Benfica na Luz para colocar o «C» em Campeão

Faltam apenas cinco partidas para o fim, cinco partidas que separam o presente momento do término da Liga Zon Sagres 2013/2014, e, em caso de vitória frente ao Rio Ave, o Benfica coloca a primeira letra no novo epiteto de campeão nacional de futebol. Na Luz, às 20 horas, a tarefa dos encarnados é a de dominarem o adversário e angariarem mais três pontos no calmo caminho da consagração: com 7 pontos de avanço sobre Sporting e faltando apenas quatro jornadas para o fim (12 pontos em disputa), os pupilos de Jesus ficarão com a questão do título encerrada, verdade seja dita.

Máxima força excepto no miolo

Jorge Jesus poderá contar com todas as cartas do baralho vermelho, exceptuando Fejsa e Rúben Amorim, ambos lesionados. O sérvio está ainda a recuperar de uma lesão e a sua presença na Luz, diante do Rio  Ave, é ainda uma autêntica incógnita. O mesmo não se pode dizer do médio luso, que ficará certamente de fora da partida, depois de ter sofrido uma lesão no jogo contra a armada do AZ Alkmaar. Caso os dois elementos não actuem no meio-campo benfiquista, Jorge Jesus deverá dar a Enzo a companhia de André Gomes, titular no jogo da Holanda.

De equacionar é igualmente a solução representada por André Almeida: o versátil jogador pode facilmente desempenhar funções defensivas no miolo encarnado, substituindo assim os dois médios mais recuados que o plantel de Jesus possuiu. André Almeida alinhou também na partida contra o AZ, preenchendo precisamente a posição do lesionado Amorim. Uma escolha entre dois Andrés que só deverá ser revelada a poucos minutos do início do jogo. 

Rio Ave motivado não perde há 5 jogos

A equipa orientada por Nuno Espírito Santo não perde há uma mão cheia de jogos (para a liga portuguesa) e pretenderá pontuar na Luz para manter acesa a esperança europeia: em caso de triunfo forasteiro, os vilacondenses perfazem 34 pontos, os mesmos que o Marítimo, mostrando assim as garras a uma possível qualificação para as competições europeias da próxima temporada. Se vencer, o Rio Ave apenas ficará a quatro pontos de distância do Nacional, quinto classificado da Liga.

A última derrota do conjunto vilacondense foi a 22 de Fevereiro, diante do Sporting: 1-2 favorável aos «leões», que até começaram a contenda a perder, depois de um auto-golo de Maurício. Desde então, o Rio Ave empatou por três vezes e venceu por duas, ambas as vitórias fora de casa, «habitat» que os vilacondenses tanto gostam: 1-2 sobre o Gil Vicente e 0-1 no reduto do surpreendente Estoril. Não é de estranhar esta forma eficaz longe de casa: a formação de Nuno Espírito Santo junta 8 vitórias na Liga, sendo 6 delas obtidas fora do seu próprio estádio.

Nona vitória no horizonte vermelho

O Benfica vive um intenso período vitorioso na Liga, com 8 jogos a ganhar de modo consecutivo, período que começou a edificar-se desde o empate em Barcelos, 1-1. Os encarnados levam já 16 golos assinados nesse espaço temporal, tendo consolidado a sua candidatura a melhor equipa desta Liga nacional. A forma caseira dos encarnados é invejável: nenhuma derrota na competição, apenas dois empates (1-1 contra Belenenses e 2-2 diante do Arouca), números que mostram a superioridade das «águias» sempre que jogam na Luz.

De referir ainda que a formação que lidera a Liga não sofre qualquer golo no Estádio da Luz (para o campeonato) desde o empate a duas bolas contra o Arouca, no dia 6 de Dezembro de 2013. O Rio Ave tem, incontornavelmente, uma missão quase impossível na Luz, já que tanto os registos ofensivos como os defensivos dão todo o favoristismo aos benifquistas: o Benfica marcou em todos os 12 jogos efectuados em casa, tendo apenas sofrido 5 golos. 

Cardozo «ansioso» volta ao banco

O ponta-de-lança paraguaio persegue o golo mas a sua sorte não tem dado a resposta desejada: Cardozo não marca desde o mês de Novembro, quando desferiu três golos nas redes guardadas por Rui Patricio, no célebre 4-3 para a Taça de Portugal. Lesionado durante a batalha da Luz diante do rival lisboeta Sporting, Cardozo ausentou-se por três meses, voltando à competição no empate em Barcelos, desperdiçando inclusivamente uma grande penalidade ao cair do pano. Apesar de gozar de titularidades ocasionais, principalmente na Liga Europa, Tacuara não tem sido capaz de festejar qualquer golo: em dez presenças (cinco como titular), o paraguaio não comemorou ainda nenhum golo.

Ukra, Braga e Hassan são ameaças a vigiar

Um dos maiores perigos do Rio Ave reside nas suas alas e na forma acutilante como Ukra e Braga exploram os espaços deixados pelos adversários. O extremo Ukra é o melhor marcador da equipa nesta edição da Liga, com 4 tentos rubricados. Braga, experiente avançado versátil, é outra das armas apontadas à baliza de Oblak, enquanto que Hassan, retornado aos golos, poderá ser a opção mais avançada da equipa vilacondense. 

VAVEL Logo