FIA considera impor velocidade máxima com bandeiras amarelas
Charlie Whiting e Jean Todt, juntos na conferência de imprensa. (foto: Sutton Images)

FIA considera impor velocidade máxima com bandeiras amarelas

Em conferência de imprensa antes do GP da Rússia, a FIA avançou que está a estudar uma opção semelhante à imposta na última edição das 24h de Le Mans.

pedro-mendes
Pedro Mendes

A proposta foi apresentada por Charlie Whiting, o director de prova das corridas de F1 e poderá entrar em efeito na prova americana, no Circuito das Américas, Texas. A opção da FIA passa por obrigar os pilotos a cumprirem uma velocidade máxima, no sector onde os comissários mostrem as bandeiras amarelas, ou seja, em caso de acidente.

Em resposta ao acidente de Bianchi

A medida que poderá ser adoptada pela FIA, visa responder às dúvidas levantadas depois do acidente de Jules Bianchi, no circuito de Suzuka e que colocou a jovem promessa francesa nos Cuidados Intensivos de um hospital japonês.

Whiting revelou que nas averiguações realizadas pela FIA ao acidente, os dados mostraram que o piloto aliviou o acelerador na zona da amostragem das bandeiras amarelas, devido à saída de pista do Sauber de Adrian Sutil, mas que não foi o suficiente, já que o Marussia entrou em aquaplanagem, o que o levou a embater contra a traseira do tractor que removia o carro de Sutil. Foi ainda revelado que o carro médico não foi prontamente enviado, porque o sensor de embate violento inserido nos monolugares, não foi accionado e a direcção de corrida foi apenas avisada pelos comissários do posto mais próximo.

Jules Bianchi continua em estado crítico. (foto in: grandprix247.com)

O sensor de embate violento foi o responsável pelo envio sem demora do carro médico e entrada do safety car, no acidente entre Felipe Massa e Sérgio Pérez no Canadá, já este ano. O accionar deste dispositivo obriga os pilotos envolvidos a serem enviados ao centro médico dos circuitos para despistagem de lesões.

Medida semelhante nas 24h de Le Mans

Nas 24h de Le Mans deste ano, prova lendária do endurance, foi imposta uma medida semelhante à agora apresentada para a Formula 1. Devido ao comprimento excepcional do Circuit de la Sarthe, que abriga a prova de resistência, a organização decidiu impor as chamadas "Slow Zones" (Zonas Lentas), em caso de ser necessário a retirada de algum veículo acidentado, já que em algumas situações o safety car não era a melhor solução. Os pilotos são avisados por meio de uma placa, que no posto seguinte têm de cumprir a velocidade máxima de 60 Km/h e quando chegam a essa zona, para além das bandeiras amarelas, é mostrada outra placa com a informação da velocidade máxima. Os pilotos podem retomar a velocidade de corrida, quando é mostrada ou a bandeira verde ou o sinal luminoso verde.

Em declarações ao site da SkySports F1, Jon Lancaster, piloto de Les Mans e de GP2, avisa que um sistema semelhante na F1, poderá funcionar em raras ocasiões, já que os circuitos por onde passa o Grande Circo são mais pequenos que La Sarthe.

Pilotos apoiam a decisão da FIA

Durante a conferência de imprensa dos pilotos, na antevisão da prova russa, estes mostraram o apoio à decisão do órgão executivo. Fernando Alonso afirmou que pediu que algo fosse feito no briefing de pilotos e que agora que se estuda esta opção, concorda.

Alguns pilotos deram como exemplo, o limitador de velocidade que já é utilizado há muito tempo na entrada do pit lane e que uma tecnologia semelhante poderia ser utilizada durante as corridas, para que não existam mais casos como o de Bianchi.

VAVEL Logo
CHAT