Sporting x Porto: empate com lições táticas fenomenais

O Sporting e o Porto proporcionaram um verdadeiro espectáculo tático, que resultou numa igualdade a zero.

Sporting x Porto: empate com lições táticas fenomenais
O primeiro Clássico da Época foi um jogo de emoções // Foto: tvi24,iol.pt / Lusa

Leões e dragões entraram em Alvalade para disputarem o primeiro clássico da temporada. No jogo grande da ronda 8 da Liga NOS, o Sporting e o Porto empataram a zero, mas fica o destaque para um duelo tático fantástico de Jorge Jesus e Sérgio Conceição, que se refletiu numa luta intensa a meio campo com William, Battaglia e Bruno Fernandes frente a Danilo, Herrera e Sérgio Oliveira. O Porto soma agora 22 pontos e o Sporting 20, numa luta intensa pelo título.

Primeira parte: intensidade azul, desgaste verde

O Domingo de eleições contou com o voto de quase 50 000 adeptos em Alvalade para o grande clássico entre o Sporting e o Porto. Nos eleitos de Jesus, foco para as presenças de Jonathan no lugar de Coentrão e a manutenção de Acuna no 11 inicial. Nos azuis e brancos, relevo para as entradas de Layún e Sérgio Oliveira nas escolhas de Sérgio Conceição. O pontapé de saída foi às 19h15 e o ambiente estava escaldante na capital lisboeta. No palco do encontro, o Porto entrou com alma e aplicou pressão alta, empurrando o leão para o seu reduto na primeira meia hora.

Nesta fase, foco para Danilo, que esteve incrível a recuperar o esférico. Os dragões assumiram mais as rédias de jogo e Brahimi foi o pesadelo de Piccini. Ao minuto 18, Aboubakar rematou forte e deu o primeiro aviso a Patrício. 4 minutos volvidos, o mágico Brahimi obrigou Patrício a uma parada fenomenal. Na resposta, William viu Casillas negar-lhe o festejo. O Porto não tremeu e manteve o controlo e Aboubakar ficou novamente a um palmo da emenda. Na primeira metade, Conceição deu um baile tático a Jesus, com uma intensidade extrema e com os 3 sectores muito equilibrados, que impediram o Sporting de criar perigo.

Segunda parte: leão ruge taticamente

Ao intervalo, o resultado não espelhou o que as equipas produziram, faltando eficácia ao dragão, que teve pela frente um Coates e um Patrício soberbos. Para a segunda etapa, Jesus leu muito bem o jogo e juntou Bruno Fernandes ao duo de meio campo por forma a pressionar o Porto. O dragão perdeu intensidade o leão rugiu na partida, com Gelson em grande plano. O craque desiquilibrou na ala e serviu Dost, que chegou ligeiramente tarde ao excelente passe de Gelson. Ao minuto 59, Bruno Fernandes falhou escandalosamente o golo e perdeu a ocasião mais flagrante dos leões para inaugurar o score.

Na última meia hora, Bruno Fernandes deu o lugar a César e o Sporting ganhou maior frescura física, colocando Acuna no corredor central, algo que ofereceu imprevisibilidade tática ao modelo de Jesus. Até final, foco para alguns ataques de parte a parte, mas o destino estava numa igualdade que se aceita. Todavia, é de referir que o Porto se apresentou melhor fisicamente, tendo criado mais perigo na primeira parte. O Sporting equilibrou o duelo, mas revelou debilidades físicas. Nos leões, Patrício, Coates e Gelson brilharam e no Porto, Felipe, Danilo e Brahimi foram os grandes destaques. Os dragões lideram a Liga com 22 pontos e o Sporting é segundo classificado, com 20.

Futebol Português