ingleses tiveram três gols corretamente anulados em chances concluídas por Luis García, Hyypiä e Sinama-Pongolle. Mas o destaque do confronto foi a espetacular partida de Rogério Ceni. Com excelentes defesas, impediu que a pressão adversária resultasse em gols e o título voltou ao Brasil. Não à toa foi escolhido o craque do jogo e Bola de Ouro do Mundial.

O São Paulo enfrentou o Liverpool no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão, escalado com Rogério Ceni; Lugano, Fabão e Edcarlos; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Aloísio Chulapa e Amoroso. O Tricolor Paulista foi tricampeão mundial sob o comando do técnico Paulo Autuori.

Agora, Liverpool e Flamengo decidem o título do Mundial de Clubes às 14h30 (de Brasília) do próximo sábado (21), em Doha, no Catar. E você acompanha tudo aqui, na VAVEL Brasil. Será que os Reds acabarão com essa sina?

VAVEL Logo