Estoril 2014/2015: Fasquia elevada para o vôo do canário

Estoril 2014/2015: Fasquia elevada para o vôo do canário

Depois de duas épocas sempre a subir, e que culminaram com o quarto lugar na liga do ano passado, a nova época do Estoril adivinha-se exigente. Após a saída de algumas figuras importantes (incluindo o treinador Marco Silva), cabe a José Couceiro dar continuidade ao bom trabalho desenvolvido, quer a nível interno, quer a nível europeu.

Francisco_Ferreira
Francisco Ferreira Gomes

Certamente seriam poucos aqueles que, há 3 anos atrás, poderiam prever a situação actual do Estoril Praia. O Clube da Linha foi, sem sombra de dúvidas, aquele que apresentou um maior crescimento qualitativo, fazendo-se valer da qualidade do plantel e equipa técnica, aliada a uma boa gestão directiva.

Hoje os canarinhos já não podem ser vistos como uma surpresa; o brilhante quarto lugar obtido no ano passado só veio confirmar o excelente trabalho realizado, chamando também à atenção dos grandes clubes nacionais para os talentos emergentes na equipa estorilista.

Tal como na época transata, e devido à cruel lei do mercado, o plantel canarinho viu-se privado de algumas das suas mais importantes figuras, contudo, e ao contrário do ano passado, a equipa já não conta com o talento e liderança de Marco Silva. O lisboeta foi substituído por José Couceiro, figura experiente do nosso futebol e com uma brilhante passagem pelo Vitória de Setúbal na segunda metade da época passada.

No que ao plantel diz respeito, e como foi supracitado, o Estoril perdeu algumas pedras importantes, casos de Carlitos, Evandro, Tiago Gomes ou Gonçalo Santos. Contudo, os dirigentes estorilistas procuraram colmatar essas saídas, aproveitando ainda para reforçar ainda mais o plantel canarinho. Kieszek, Anderson ou Bruno Nascimento são algumas das novidades numa equipa onde a exigência e o desafio é agora maior.

Possível onze tipo

Dados do Clube

Nome: Grupo Desportivo Estoril Praia

Fundação: 17 de Maio de 1939

Participações na Primeira Liga: 23

Melhor Classificação: 4º lugar na época 2013/2014

Títulos: 2 campeonatos da Segunda Liga (2003/2004 e 2011/2012).

Plantel

Nome Posição Procedência Nacionalidade Idade
Vágner Guarda-Redes No clube desde 2009 Brasil 28
Pavel Kieszek Guarda-Redes Vitória de Setúbal Polónia 30
Rúben Dionísio Guarda-Redes Formado no clube Portugal 19
Yohan Tavares Defesa No clube desde 2012 Portugal 26
Alex Kakuba Defesa Sporting da Covilhã Uganda 23
Bruno Miguel Defesa No clube desde 2012 Portugal 31
Anderson Luís Defesa No clube desde 2010 Brasil 26
Mano Defesa No clube desde 2012 Portugal 27
Emídio Rafael Defesa No clube desde 2013 Portugal 28
Rúben Fernandes Defesa No clube desde 2013 Portugal 28
Bruno Nascimento Defesa FC Koln Brasil 23
Diego Carlos Defesa Madureira Brasil 21
Afonso Taira Médio Atlético CP Portugal 22
Filipe Gonçalves Médio No clube desde 2013 Portugal 30
Anderson Esiti Médio Leixões Nigéria 20
Diogo Baltazar Médio Formado no clube Portugal 19
Kuca Médio Desportivo de Chaves Cabo Verde 25
Diogo Amado Médio No clube desde 2012 Portugal 24
Babanco Médio No clube desde 2013 Cabo Verde 29
Tozé Médio FC Porto (empréstimo) Portugal 21
Javier Balboa Avançado No clube desde 2013 Guiné Equatorial 29
Bruno Lopes Avançado No clube desde 2013 Brasil 28
João Pedro Galvão Avançado No clube desde 2013 Brasil 22
Arthuro Bernhardt Avançado União da Madeira Brasil 31
Sebá Avançado No clube desde 2013 Brasil 22
Luiz Phellype Avançado No clube desde 2013 Brasil 20
Ricardo Vaz Avançado Formado no clube Portugal 19
Fernandinho Avançado Madureira Brasil 21

Treinador

 
Nome: José Júlio de Carvalho Peyroteo Martins Couceiro
Épocas no Clube: Estreia
Experiência: Alverca, Vitória de Setúbal, FC Porto, Portugal (sub-20), Portugal (sub-21), Lituânia (AA), Kaunas, Gaziantepspor, Sporting CP e Lokomotiv Moscovo
Títulos: 1 Taça de Portugal

A herança deixada por Marco Silva é pesada: dois anos consecutivos nos primeiros cinco lugares da liga, e duas presenças na Liga Europa e um futebol de qualidade produzido com recursos inferiores à concorrência. O agora treinador do Sporting fez o impensável com as condições que tinha, elevando o Estoril Praia a um plano de destaque no futebol português. Inconscientemente ou não, a verdade é que os adeptos canarinhos elevaram as suas expectativas nos tempos mais recentes, e obviamente querem que a equipa mantenha o mesmo nível das temporadas passadas.

Essa tarefa cabe agora a José Couceiro. Depois de uma excelente segunda volta ao serviço do Vitória de Setúbal, o treinador lisboeta tem agora a tarefa de dar continuidade ao trabalho feito no passado. Tendo em conta a enorme dificuldade em melhorar o quarto lugar obtido na temporada transacta, cabe a José Couceiro garantir que a equipa mantenha o nível a que vem habituando os seus adeptos.

A missão não se avizinha fácil; a saída de alguns jogadores importantes na dinâmica do plantel obriga o técnico português a reconstruir a dinâmica de jogo dos canarinhos quase de raiz. Tal reconstrução deverá ser feita com alguma celeridade, isto se os estorilistas quiserem realizar uma boa prestação, não só a nível interno, como também na Liga Europa. A temporada não começou da melhor maneira, dois jogos e apenas um ponto no campeonato são o espelho das dificuldades que o técnico luso encontrará. Trata-se de um verdadeiro teste de fogo para José Couceiro, treinador experimentado nacional e internacionalmente, e que certamente estará à altura do desafio.

O líder

 
Nome: Vágner da Silva
Épocas no clube: Inicia a sexta
Posição: Guarda-Redes
Experiência:Desportivo Brasil, Ituano, Atlético Paranaense

É o membro mais antigo do plantel, é capitão de equipa, um comandante da defesa. Vágner é, sem sombra de dúvidas, o líder da Equipa da Linha. Juntando a sua qualidade entre os postes, a uma forte voz de comando dentro e fora das quatro linhas, o guardião brasileiro é o barómetro da equipa. Ao contrário de muitos outros, Vágner tem vindo a resistir ao interesse de outros clubes, mostrando-se fiel a uma equipa que já lhe permitiu receber o prémido de melhor guarda-redes da Segunda Liga em 2011/2012.

Sobre os ombros do brasileiro está a responsabilidade de ajudar à reformação da equipa para a nova temporada. Através do seu carisma, determinação, e qualidade, é certo que o guardião canarinho será uma pedra nuclear na equipa de José Couceiro. Um garante de segurança entre os postes, e um líder que certamente ajudará a uma melhor adaptação dos reforços na dinâmica da equipa.

A não perder

  Nome: Anderson Esiti
Épocas no clube: Estreia-se
Posição: Médio Defensivo
Experiência: Formado no Leixões

O jovem nigeriano esteve com um pé no Sporting, mas acabou por assinar pelos estorilistas. Formado no Leixões, Anderson deu nas vistas na temporada passada em Matosinhos, despertando o interesse de vários clubes da Primeira LigaTrata-se de um médio defensivo muito possante, fazendo-se valer desse mesmo poderio físico para levar a melhor sobre os adversários na zona intermediária. Com um treinador habituado a lidar de perto com o futebol jovem, é de esperar que Anderson vá entrando aos poucos na equipa de José Couceiro. Com apenas 20 anos de idade, e com o palco nacional e europeu em vista, é de esperar que o nigeriano vá gradualmente ganhando o seu espaço e demonstrando toda a sua qualidade e potencial.

VAVEL Logo
CHAT