Em busca do tri, Argentina enfrenta a Austrália pelas oitavas de final da Copa do Mundo
Foto: Federação Argentina de Futebol

A Argentina entra em campo neste sábado (3) pelas oitavas de finais da Copa do Mundo no estádio Ahmad Bin Ali. A Albiceleste enfrenta a Austrália em busca de uma vaga nas quartas de final da competição.

Depois de passar por um susto na primeira fase, a Argentina não quer dar mais chance para a zebra, enquanto a Austrália tenta fazer história.

Sem chance pra zebra

A Argentina sabe muito bem que não pode bobear e entrar de salto alto nesse jogo contra a Austrália. A seleção é a prova viva do que isso pode causar.

Na estreia da Copa do Mundo, os Hermanos foram surpreendidos pela Arabia Saudita e perdeu por 2 a 1, depois de abrir o placar, colocando a sua classificação para as oitavas de finais em risco.

A Argentina se recuperou, no entanto. Nas rodadas seguintes, duas vitórias convincentes contra México e Polônia, ambas por 2 a 0, garantindo o primeiro lugar do grupo.

A seleção comandada por Lionel Messi vai em busca do grande título dessa geração. Depois de conquistar a Copa América sobre o Brasil em 2021, a Argentina agora busca o posto máximo futebol, na Copa que deve ser a última de um dos grandes craques dessa dessa seleção, Messi.

Para o jogo contra a Austrália, O treinador Lionel Scaloni tem a dúvida de Di María, que tem um desgaste muscular no quadríceps e pode iniciar o confronto no banco de reservas. De resto, o treinador argentino pode repetir praticamente toda a equipe que venceu a Polônia por 2 a 0, com a ausência apenas do camisa 11.

"Di María saiu com dores, mas contratura é outra palavra. Vamos esperar hoje e amanhã. Se ele estiver disponível, com certeza jogará, mas agora não posso te dizer porque não temos um panorama claro e atualizado", disse o treinador.

A Argentina deve entrar em campo com o seguinte time: Martínez; Molina, Cristian Romero, Otamendi, e Acuña; Mac Allister, Guido, Enzo Fernández, Rodrigo de Paul e Paredes (Di María); Lionel Messi e Julián Álvarez.

Zebra passeando pelo Catar

A Austrália vai em busca da história. A seleção já igualou a sua melhor participação em Copas do Mundo, chegando as oitavas de final após terminar em segundo no grupo de França, Tunísia e Dinamarca, com duas vitórias e uma derrota, para os franceses. Agora, o sonho é chegar ainda mais longe, eliminando a poderosa Argentina.

E zebra nessa Copa não falta. Além da derrota da Argentina na estreia para a Arabia Saudita, a Alemanha foi derrotada de virada para o Japão e caiu ainda na fase de grupos.

O Mundial ainda teve as derrotas de França, Espanha, Portugal e Brasil na última rodada para Tunísia, Japão, Coreia do Sul e Camarões, respectivamente.

O zagueiro Milos Degenek, que também atua como lateral e entrou durante os dois primeiros jogos, virou titular na vitória contra a Dinamarca e deve permanecer no time, que vai continuar a priorizar a defesa.

Há cinco jogadores alinhados no meio-campo, três dos quais são jogadores de marcação. Duke é a referência ofensiva e marcou contra a Tunísia. Goodwin, que marcou contra a França, e Leckie, que marcou o gol da qualificação contra a Dinamarca, foram encarregados de comandar o ataque.

"Muitos não acreditavam em nós, mas nós acreditávamos que estaríamos aqui. Era apenas uma questão de encontrar o melhor caminho. Mas eu acredito que nós australianos gostamos do caminho mais difícil. Então eu diria que temos a força necessária, esse é o nosso DNA", destacou o atacante Awer Mabil antes da partida.

A Austrália do técnico Graham Arnold deve ser escalada com: Mat Ryan; Degenek, Souttar, Rowles e Behich; Mooy, McGree, Irvine, Leckie e Goodwin; Duke.

Arbitragem

O árbitro polonês Szymon Marciniak apira a partida, auxiliado pelos compatriotas Pawel Sokolnick e Tomasz Listkiewicz. Tomasz Kwiatkowski, também da Polônia, será o árbitro de vídeo.

VAVEL Logo