Porto em casa, jogo seguro

Quarenta e cinco minutos bastaram para que o Futebol Clube do Porto fizesse o resultado final. O bis de Jackson e o golo de Ghilas ditaram o 3-1 no marcador, contra uma Académica que se revelou bem organizada e bem preparada para lidar com os actuais campeões nacionais. Com cinco mudanças no onze inicial, Luis Castro viu descansar o onze principal para o jogo de quinta-feira com o Sevilha e depois do terceiro lugar seguro por mais uma jornada o técnico azul e branco tem agora o merecido descanso até à chegada das competições europeias. Com este jogo, Luís Castro conta com nove partidas ao comando da equipa e seis vitórias, todas em casa.

Um resultado injusto para a equipa de Sérgio Conceição que de tudo fez para inverter o resultado no marcador. Salvador Agra esteve em destaque por diversas vezes contudo foi pelos pés de Marcos Paulo que o golo chegou para a equipa da Briosa. Destaque ainda para o juiz da partida, Manuel Mota, que depois de um choque violento com um jogador da Académica ficou impossibilitado de apitar a segunda parte do encontro, sendo o apito dado ao quarto árbitro, Ricardo Coimbra.

A dupla resolução

Luis Castro deu descanso a Quaresma, colocou Ricardo e Abdoulaye na defesa e apostou a meio-campo com Quintero e Herrera. No lugar do harry potter ficou Ghilas. A alteração parecia arriscada, contudo os resultados apareçam cedo. Corria o minuto 4 quando Jackson voltou a mostrar o porquê de ser o melhor marcador da Liga Zon Sagres. Depois de um grande passe de Herrera, Ghilas aproveitou e assistiu Jackson, que de cabeça fazia o 17º golo na Liga e o primeiro do jogo. O Porto estava agora na frente do marcador e caso não aparecessem mais golos os actuais campeões nacionais precisavam apenas de garantir que a Académica não fazia o golo na baliza de Fabiano. 

Apesar da entrada forte da equipa da casa, a Académica não desistiu e desde cedo Salvador Agra começou a criar o perigo e a desconcentrar a defesa azul e branca. Valendo mais uma vez o anjo Fabiano a negar o empate. E numa altura em que a superioridade passava a ser da equipa da Briosa, o golo do FC Porto apareceu. Depois da assistência para o golo de Jackson no inicio do jogo, Ghilas fez mesmo o gosto ao pé. Num remate picado e num ângulo impossível o argelino trocou as voltas a Ricardo. Estava feito o segundo do Porto. 

A confiança da equipa de Sérgio Conceição diminiu ao passo que aumentou a do FC Porto aumentou. Os lances de ataque aumentaram assim como a concentração no que à defesa diz respeito e pouco mais de vinte minutos depois apareceu o terceiro golo. Quintero foi travado em falta na grande área e Manuel Mota aplicou o castigo máximo.Na conversão Jackson não perdoou. A luva de Ricardo ainda tocou na bola, mas o pontapé foi forte e a defesa tornou-se impossível. 

Marcos: a estrela de Coimbra 

O 3-0 ao intervalo dava ao Futebol Clube do Porto a tranquilidade necessária para encarar a segunda parte de frente e sem preocupações. Luis Castro e Sérgio Conceição não fizeram alterações e voltaram a confiar nos 22 em campo. A tranquilidade tomou conta da equipa azul de tal maneira que se não voltasse a ser Fabiano os lances de Makelele e Savador Agra tinham dado o golo logo a inicio do segundo tempo. 

E tantas vezes o cantâro vai ao fonte que um dia acaba por lá ficar. Marcos Paulo já tinha marcado nos três últimos jogos e a prestação na Invica estava apagada, mas a verdade é que depois de uma grande jogada, Rafael Lopes assistiu o avançado para o golo de honra da equipa visitante. Depois da passividade dos primeiros minutos, o FC Porto acordou. Varela deu lugar a Quaresma e Alex Sandro deu lugar a Danilo. O ritmo de jogo aumentou e as boas oportunidades voltaram a aparecer. Herrera, Fernando, Quaresma e Jackson tiveram várias oportunidades de golo, mas até ao final do jogo Ricardo continuou a defender, qual redenção do primeiro tempo. 

Tudo a postos para Sevilha

O terceiro lugar está agora garantido por mais uma semana e as atenções centram-se agora na Liga Europa. Com o descanso do onze habitual, Luis Castro tem tudo preparado para a ida à Sevilha, contudo o treinador azul e branco continua a não poder com Jackson e Fernando por castigo. 

O jogo de quinta-feira vai ser a prova de fogo para o treinador azul e branco que em nove jogos à frente da equipa conta com seis vitórias em casa , 2 fora e uma derrota na visita ao Sporting em Alvalade.

VAVEL Logo