Kobe Bryant: uma vida de números e recordes no basquete
Foto: Divulgação/NBA

Na noite desta quarta-feira, o Staples Center será o palco do ato final de um dos maiores expoentes da história do basquete e do esporte mundial. 20 anos depois de sua estreia, um nome e um sobrenome não serão mais anunciados nas quadras pelo mundo como jogador. Chegará ao fim o reinado de Kobe Bryant, uma lenda do Los Angeles Lakers. Uma lenda da NBA. Uma lenda do basquete.

Draftado sem passar pela universidade, o jovem Kobe já mostrava que seu futuro seria imenso. Coincidentemente, foi escolhido na 13ª opção do draft pelo Charlotte Hornets e trocado com o Los Angeles Lakers, em 1996. O maior de todos, Michael Jordan, também foi escolhido pelos Hornets, mas trocado para atuar no Chicago Bulls.

Desde novo, seu talento já mostrava que traria frutos. E em 20 anos de carreira, o Black Mamba, seu apelido, coleciona inúmeros recordes que apenas mostra a grandeza e importância de sua vitoriosa passagem pela NBA.

O primeiro recorde logo no primeiro ano

E seu primeiro ano, o primeiro recorde. Com apenas 17 anos, foi o mais jovem jogador a pisar numa quadra da NBA. Apenas mais de 10 anos depois que Andrew Bynum quebrou essa escrita.

Seu talento e modo de jogar eram espetaculares e chamavam a atenção. A explosão de seus lances deram o prêmio no concurso de enterradas do All Star Game de 1997, sendo sua primeira participação no fim de semana das estrelas.

All Star Game: o fim de semana da estrela

Além de vencer o torneio de enterradas em 1997, Kobe se tornou o mais jovem jogador a atuar num ASG, com apenas 18 anos. Nesse jogo, houve o histórico duelo entre Kobe x Jordan. O experiente jogador dos Bulls levou a melhor, mas o menino já mostrava o que seria.

Desde sua primeira aparição no fim de semana, Mamba é um nome obrigatório nos jogos festivos. Ele esteve presente em todos. São 18 temporadas. Ele não esteve presente em apenas dois de seus 20 anos de carreira: no primeiro ano, quando era calouro, e em 2010, quando foi eleito para atuar, mas uma contusão o tirou da exibição.

Outro recorde de Kobe é o de MVP (Most Valuate Player) do All Star Game. São quatro conquistas, o maior de todos.

Um time ideal tem Kobe entre os titulares

Outra premiação que a NBA costuma fazer é a escolha do time ideal. E adivinha quem é o maior escolhido da história? Isso mesmo. Com absurdas 15 vezes, Bryant foi eleito entre os melhores para formar o time ideal. Em 20 temporadas, apenas cinco não tiveram o Black Mamba como escolhido.

Além de ser escolhido várias vezes entre os principais, o camisa 24 dos Lakers também foi eleito outras 12 vezes para o time de defesa da Liga. Outra marca importante que o ala-armador detém.

O brilho dourado no peito

Seria uma heresia olhar para Kobe Bryant e não enxergá-lo na Seleção Americana de basquete. Mas ele estava lá em duas importantes conquistas e foi fundamental em ambas. Em 2008, ao enfrentar a poderosa Espanha, foi com Kobe, ao anotar 13 pontos no quarto final e selar de vez a vitória americana na decisão. Era seu primeiro ouro.

Quatro anos depois, o estrelado time americano voltou a vencer a Espanha novamente com o placar apertado. E foi com a experiência de Kobe que os EUA puderam levantar o ouro pela segunda vez seguida.

81. A marca da fera

22 de janeiro de 2006. Em Los Angeles, a noite não reservava um dos jogos mais aguardados na rodada, mas quem esteve no Staples Center naquela noite certamente jamais esquecerá.

Tudo porque essa foi A noite. Nada demais em seu começo. Kobe despejava cestas na partida, mas o jogo era apertado. Os Raptors toda hora estavam na frente, mas vendo um Bryant carregar os roxos-e-dourados nas costas. Aos poucos, a soma de seus arremessos iam aumentando e a conta subia de forma exponencial.

Conforme o tempo passava, Kobe ia quebrando marcas. O mundo assistia a história sendo escrita e a torcida vibrava a cada lance livre convertido. No final das contas, Kobe já estava próximo de ser o segundo maior cestinha em jogo único da história da NBA. Os 100 pontos de Wilt Chamberlain, ainda na década de 60, são quase impossíveis de serem batidos, mas naquela noite, Kobe foi quem mais se aproximou e chegaria, caso tivesse mais um quarto de jogo. 81 pontos de 122 convertidos pelos Lakers naquele dia. O 8 de sua camisa combinou bem com 1, de ser o maior jogador da época.

Um deus na cidade dos anjos

Los Angeles se orgulha de ter duas equipes na principal liga de basquete do mundo. Além dos Lakers, os Clippers também estão na jornada, mas sem o mesmo sucesso e grandeza, já que a equipe dourada é a segunda maior em conquistas da história.

E ninguém melhor do Kobe Bryant para ser o maior cestinha de sua história. O ala-armador passou Jerry West e se consolidou no topo da franquia. Isso porque a equipe teve nomes gigantes, como Kareem Abdul-Jabbar, Shaquille O'Neal e um tal de Magic Jhonson.

Além de ser o maior pontuador, Kobe pode falar aos futuros netos que detém o recorde de atuações por uma mesma equipe na NBA. Toda sua carreira foi feita nos Lakers, algo que nunca aconteceu antes. 20 anos de ótimos serviços prestados.

3x12

Dentro da partida, Black Mamba também detém o impressionante recorde de maior número de acertos de bola para três pontos. Em 7 de janeiro de 2003, o Staples Center viu o primeiro jogador a acertar incríveis 12 bolas no perímetro, em 18 tentativas. Futuramente, Donney Marshall (12 em 19) e Steph Curry (12 em 16) também igualaram o ala-armador.

33 mil. Mais do que Jordan

Um sonho que o jogador dos Lakers sempre batalhou e nunca escondeu querer alcançar era de superar o seu ídolo e espelho Michael Jordan em número de pontos. MJ tinha 32.292 pontos e "somente" o terceiro lugar como maior pontuador da história da NBA.

Pois o camisa 24 conseguiu o que parecia impossível. Em 14 de dezembro de 2014, o astro converteu dois lances livres que deram sua vaga no pódio da maior liga de basquete. Os números irão subir com certeza após seu último jogo.

Março. O mês do absurdo

O ano era 2007. O Lakers era um time forte com nomes importantes, como Derek Fisher e Pau Gasol, podendo resolver partidas. Mas quem tem Kobe, tem metade do caminho andado e ele deixou as coisas mais fáceis, quando anotou mais de 50 pontos em quatro jogos seguidos no mês.

A façanha foi quebrada numa vitória contra o Golden State Warriors. A sua pontuação nesse jogo? 43. Apenas Wilt Chamberlain, nos anos 60, tem uma sequencia maior, tendo anotado em sete partidas consecutivas.

Pontos e assistências. O maior

Kobe ainda pode se orgulhar de ser o único jogador da história a anotar mais de 30 mil pontos e mais de 6 mil passes para cestas. Uma marca gigantesca e que apenas ele carrega em seu nome.

VAVEL Logo