O peso da meia-final
Será o 34ª encontro entre Porto e Benfica para a Taça

O peso da meia-final

A Taça de Portugal conta com históricos confrontos entre Porto e Benfica, desde a sua primeira edição. Embora o Benfica seja favorito no total de encontros disputados, o passado mostra o significado da fase das meias-finais para os dois emblemas. (Foto: Isabel Cutileiro)

maraguerra
Mara Guerra

Porto e Benfica defrontam-se, esta noite, na 1ª mão da meia-final da Taça de Portugal. Na memória recente, está a disputada meia-final da época de 2010/11, da qual o Porto saiu vencedor. Num passado mais distante, aquando a 1ª edição desta competição, também a fase precedente da final foi vivida entre o encarnado e o azul, em duas mãos igualmente renhidas e repletas de golos.

História dá favoritismo ao Benfica

Benfica e Porto já se defrontaram num total de 33 jogos para a tradicional Taça de Portugal. O histórico destes confrontos favorece os encarnados, que conheceram a vitória por 20 vezes. Já a equipa da Invicta ganhou 8 jogos e 5 terminaram em empate. De referir que o Estádio da Luz recebeu 18 destes jogos, enquanto 14 se realizaram no Dragão e 1 em campo neutro. Fazendo o balanço entre todas as partidas, o resultado típico seria a vitória do Benfica no jogo de logo, por uma bola a zero. Veremos se a História se confirma.

Recuar três épocas

Embora o Benfica reúna mais vitórias, a hegemonia do Porto dos últimos anos também se fez sentir na Taça de Portugal. No último confronto entre as equipas, também em fase de meia-final, o Porto saiu vitorioso, após dar a reviravolta à eliminatória, na qualidade de visitante.

Passaram três épocas desde que, em 2010/11, o Porto venceu na Luz, em jogo da 2ª mão, por 3-1, com golos de João Moutinho, Hulk e Falcão para o lado dos azuis e golo de Cardozo para a equipa da casa. Antes, na 1ª mão, o Benfica tinha-se deslocado ao Dragão e arrecadado a vitória, com os tentos de Fábio Coentrão e Javi Garcia, que davam a passagem à final como segura. No entanto, a equipa treinada por André Villas-Boas desceu à capital para fazer virar a eliminatória e carimbar o passaporte para o Jamor, onde acabaria por vencer o troféu, ante o Vitória de Guimarães.

Quando o Benfica de Camacho venceu com Simão ao leme

Decorria a época dourada do Porto de José Mourinho, 2003/2004, quando o Benfica, orientado pelo espanhol José António Camacho, ergueu pela última vez a Taça de Portugal. Os «dragões» começaram a finalíssima em vantagem, com um golo do brasileiro Derlei, mas os encarnados empataram por Takys Fyssas e deram a volta ao texto com um golo do artista da turma benfiquista, Simão Sabrosa. Passaram 10 anos desde essa vitória, a última vez que o Benfica conquistou a Taça: desde então, o Porto conquistou-a por 4 ocasiões, o Sporting 2, com Vitória de Setúbal, Académica e Vitória de Guimarães a intrometerem-se nas conquistas até aos dias de hoje.

A primeira meia-final

A primeira edição da Taça de Portugal remonta à época de 1938/1339 e, nesse mesmo ano, Benfica e Porto também se defrontaram na meia-final da prova. Este confronto inaugural, já feito a duas mãos, foi favorável aos encarnados, que ganharam também a final, frente à Académica, por 4-3.

Não é apenas curioso que estes dois emblemas se tivessem defrontado na primeira Taça, como este embate constituiu a maior vitória em casa para ambas as equipas, em todo o seu histórico na prova. Sim, para ambas. O Porto venceu o Benfica em sua casa por 6-1, para depois as águias vencerem por 6-0, na segunda mão. O atípico contador de 13 golos marcados, em dois jogos, entre os rivais. 

VAVEL Logo