O olhar sobre três ‘emigrantes encarnados’

As principais pérolas da academia benfiquista têm deixado o clube, uns com mais oportunidades que outros. Renato Sanches, Ederson Moraes e Bernardo Silva são três dos mais mediáticos jogadores a ter deixado a Luz.

O olhar sobre três ‘emigrantes encarnados’
Bernardo Silva é uma das maiores pérolas 'Made in Seixal' // Fonte: OJogo

              Ao longo dos últimos anos, o Sport Lisboa e Benfica tem realizado vendas milionárias com jogadores ‘Made in Seixal’. Num breve olhar, rapidamente nos lembramos de alguns nomes como Ivan Cavaleiro, Gonçalo Guedes, André Gomes, Renato Sanches, Bernardo Silva ou Ederson Moraes. Curiosamente, os três últimos atuam em Inglaterra: o jovem médio de 20 anos atua ao serviço do Swansea, de Carlos Carvalhal, enquanto que Bernardo Silva e Ederson são treinados por Pep Guardiola ao serviço do Manchester City.

               Renato Sanches deu nas vistas ao serviço do Benfica, estreando-se pela equipa principal apenas com 18 anos e marcando uma ‘bomba’ à Académica de Coimbra, tornando-se o mais jovem jogador a marcar um golo no estádio da Luz. Rapidamente ganhou protagonismo (a prestação no Euro 2016 ajudou) e, num negócio que poderá chegar aos 80 milhões de euros, Renato transferiu-se para o Bayern de Munique. Após dificuldades na adaptação ao clube alemão e apenas com 26 jogos pelo clube bávaro, o jovem foi emprestado ao Swansea City, no verão de 2017. Apesar de se esperar uma grande influência do português na equipa gaulesa, Renato Sanches continua sem mostrar a qualidade que mostrava ao serviço das Àguias.

               Bernardo Silva e Ederson Moraes, por outro lado, têm-se exibido a um nível fantástico pelos seus clubes. Apesar de ambos jogarem atualmente no City, o médio de 23 anos deixou a Luz rumo ao Mónaco e foi aí que despertou o interesse dos principais ‘tubarões europeus’.           

               Sem grandes oportunidades na equipa principal do Benfica, Bernardo Silva foi contratado pelo Mónaco, a título definitivo, em 2015. Foi no clube monegasco que o jovem pôs em prática toda a sua imensa qualidade dentro de campo: técnica no passe, condução de bola, visão de jogo, golos, assistências. Nada faltava ao médio que, após quase 150 jogos e 28 golos, deixou França para ser orientado por Pep Guardiola no luxuoso City. Na presente temporada já realizou 40 jogos pelos ‘Citizens’, marcando 5 golos e estando em grande nível cada vez que joga.

               No mesmo clube atua o jovem guardião brasileiro Ederson Moraes. Fazendo os últimos anos de formação no Seixal e após alguns empréstimos (3 anos no Rio Ave), Ederson finalmente integrou o plantel principal, estreando-se num derby frente ao Sporting, a 5 de março de 2016. Não largando mais as redes encarnadas, foi transferido para a equipa inglesa num negócio a rondar os 40 milhões de euros, tornando-se o segundo guarda-redes mais caro da história, apenas atrás do lendário Buffon. Assumindo desde logo a titularidade, Ederson tem encantado os adeptos ingleses e isso reflete-se nos ‘apenas’ 20 golos sofridos na Liga Inglesa.