Clube de Alvalade corta relações institucionais com as águias

Clube de Alvalade corta relações institucionais com as águias

Foi esta terça-feira que o Sporting emitiu um comunicado onde anunciava o corte de relações com o clube rival. Em causa estão os eventos ocorridos no passado fim-de-semana nos dérbis de futebol e futsal.

beatriz-goncalves
Beatriz Gonçalves

Após o anúncio do fim do blackout leonino por Bruno de Carvalho, o Sporting anunciou esta Terça-feira o corte de relações institucionais com o clube da Luz, que defrontou em duas ocasiões no passado fim-de-semana. O Sporting relembra os acontecimentos nos dérbis de futsal e futebol, estando os mesmos na origem desta medida – não só pelas atitudes dos adeptos, mas também pela falta de reação por parte dos dirigentes do Benfica.

Num comunicado dividido em diversos pontos, o conselho diretivo do clube relembra que «no passado sábado, dia 7 de fevereiro, no pavilhão da Luz (…) foi exibida a toda a largura de um dos topos das bancadas uma faixa com a inscrição: “Very light 1996”. Esta inqualificável frase é uma alusão ao bárbaro assassinato do adepto leonino Rui Mendes», referindo-se não só a exibição da tarja mas também aos cânticos que a acompanharam, proferindo «amanhã há mais», naquilo que o Sporting definiu como uma «clara ameaça de repetição do acto». Face ao acontecido no futsal, o comunicado realça ainda o que se efetivou no dia seguinte, aquando do dérbi de futebol em Alvalade, quando “as ameaças proferidas na véspera (…) vieram a concretizar-se com o lançamento indiscriminado por parte dos adeptos do SLB de artefactos pirotécnicos sobre os adeptos do Sporting».

Contudo, não é unicamente a atitude dos adeptos que leva a este corte de relações entre verdes e encarnados. De facto, a direção do Sporting condenou a falta de manifestação por parte da SAD Benfiquista, visto que Luís Filipe Vieira «visualizou a referida faixa e não tomou qualquer medida na altura”, nem emitiu qualquer declaração a condenar o ato. De facto, o comunicado atribui especial realce a este aspeto: «quando se esperaria, pelo mais elementar bom-senso, uma declaração de reprovação e demarcação, por parte dos órgãos dirigentes do SLB, vem o seu porta-voz oficial (…) qualificar toda esta situação denunciada pelo Sporting de «folclore», referindo-se às declarações de João Gabriel em relação à crítica efetuada por Bruno de Carvalho no seu facebook oficial.

Neste sentido, o Sporting relembrou um incidente de 2013, onde adeptos do clube queimaram um cachecol do rival e atacaram uma carrinha onde estavam membros do staff das águias, onde foi logo imitido um comunicado a condenar o comportamento dos adeptos e onde o clube se demarcava de «qualquer ato de violência, dentro ou fora dos recintos desportivos», atitude que o Benfica ainda não foi capaz de tomar.

«Face a tudo o que foi anteriormente relatado e em prol da defesa dos mais elementares valores humanos e da dignidade do Sporting Clube de Portugal», continua o comunicado, «não nos resta outra alternativa que não seja o corte de relações institucionais com o SLB e levar estes casos às entidades competentes, levando os mesmos até às últimas consequências»

VAVEL Logo
CHAT