Grupo A do Mundial 2014, jornada 1

Grupo A do Mundial 2014, jornada 1

Nos primeiros dos jogos da Copa do Mundo os árbitros foram os principais protagonistas. Um grupo que tem as duas selecções americanas na liderança. Neymar e Herrera foram as figuras de destaque entre os jogadores que participaram neste primeira jornada.

Robayna
Miguel G. Robayna

O Mundial começou com várias surpresas. A primeira de todas elas a cerimónia de inauguração onde nem Dilma Rousseff, presidente do Brasil, nem Joseph Blatter, presidente da FIFA, fizeram o tradicional discurso de abertura do evento para evitar  assobios como na ConfeCup há um ano.

Mas a grande surpresa foi já com a bola a rolar sobre o relvado de São Paulo. Quando a Croácia marcou o primeiro golo desta Copa do Mundo do Brasil, ainda assim, os anfitriões acabaram por ganhar num jogo marcado por um erro de arbitragem. Protagonismo que se repetiria no segundo jogo do grupo A.

Classificação Grupo A
Selecção Pontos Vitórias Empates Derrotas D. Golos
Brasil 3 1 0 0 +2
México 3 1 0 0 +1
Camarões 0 0 0 1 -1
Croácia 0 0 0 1 -2

Brasil 3 – 1 Croácia. Neymar e pouco mais

Apesar de ter conseguido dar a volta ao resultado, o Brasil deixou algumas dúvidas. Dúvidas que de certeza estão longe de Felipe Scolari, a equipa jogou no estilo de sempre: pressão alta, posse de bola  e individualidades que resultam. 

Golo da Croácia. Foto: Pool | Getty Images

Nesse sentido Kovac tinha o trabalho de casa feito e a Croácia começou a acumular homens a meio-campo,  deixando os corredores para que Hulk e  Oscar tentassem uma e outra vez cruzamentos que não tinham remate, mas geravam cantos que acabavam por ser perigosos para a baliza do Pletikosa. O rápido ataque croata começou a surtir efeito e aos dez minutos já a bola estava no fundo da baliza de Julio César, depois de um autogolo de Marcelo.

Num cenário que se revelava muito negro para o Brasil, só a estrela da  era capaz de abrir espaços na defesa contrária. E foi mesmo Neymar a restabelecer as contas e a fazer o golo do empate depois de um disparo fora de área. Com o golo do empate feito, Neymar fez despertar os melhores minutos dos brasileiros, que aproveitaram o golpe moral para dispor das melhores oportunidades da partida.

Oscar no remate para o terceiro. Foto: Getty Images

Sem alterações no resultado até ao intervalo, a Croácia aproveitou a passagem pelo balneário para recuperar mentalmente para a segunda metade, porque bem precisou. Principalmente depois de o árbitro japonês se inventar um penálti sobre Fred, que caiu na área depois de um contacto muito leve com o defesa croata. Pletikosa quase evitou o segundo golo de Neymar, mas o ‘dez’ não desperdiçou a oportunidade.

A Croácia continuou à procura do golo e Júlio César teve de aparecer para evitar o empate, que acabou por chegar com um golo mal anulado com envolvido em polémica por uma alegada falta feita ao guarda-redes brasileiro. Com os croatas dispostos a empatar, Oscar aproveitou outro roubo a meio-campo para fazer o terceiro à entrada da área. O jogo já estava no fim e com o 3-1 final, o  Brasil ganhava os primeiros três pontos com polémica e sobretudo graças a Neymar.

México 1 – 0 Camarões. Herrera e Aguilar guiam ao americanos

Depois de uma época fraca no Porto, Héctor Herrera voltou a mostrar-se como o bom jogador que é no primeiro jogo dos mexicanos. O médio foi o chefe do centro do campo, fazendo inútil o esforço do trio Enoh – Song – Mbia. Também o trabalho do Aguilar e do Layún fez que com que os extremos camaronenses estivessem muito atrás e participassem pouco no ataque.

Os dois laterais no 5-3-2 habitual de Miguel Herrera têm-se revelado peças importantes, os seus cruzamentos acabavam por criar perigo constante para a  baliza de Itanjde e cumpriram na perfeição as tarefas defensivas, seguindo rápido com a bola nas tentativas de contra-ataque dos Camarões. Apesar da qualidade e das tentativas feitas, a equipa africana  acabou por não conseguir chegar à baliza de Ochoa.

A superioridade mostrada pelo México não se refletia no marcador, porque o árbitro da partida acabou por anular dois golos a Giovani Dos Santos. Golos esses que, segundo o juiz da partida, foram feitos em posição irregular, o que não é, de todo, verdade. Ainda assim, o golo chegou com a segunda metade, depois de uma grande jogada de Herrera em combinação com Peralta e Dos Santos a bola acabou no fundo das redes contrárias.

Oribe Peralta na celebração do seu golo. Foto: Getty Images

O golo do avançado mexicano fazia justiça ao que se via no relvado e obrigou a equipa Camaronesa a tentar atacar com mais vontade que ideias. Apesar de terem tido algumas oportunidades, todas elas acabaram por não ter sucesso. Ainda assim, alguns dos remates  do mexicano ‘Chicharito’ Hernández acabaram por criar o perigo, mas não acabaram em golo e deixaram o jogo tal como estava.

VAVEL Logo
CHAT