Sergio Ramos define caráter singular do duelo contra Barcelona: "El Clásico não é um jogo como os outros"
Foto:Repdrodução/Real Madrid

Real Madrid e Barcelona se enfrentam nesse domingo, (1) de março num El clássico de tirar o fôlego. Poderá decidir uma eventual virada no Campeonato Espanhol, se o Real Madrid vencer, ou deixar o Barça bem mais folgado rumo ao título, já que ambas as equipes estão em primeiro e segundo lugar. Na 26ª rodada o time de Messi tem 55 pontos e os Merengues 53. Sergio Ramos, ícone do Real, falou um pouco sobre o Clássico, e como ele é especial. Veja os motivos.

Em entrevista à La Liga, Sergio começou dizendo de forma categórica que o jogo "Não é um jogo normal. Apesar de estarem três pontos em disputa, como em qualquer outro encontro, o Clássico não é um duelo como os outros. Ganhar ao Barcelona dá sempre grande satisfação". Evitar confrontos nunca foi uma prioridade do capitão do time de Madrid. E continuou: "Aquilo que se sente é algo muito íntimo e muito difícil de explicar."

Ramos tenta explicar que o jogo é de um perde e ganha, em que o perdedor não tem o direito de dar desculpas. Como jogador que mais partidas fez no Clássico, sua satisfação é duplicada pelo sentimento de uma marca quase inatingível. Querer jogar é importante e ganhar é muito melhor, segundo palavras suas. 

O Real joga em casa. Para Sergio Ramos, o jogo vai ser "Vai ser muito disputado, face ao momento da temporada em que estamos e porque a diferença de pontos entre ambos é mínima. Pode ser ou não determinante em função do resultado, pois ainda falta muitíssimo para jogar na Liga". E deu um recado ao Barcelona: "Frente a eles teremos de ser mais fortes e deixar isso bem expresso. Oxalá possamos dar um murro na mesa e ganhar em casa". Sergio Ramos Style de provocar? o leitor pode responder.

O objetivo é conquistar o título, óbvio. Para ele, a La Liga é competitiva. E estar no melhor nível é fundamental, algo que o Real Madrid tem muito a procurar no momento, após perder em casa, na Champions, para o Manchester City. Ele é realista ao dizer que os tropeços se tornam mais frequentes porque as equipes espanholas estão evoluindo. O que se torna mais verdade nessa temporada. Nunca foi normal o Real perder para o modesto Levante.

O Capitão também falou de Zidane. Para ele um ótimo treinador, além de ter sido lenda no time como jogador. Ramos explica os métodos de Zidane: "Mais ou menos utilizados, tem todos os jogadores motivados e essa é uma das suas grandes virtudes. Ele conhece perfeitamente o desempenho que pode obter de cada um de nós e para mim é o treinador ideal para uma equipa como o Real Madrid".

Verdade seja dita, o jogo é definível por uma grandeza que não pode ser mensurada. Sergio Ramos deu uma definição bem compatível com sua posição dentro do campo, e pela importância que ele tem para o time do Real Madrid.

Se tivéssemos que apontar um favorito, com certeza o Barcelona seria escolhido. Mas em jogos como esses, capitães como Ramos e a mística do Futebol fazem com que tudo seja totalmente, e simplesmente, imprevisível. Quem leva a melhor? o momento diria tudo o que você precisa saber, ou  a mística equilibra tudo?

Bem vindo ao El Clássico.

VAVEL Logo