Valência x Real Madrid: Deus Ronaldo cai aos pés de Espirito Santo
Foto: AFP

Valência x Real Madrid: Deus Ronaldo cai aos pés de Espirito Santo

O Valência de Nuno Espirito Santo deu um banho táctico ao todo poderoso Real Madrid somando um triunfo histórico de 2-1, em jogo a contar para a jornada 17 da Liga BBVA.

francisco-dias
Francisco Dias

A partida grande da jornada 17 da Liga de nuestros hermanos opôs o surpreendente Valência ao galáctico Real Madrid e foram os comandados de Nuno Espirito Santo a levar a melhor com um triunfo por 2-1. Com este desaire os blancos interrompem uma serie extra planetária de 22 vitórias consecutivas em jogos oficiais. Na tarde de estreia de Enzo Pérez com a camisola do Valência, destaque para as exibições de André Gomes e Otamendi que derrubaram os astros merengues como Cristiano Ronaldo, James ou Bale, numa partida intensa electrizante e disputada ate ao último suspiro.

Colectivo do Valência derruba individualidades galácticas

No mítico Mestalla, Valência e Real Madrid encontraram-se nesta tarde de domingo num autêntico espectáculo do desporto rei. Com lotação esgotada desde a passada segunda-feira, o técnico português Nuno Espirito Santo alinhou com um sistema táctico bastante interessante compondo um 3-5-2. Com este desenho táctico o treinador luso reforçou o meio-campo e promoveu desde inicio uma pressão alta asfixiando por completo o Real Madrid, que se apresentou no Mestalla com uma estratégia demasiado ofensiva.

Com Enzo, Pareja e André Gomes no miolo a pressão foi intensa e nem Kroos, Isco ou James tiveram engenho para contornar a organizada, coesa e dinâmica formação de Nuno Espirito Santo. A inteligência do técnico português deixou Bale, Ronaldo e Benzema tapados pelo último reduto do Valência retirando a habitual avalanche ofensiva e goleadora que os madrilenos costumam imprimir de forma temível a todos os seus adversários.

Do jogo propriamente dito destaque para os primeiros 10 minutos, período em que o Valência promoveu um pressing fantástico que encostou o Real Madrid para o seu meio-campo. Nesta fase inicial relevo para o português André Gomes que conduziu o esférico de forma criteriosa, criando lances de perigo que ainda assustaram as redes de Casillas. Ainda no 1º quarto de hora e contra a corrente de jogo eis que surgiu o lance que precedeu o 1º golo da partida. Com um canto a seu favor, o Real Madrid beneficiou com uma mão na bola do defesa valenciano sem que o juiz da partida tivesse qualquer dúvida em assinalar grande penalidade. Para converter o castigo máximo quem mais poderia ser senão o craque, o deus, o herói, CR7 que furou as redes de Diego Alves, somando já uns impressionantes 26 golos em apenas 15 partidas em que o luso participou.

O golo sofrido foi um duro golpe para as aspirações do Valência que dominaram territorialmente o jogo ficando um sabor amargo a injustiça. Os merengues galvanizados com o tiro certeiro subiram no terreno resistindo à pressão e à dinâmica do meio-campo valenciano. Até à meia hora, os blancos recorreram do talento de Bale, James e Ronaldo e com alguns remates tiveram perto de ampliar para 0-2. Nos últimos 10 minutos da 1ª parte, o Valência voltou a ficar por cima no jogo e a figura foi sem dúvida André Gomes, que esteve endiabrado a ludibriar os defesas do Real Madrid chegando mesmo a rematar por 3 ocasiões ficando muito perto do empate. Ao intervalo, o resultado era claramente injusto, ficando ainda a nota para um 1º tempo demasiado faltoso com 7 cartões amarelos.

Em desvantagem no marcador, o treinador do Valência pediu aos seus jogadores para intensificarem ainda mais a pressão sobre os jogadores do Real Madrid, pedindo a Enzo Pérez que recuasse ligeiramente no terreno para dar ainda mais liberdade a André Gomes para as manobras ofensivas. Com esta alteração técnico-táctica, o ex-Benfica Enzo melhorou significativamente o seu desempenho nas 4 linhas, perfumando o Mestalla com toda a sua classe que irá deixar saudades aos adeptos da Luz. À semelhança do que aconteceu no 1º tempo, os homens da casa começaram mais fortes, com relevo para lances de verdadeiro perigo protagonizados por André Gomes e Negredo. O português esteve mesmo a centímetros de facturar, destacando-se como sendo a principal figura dos valencianos. Num dos primeiros lances da 2ª parte, o luso rematou forte e colocado com o esférico a passar perto do poste de Casillas.

Duelo de argentinos contra Ronaldo (Foto: EPA/Juan Carlos Cardenas)

Com um Real Madrid cada vez mais recuado e sem dinâmica no meio-campo, destaque para Barragán que aos 51 minutos surgiu solto na área madrilena para repor a igualdade num tiro potente que ainda ressaltou no internacional português, Pepe. Restituída a igualdade no encontro e com o apoio incrível das bancadas, o Valência partiu em busca da vantagem e foi de forma merecida que aos 64 minutos, o ex-Portista Otamendi cabeceou de forma soberba na sequência de um canto, beneficiando da deficiente defesa merengue que estava desorganizada e distraída. Quando se esperava que o Real Madrid arrisca-se tudo e pressiona-se mais alto a verdade é que o tão falado banho táctico que Nuno Espírito Santo impôs, voltou a emergir com o técnico português a promover algumas alterações na equipa fechando a 7 chaves o esférico no seu meio-campo. A procurar o empate de forma desesperada, relevo apenas para um remate de Isco e outro de Ronaldo que ainda assim não foram suficientes para quebrar a vantagem justa e merecida do colectivo valenciano, que tudo fez para somar os 3 pontos. 

Otamendi e André Gomes as figuras do partidazo

Individualmente é de realçar que no lado do Valência, Otamendi e André Gomes estiveram absolutamente imperiais com exibições luxuosa dignas de 2 craques. No caso do ex-Portista Otamendi é de realçar, para além do golo marcado, a concentração que o central teve no último reduto com um posicionamento extraordinário que se reflectiu em cortes sucessivos evitando lances de perigo de Ronaldo, Bale e companhia. O português André Gomes parecia estar em todo o lado e beneficiou do entendimento com Enzo Pérez para se libertar no terreno, ajudando a pressionar o adversário sem esquecer as manobras ofensivas onde esteve por quatro ocasiões pertíssimo de balançar as redes contrárias. Com este triunfo histórico, o Valência volta a vencer em sua casa frente ao Real Madrid 6 anos depois, ocupando neste momento um fantástico 4º lugar com 34 pontos, apresentando-se como um candidato ao pódio.

O Real Madrid teve claramente uma tarde desinspirada e desta vez nem mesmo Cristiano Ronaldo bastou para vencer. É de salientar que James, Bale e Benzema estiveram aquém da qualidade que lhes é reconhecida, mas a crítica é também dirigida à táctica de Ancelotti que se apresentou em Valência com uma estratégia demasiado ofensiva, com um meio-campo demasiado premiável que não foi capaz de contornar a pressão e o poder colectivo dos comandados de Nuno Espirito Santo.

Apesar da derrota, os galácticos mantêm bem vivas as aspirações de manter o 1º lugar uma vez que ainda têm um jogo em atraso da 16ª jornada. Neste momento os blancos encontram-se no topo com 39 pontos mas perdem a invencibilidade de ter triunfado por 22 jogos oficiais de forma consecutiva. Para a história fica na retina um grande jogo de futebol bem disputado com um triunfo justo do Valência, com um colectivo que brilhou muito mais do que os astros individuais do Real Madrid.

 

VAVEL Logo
CHAT