Paulo Fonseca sob pressão
Quartos de final da Taça de Portugal entre Porto e Estoril (zerozero.pt)

A equipa de Paulo Fonseca luta por um lugar nas meias-finais da Taça de Portugal. Para este encontro frente ao Estoril, o técnico chamou, pela primeira vez, o médio da equipa B, Mikel, e deixou de fora Kelvin, sendo estas as principais alterações em relação à última partida frente ao Marítimo. Para discutir a partida frente ao Porto, Marco Silva não poderá contar com os titularíssimos Evandro, por castigo e Bruno Lopes, por lesão, mas conta com a irreverência do jovem Luiz Phellype que, aos 20 anos, se estreia na formação estorilista.

Para chegar aos quartos-de-final da prova, os «Dragões» tiveram de ultrapassar o modesto Atlético, nos oitavos-de-final. Nesta partida, destaque para os dois golos de Varela, na goleada por 6-0 frente aos comandados do professor Neca. O Estoril-Praia visitou e venceu a equipa do Leixões e, tal como os actuais campeões nacionais, impôs uma goleada por 1-5, carimbando, assim, o passaporte para os quartos-de-final. A equipa que vencer esta eliminatória irá defrontar o vencedor da partida Penafiel-Benfica, nas meias-finais da prova. Em perspectiva estará mais um clássico entre Benfica e Porto.

“Dores de cabeça” a meio-campo

Para esta recepção ao Estoril, Paulo Fonseca chamou o médio da equipa B, Mikel, e deixou de fora, por opção, o jovem Kelvin. A situação de Otamendi representa uma incógnita para os lados do Dragão e, com o mercado russo e turco ainda em aberto, a sua ausência dos convocados faz crer numa possível transferência. Esta partida surge na sequência da derrota frente ao Marítimo, para o campeonato, e a situação de Paulo Fonseca começa a ficar em causa, podendo, em caso de derrota frente ao Estoril, experienciar mais uma “chicotada psicológica” no futebol português.

Para este jogo, o técnico dos azuis e brancos deverá voltar a apostar no guarda-redes Fabiano Freitas, que, quando é chamado, tem mantido a baliza dos dragões inviolável. Na defesa portista, destaque para os habituais laterais Danilo e Alex Sandro, que têm sido peças fundamentais no sistema de jogo de Paulo Fonseca, com as recorrentes subidas no terreno traduzindo-se em várias assistências para golo. No centro da defesa, Maicon e Mangala deverão ser os escolhidos, uma vez que Otamendi não está, sequer, nas contas do treinador.

No centro do terreno reside a maior dor-de-cabeça do técnico, uma vez que o dilema nº10 de Paulo Fonseca se tornou num dilema nº6 e nº8. Para este jogo, Fernando continua indisponível por lesão e, como foi possível assistir na última partida frente ao Marítimo, Defour não assumiu, em pleno, as funções que o luso-brasileiro costuma cumprir em campo, principalmente, na transição da defesa para o ataque. Como se não bastasse, com a saída de Lucho para o Qatar, Paulo Fonseca ainda não conseguiu definir qual o seu sucessor na posição nº8. Na última partida, Josué assumiu esse papel mas, ao ter características demasiado ofensivas, desguarneceu a sua equipa no momento de defender. Nesta partida, o tridente do miolo deverá pertencer a Defour, Josué e o indiscutível Carlos Eduardo, como médio ofensivo.

No sector ofensivo da equipa, a velocidade dos internacionais portugueses Quaresma e Varela deverá garantir-lhes a titularidade, e este último, a par com Rafa do SC Braga, são os melhores marcadores da Taça de Portugal, com quatro tentos. Para compor este trio, é inevitável contar com a «arma mortífera» dos «Dragões», Jackson Martínez que procura nesta partida frente ao Estoril acabar com o jejum de golos.

Estoril sonha com o Jamor

Para enfrentar o Futebol Clube do Porto, Marco Silva não poderá contar com os imprescindíveis titulares, Evandro e Bruno Lopes. O avançado mantém-se lesionado e o brasileiro foi expulso na partida frente ao Arouca. Nessa partida, a contar para o campeonato, os estorilistas não foram além de um empate, e esperam, nesta eliminatória frente ao Porto, reagir, depois de terem tropeçado frente aos comandados de Pedro Emanuel. Para a baliza canarinha, Marco Silva deverá apostar no habitual guardião Vagner, que tem sido regular ao longo desta época. No centro da defesa, o destaque vai para o patrão Yohan Tavares, que conta com um forte posicionamento e com bom jogo aéreo. Juntamente com Bruno Miguel, deverá ser o eleito para compor o eixo da defesa canarinha.

No meio-campo, o relevo vai para o médio defensivo Gonçalo Santos que, juntamente com William Carvalho, tem sido uma grande revelação numa posição com pouca tradição e oferta no futebol português. Este jogador tem sido absolutamente fundamental no sistema de Marco Silva e, perante a indisponibilidade de Evandro para defrontar o Porto, o médio ganha ainda mais preponderância, para equilibrar todo o sector do centro do terreno do Estoril.

As três setas apontadas à baliza de Fabiano deverão ser Carlitos, Balboa e Sebá. Para extremo esquerdo, Marco Silva deverá manter a incógnita entre Gerso e Balboa, mas quanto a Sebá, o técnico não deverá ter grandes dúvidas, uma vez que a criatividade técnica e a velocidade que a jovem promessa impõe no eixo atacante têm sido decisivas, tendo o médio apontado, até ao momento, dois golos nesta Taça de Portugal.

Paulo Fonseca respeita um Marco Silva sonhador

Para alcançar as meias-finais da Taça de Portugal, Paulo Fonseca terá de ultrapassar o Estoril e, perante um adversário de valor, o técnico afirmou: «É preciso estarmos alerta e focados naquilo que são as nossas tarefas para vencer uma equipa bastante difícil como o Estoril, uma das melhores do nosso futebol, ainda por cima num jogo a eliminar e com carácter decisivo. Vamos ter um adversário valoroso e a tentar conquistar a passagem à fase seguinte».

Com o Jamor no horizonte, o treinador do Estoril assume as dificuldades em jogar contra o FC Porto, mas adiantou: «Vamos jogar com o sonho de chegar às meias-finais. O FC Porto joga em casa, mas vamos agarrar-nos à nossa pequena percentagem de favoritismo».

Onzes prováveis:

VAVEL Logo