Caterham e Marussia sem solução à vista
Caterham e Marussia sem solução à vista. (Foto: EPA)

Caterham e Marussia sem solução à vista

Afundadas em dívidas, Caterham e Marussia viveram uma difícil época em 2014, e a ameaça do seu desaparecimento paira sobre ambas, já que os investidores que lhes permitiriam competir em 2015 insistem em não aparecer.

hugopalmeida
Hugo Picado de Almeida

Com menos de um mês para o primeiro teste da época no circuito de Jerez, em Espanha, a Marussia e a Caterham parecem ter cada vez mais próximo o fim da sua participação no "grande circo" da F1, uma vez que nenhuma das equipas anunciou ter chegado a acordo com nenhum investidor.

Caterham tem missão difícil, Marussia quase impossível

A Caterham, que ainda reuniu fundos para competir na última corrida de 2014 em Abu Dhabi, após falhar os GPs de EUA e Brasil, diz continuar em conversações com potenciais interessados, “mas se um comprador não for encontrado antes do teste (em Fevereiro), não avançaremos com dinheiro para competir”, afirmou o administrador Henry Shinners à BBC.

Ainda assim, a Caterham terá conseguido chegar a um acordo que lhe permitirá apresentar-se na próxima temporada com o seu carro de 2014, se tal for necessário.

Cenário mais negro parece ser o da Marussia, agora sob a designação Manor F1 Team. Recorde-se que a equipa, que inclusive falhou os últimos três GPs de 2014, viu grande parte dos seus bens recentemente vendidos em leilão para o pagamento de dívidas, a maioria dos seus técnicos rescindiu com a marca, e há rumores de que a própria sede da Marussia, em Banbury, poderá ser vendida à Haas F1, que ali pretende instalar a sua equipa para a estreia na F1 em 2016.
“Ainda há uma magra esperança, mas está a tornar-se extremamente tarde.”, confessou John Booth, director da Marussia.
 

VAVEL Logo
CHAT