Clássico agitado: Palmeiras busca empate com Santos em confronto direto
Foto: Ivan Storti/Santos FC

Tendo gols marcados por Diego Pituca e Marinho, pelo lado do Santos, e Raphael Veiga e William pelo lado palmeirense, o Clássico da Saudade terminou empatado em 2 a 2 neste sábado (5). Em partida válida pela 24ª rodada do Brasileirão, ambos os times travaram uma batalha interessante com quatro gols na Vila Belmiro e levou emoção às torcidas.

Estratégias

O alvinegro praiano foi ao jogo com os seguintes jogadores em campo: John; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres, Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Lucas Braga; Marinho, Soteldo e Kaio Jorge. A idéia do time era chamar a defesa palmeirense, subindo pelos espaços nas laterais deixados e assim ligando o jogo com Marinho ou Soteldo, de forma que Kaio Jorge e Lucas Braga ficassem livres de marcação no miolo da área. Pará e Felipe Jonatan fizeram um papel mais defensivo, apoiando poucas vezes. Alison ficou a frente da área, como protetor da zaga, dando chances para que Pituca avançasse e chegasse ao ataque por algumas vezes.

Já o Verdão foi à partida assim: Weverton; Mayke, Luan, Empereur, Viña; Emerson Santos, Zé Rafael, Raphael Veiga; Lucas Lima, Gabriel Veron e William. O Palmeiras manteve durante todo o jogo sua estratégia de pressionar o Santos na zona de ataque e interromper a saída de bola santista, Empereur e Luan caíram um pouco mais às laterais para ajudar na marcação de Marinho e Soteldo, enquanto Mayke e Viña subiram mais ao ataque e por vezes trabalharam como alas. Emerson Santos jogou mais recuado, protegendo a zaga, e dando liberdade para Zé Rafael pressionar mais à frente junto a Veiga. Veron e Lucas Lima subiram pelas pontas, pressionando a defesa santista e abrindo espaço para William se infiltrar na área.

Detalhes lance a lance

Aos 11 minutos, Emerson Santos bateu no cantinho e John se esticou todo para fazer a defesa. Aos 23' Marinho bateu escanteio fechadinho e viu Weverton fazer bela defesa para impedir seu gol olímpico. 14 minutos depois, aos 37' Marinho recebeu na esquerda (em falha de Viña) e avançou até a área, tocando para Kaio Jorge que viu Pituca livre para bater no meio, abrindo o placar para o Santos.

Aos 9' do segundo tempo, Raphael Veiga bateu pênalti muito bem e chegou ao empate. Aos 17 minutos, William apareceu sozinho na segunda trave e cabeceou a bola para dentro do gol, colocando o Palmeiras à frente no placar. Aos 25' Marinho dominou, ajeitou, olhou, planejou e bateu para o gol, empatando a partida. Aos 48 minutos, Rafael foi expulso por entrada em Felipe Jonatan.

A partida protagonizada por Santos e Palmeiras demonstrou o maior erro da equipe comandada por Abel Ferreira (não hoje, pois o técnico não esteve a beira do campo graças à Covid-19), o descompromisso com a defesa. Marcar a defesa adversária é uma ótima iniciativa, mas a mesma têm de ser tomada com inteligência estratégica, de forma que seus laterais e zagueiros tenham velocidade para acompanhar os pontas adversários em possíveis contra-ataques. O Santos saiu de campo com um resultado injusto por ter apresentado um futebol melhor durante a maior parte do jogo.

Próximos compromisso

O Santos enfrenta o Grêmio na quarta-feira, às 19h15, pelas Quartas de Final da Libertadores. O Palmeiras também terá compromisso na Libertadores, mas na terça-feira, às 21h30, contra o Libertad, também pelas quartas de final.

 

VAVEL Logo