Entre «leões» e «canários» antevê-se duelo equilibrado

Entre «leões» e «canários» antevê-se duelo equilibrado

A primeira volta do campeonato fecha-se com duelos entre os quatro primeiros classificados. O Estoril receberá este noite o Sporting, às 20h15, num jogo que se prevê entusiasmante e onde os leões não deverão encontrar nos canarinhos presa fácil, interpondo-se entre o desejo dos homens de Alvalade de garantir os três pontos para capitalizar sobre o resultado saído do clássico Benfica-Porto, jogado no domingo. (Foto: Carlos Alberto Costa/zerozero.pt)

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida

No palco da Amoreira entrarão esta noite duas equipas sem dúvida na procura dos três pontos. O Sporting, líder do campeonato mas em igualdade pontual com Benfica e Porto, verá forçosamente em todos os futuros encontros pontos de ouro na luta pelo título que, porém, vai insistindo em não assumir como objectivo. Mas, nesta jornada, o apetite do leão deverá ser necessariamente maior, uma vez que águias e dragões se defrontam na Luz e o Sporting sabe que, ganhando, se conseguirá isolar de um dos seus rivais, ou mesmo de ambos, em case de empate no clássico. Para o Estoril, os três pontos são igualmente valiosos. Em quarto lugar, com apenas mais um ponto do que o Guimarães, que é quinto, e a dois do Braga, que é sexto, os comandados de Marco Silva quererão interpor entre si e os seus perseguidores maior distância, até porque vimaranenses e bracarenses se defrontaram no derby minhoto que abriu a 15ª jornada.

Um grande recuperado e um grande inesperado

Este é o contexto que nos dá a tabela. Quanto a certezas, nenhuma sobre o resultado, senão a garantia da dificuldade na sua obtenção. Os leões, a realizar uma excelente temporada – são seus o melhor ataque e a melhor defesa da prova (33/9), e o guardião Rui Patrício não vê as suas redes mexer há cinco jogos  −, vinham de uma série de cinco vitórias consecutivas para a Liga até serem travados por empate frente ao Nacional, na talvez pior exibição da época, em Alvalade. Ainda assim, Leonardo Jardim soube dar a volta aos seus jogadores, que no último encontro do ano 2013, frente ao FC Porto, para a Taça da Liga, empataram a zeros mas deixaram a sensação de que uma pequena goleada sobre o rival do norte não seria resultado imerecido.

Mas o Estoril impõe também respeito, e esta época confirma-se como o adversário indesejado que prometeu ser na época passada. Se em 2012/2013  o quinto lugar na classificação final que o Estoril reclamou como seu dava conta de uma equipa que Marco Silva conseguiu agigantar, conseguindo que os seus jogadores superassem o estatuto que os adversários e a história lhe reservavam, as 14 jornadas já jogadas esta época dão conta de que a prestação no ano transacto não foi erro nem acaso: o Estoril está actualmente no quarto posto, com 24 pontos (a 10 do Sporting, que é líder), fruto de sete vitórias, três empates e quatro derrotas.

A mesma receita por diferentes intérpretes

Sporting e Estoril privilegiam o 4-3-3, apoiando-se ambos num sector intermédio bem organizado e produzindo interessantes caudais ofensivos. Se no Sporting o trio William Carvalho, Adrien e André Martins tem dado provas sobejas da sua muita qualidade, quer na contenção do jogo adversário ainda cedo no terreno quer na saída a jogar e construção ofensiva rápida, segura, de bola no pé e passe curto, não é menos verdade que o Estoril também nesta zona do terreno tem homens sólidos. Evandro e Filipe Gonçalves são jogadores experientes e indissociáveis das boas exibições que os canarinhos têm conseguido alcançar. Bom sintoma disso é que Evandro é mesmo o melhor marcador da equipa, com seis tentos, e o homem com mais minutos nas pernas no plantel, à excepção do guarda-redes Vagner. Com os respectivos meios-campos a servirem de central produtora e distribuidora de jogo, os dois conjuntos têm depois nas alas homens capazes de provocar desequilíbrios. O Sporting deverá apresentar Capel e Carrillo, com este segundo a revelar grande crescimento de forma e sobretudo coerência na qualidade das suas exibições. Na equipa da linha, Sebá e Carlitos serão certamente as escolhas, e se o português, até pela idade, é mais rosto da experiência do que da velocidade, o jovem Sebá exigirá muita atenção por parte de Cédric Soares.

O peso da história ou o fantasma recente?

Os números da história dos confrontos entre leões e canarinhos são claramente favoráveis aos homens de Alvalade, com 37 vitórias em 51 jogos, e 137 golos marcados contra apenas 57 sofridos. Mas embora o cômputo geral se apresente risonho, a estatística recente recomenda cautela para os verde e brancos. Em 2012/2013, o Estoril foi a Alvalade para empatar a duas bolas, e na Amoreira impôs mesmo uma derrota por 3-1 ao símbolo do leão. Leonardo Jardim, de resto, não o esquece: «Pelo passado recente, pelos jogos que disputou com o Sporting, e que venceu alguns deles, vai jogar de igual para igual. Isso vai promover o espectáculo, a qualidade de jogo. Já avisei os jogadores de que o Estoril vai discutir o jogo, com ambições quanto ao resultado.»

Leonardo Jardim só não poderá contar com Jefferson, já que o lateral esquerdo se encontra castigado e, assim, não defrontará a sua antiga equipa. Já os problemas de Marco Silva são maiores: além das recentes saídas de Luís Leal e Gladstony, o treinador do Estoril não poderá contar com João Galvão, por castigo, nem João Coimbra nem João Pedro, ambos lesionados.

O apito inicial será dado por Pedro Proença, e está marcado para as 20h15 deste sábado, no António Coimbra da Mota.

Onze prováveis:

VAVEL Logo