Guia VAVEL do Brasileirão 2017: São Paulo
Guia VAVEL Brasileirão 2017(Foto: Hugo Alves/ Editoria de Arte- VAVEL)

Guia VAVEL do Brasileirão 2017: São Paulo

Apostando na experiência de Rogério Ceni e nos talentos de Cotia, o São Paulo inicia sua caminhada no Campeonato Brasileiro

laisa-amaral
Laísa Amaral

Fora de duas das principais competições nacionais; Campeonato Paulista Copa do Brasil, o São Paulo se prepara com “antecedência” para o Campeonato Brasileiro, que tem início no dia 14 de maio. O primeiro adversário da equipe paulista é o Cruzeiro de Mano Menezes, carrasco dos comandados de Ceni na Copa do Brasil. Antes de estrear na competição, o São Paulo enfrentará o Defensa y Justicia pela Copa Sul-Americana, na quinta-feira (11), no Morumbi.

Entre boas e apáticas atuações até o momento, o São Paulo de Rogério Ceni mostrou que pode brigar pela competição, porém, algumas peças precisam ser modificadas ou substituídas e, nada melhor que um longo período de jogos para colocar a “casa” nos eixos.

Escalação

Mesmo com jogadores da temporada passada, o São Paulo começou sua caminhada com “cara nova”. Repleto de atletas das categorias de base que subiram para a equipe profissional sob os olhares clínicos de Rogério Ceni, a equipe paulista foi “feliz” nas primeiras fases do Campeonato Paulista.

Dentre eles, Luiz Araújo e Júnior Tavares surpreenderam. Com sua versatilidade, o jovem meia conquistou a torcida. Hora jogando ao lado de Cueva ou substituindo o peruano, o garoto distribuiu boas jogadas e lindos gols. Polivalente, o novo reforço da lateral-esquerda tomou a vaga para si e tem sido um dos titulares absolutos da equipe. 

Aos poucos a equipe tomou forma e Ceni pôde repetir a escalação de alguns atletas em meio ao seu característico "rodízio". Mas um agravante passou a preocupar o técnico. Fadigados pelo rigoroso calendário de jogos, alguns atletas desfalcaram a equipe, com isso, a falta de entrosamento começou a atrapalhar o desenvolvimento do time nos jogos, além dos desfalques por convocações para seleções. Cueva em sua melhor fase, teve de defender a seleção peruana e voltou ao Morumbi lesionado, uma verdadeira bomba para Rogério Ceni. 

Outro problema é a tamanha desconfiança nas traves. Começando a temporada com o absoluto pegador de pênaltis, Sidão, o goleiro foi dos céus ao inferno. Criticado por suas falhas, o jogador virou opção para o contestado Denis tomar sua posição. E não muito diferente do que vem ocorrendo desde que Ceni pendurou as luvas, Denis oscilou entre boas atuações e terríveis gols tomados, logo, virou alvo dos são-paulinos e perdeu lugar para o jovem Renan Ribeiro. Antes como terceira opção, agora, Renan tem a confiança do treinador para quem sabe, sanar esse tormento.

O São Paulo tem como seus titulares, os seguintes atletas: Renan Ribeiro; Bruno; Maicon, Rodrigo Caio; Júnior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes; Cícero, Cueva, Luiz Araújo e Lucas Pratto (Gilberto). 

(Foto: Hugo Alves/ Editoria de Arte- VAVEL)
(Foto: Hugo Alves/ Editoria de Arte- VAVEL)

Destaque

Contratado pelo São Paulo junto ao Grêmio, ainda pelas categorias de base, o jovem Júnior Tavares, lateral-esquerdo de origem, subiu ao profissional da equipe paulista para ser o dono absoluto da posição, que não há reservas por opção do treinador. Na temporada de 2016, a vaga era ocupada por Mena. Também lateral-esquerdo, Buffarini é improvisado do outro lado do campo.

Desconhecido por grande parte da torcida e classificado como “imaturo” para assumir a posição sem outras opções, o jovem surpreendeu até os mais pessimistas. Agarrando a oportunidade que recebera, Júnior mostrou a que veio logo de cara, tornando-se peça de confiança do comandante. 

(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)
(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)

Fique de olho

"Dono da meiuca", como diriam os futebolistas, Jucilei chegou para ficar. Emprestado do Shandong Luneng até o fim da temporada, o volante merece destaque. Em seus primeiros dias de São Paulo, fora de forma, o jogador passou um tempo aprimorando sua condição física para encarar o rigoroso calendário do futebol brasileiro. 

Quando disponível para atuar, o jogador brilhou e ascendeu uma esperança no coração do torcedor são-paulino. Desde a saída de Souza para o Fenerbahce, o time sofreu para achar outro jogador que pudesse corresponder às expectativas, que desde então têm sido falhas. 

Em todas as jogadas, Jucilei tem grande poder de marcação, passa confiança e tem facilidade para desarmar o adversário. Qualidades estas que qualquer torcedor espera de um volante. E para a disputa do Campeonato Brasileiro, vale a pena manter os olhos no jogador e, quem sabe, desfrutar de uma bela contratação ao fim do vínculo. 

(Foto: Rubens Chiri/ São Paulo FC)
(Foto: Rubens Chiri/ São Paulo FC)

Técnico

Talvez a grande "novidade" para a temporada de todo o futebol brasileiro, Rogério Ceni assumiu o comando do São Paulo. Um dos maiores quebradores de recordes mundialmente, o ex-goleiro chegou cheio de "novos métodos".

No período em que esteve fora dos gramados, "apenas" um ano para ser mais exato, Ceni andou por toda a Europa buscando aprimorar seus conhecimentos ao lado de grandes técnicos, comandantes de grandes equipes e nas melhores estruturas do mundo. Com saudades daquilo que ele chama de "minha vida", o retorno ao time do Morumbi foi inevitável. 

Apesar de ser ídolo do clube, seu novo cargo foi contestado por parte da torcida e de todos que acompanham o esporte. De fato o técnico passara pouco tempo "estudando" para tal, porém, os tantos anos de experiência do ex-jogador fizeram com que houvesse uma retomada de esperança por uma nova era, um "novo" São Paulo. 

Acompanhado de seus auxiliares estrangeiros, o inglês Michael Beale, técnico do sub-23 do Liverpool e o francês Charles Hembert, auxiliar de logística da Seleção Brasileira; o treinador esquentou as categorias de base. De olho nos garotos, Ceni acompanhou diversos jogos e através de suas observações, subiu ao profissional grandes talentos de Cotia, que hoje são peças fundamentais em sua equipe. 

Ao modo Ceni de ser, o time tomou forma e hoje possui jogadores de confiança. Como resultado, apesar de não ter avançado às finais de duas das três competições em que disputou nesta temporada, os números comprovam a efetividade do trabalho até então desenvolvido. 

(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)
(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)

Posição em 2016

Na edição passada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo não mostrou seu melhor desempenho. Em um ano totalmente conturbado, a equipe não chegou na melhor forma para a disputa da competição. Após uma "mágica" Copa Libertadores liderada pelo argentino Calleri, a "cruel" eliminação que teve como carrasco o Atlético Nacional-CO de Borja, deixou marcas para não se esquecer. E perdendo dois dos mais "queridos" e talentosos do elenco, Calleri e Ganso, o São Paulo iniciou o campeonato desfalcado, em todos os sentidos. 

Se não bastasse a perca de referências, problemas internos; políticos e de elenco, tornaram o dia a dia do São Paulo um verdadeiro inferno. E com o clima pesadíssimo, os resultados negativos no Brasileirão começaram a surgir. Entre todos os pontos negativos, a saída de Bauza para comandar a Seleção Argentina desestabilizou ainda mais a equipe. Para o cargo, Ricardo Gomes. De volta ao clube, o técnico somou amargas derrotas e se viu demitido antes mesmo da temporada terminar. Pintado, auxiliar da equipe, segurou as pontas até o fim. Como resultado: 10ª posição na tabela. 

(Foto: Paulo Pinto/ São Paulo FC)
(Foto: Paulo Pinto/ São Paulo FC)

Expectativa para 2017

Ainda em construção, o São Paulo de Rogério Ceni precisa melhorar em alguns aspectos, principalmente a parte defensiva, que totalmente oposta ao absoluto ataque, demonstrou falhas importantes e que devem ser corrigidas se almeja uma vaga na ponta da tabela. Usufruindo dos talentos de casa, o treinador terá tempo suficiente para armar uma equipe mais compacta, já que o número de jogos é extenso e uma competição por pontos corridos exige objetividade dentro e fora de casa. 

A equipe possui grandes jogadores, que podem ser o diferencial de todo o contexto, com isso, se somados a uma boa preparação, o São Paulo pode surpreender no campeonato e brigar pelas primeiras posições com o decorrer das partidas. Se alcançar uma vaga na Copa Libertadores 2018, para um ano de trabalho como técnico, Rogério Ceni poderá efetivar-se com classe em seu novo cargo. 

(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)
(Foto: Érico Leonan/ São Paulo FC)
VAVEL Logo
CHAT