1-0, TALISCA, MIN. 41 2-0, PIZZI, MIN. 45+7 3-0, JONAS, MIN. 73
Benfica na final da Taça da Liga: 'penalties' abateram ímpeto sadino
Foto via: RR Sapo.pt

Benfica na final da Taça da Liga: 'penalties' abateram ímpeto sadino

O Benfica recebeu ontem o Vitória de Setúbal e ganhou, calmamente, por 3-0, beneficiando de duas grandes penalidades que deram sólida vantagem às águias. Com o triunfo caseiro, o Benfica carimbou a passagem à sua sexta final da Taça da Liga.

vavel
VAVEL

Meia-final da Taça Liga, Benfica favorito e Vitória de Setúbal afoito - assim começou a partida de ontem. Os sadinos entraram com garra e total atrevimento, subindo no terreno e impressionando pela pose descomplexada e pendor ofensivo. O Benfica, surpreso, viu Lisandro negar o golo certo a Pelkas logo nos primeiros minutos. Mas a boa entrada sadina foi contrariada por duas grandes penalidades que deceparam as esperanças do Vitória de Setúbal.

'Penalties' esbateram boa entrada sadina

A vitória benfiquista começou a desenhar-se após falta assinalada, dentro da área de rigor, sobre o jovem Gonçalo Guedes, titular ao invés de Salvio. Advincula foi punido com cartão vermelho directo e a formação de Bruno Ribeiro jogou coxa daí em diante. Talisca não vacilou e abanou as redes do alemão Raeder, fazendo o 1-0; o segundo golo caseiro nasceu de nova falta na área sadina, agora sobre o longilíneo brasileiro - Pizzi encarrgou-se de marcar o 2-0.

Sexta final do Benfica em oito edições da Taça da Liga

Findado o ímpeto sadino, o jogo prosseguiu numa calma toada de controlo encarnado - o Benfica dominou as incidências da partida e ainda aumentou a vantagem, após boa combinação entre Ola John e Pizzi, Jonas, friamente, fixou o resultado em 3-0. Desta feita, o Benfica garantiu a passagem à final da Taça da Liga, aquela que será a sexta final na prova desde a sua fundação, na temporada 2007/2008.

O Vitória de Setúbal, vencedor da primeira edição da prova (bateu, nas grandes penalidades, o Sporting), fica pelo caminho depois de ter encetado um percurso interessante na competição: qualificou-se na primeira colocação de um grupo difícil que tinha como cabeça-de-série o Sporting. A boa entrada sadina prometia um jogo renhido mas as duas grandes penalidades (e a expulsão do peruano Advincula) terminaram com as possibilidades de uma partida bem disputada e equilibrada.

Amorim de regresso cinco meses e meio depois

Um dos grandes destaques desta partida foi mesmo o regresso do recuperado Rúben Amorim (entrou a meio da segunda parte), passados cinco meses e meio de calvário. O médio português lesionou-se na partida da segunda jornada da Primeira Liga, contra o Boavista (no sintéctico do Bessa) e desfalcou as águias durante dezoito jornadas - agora apto será mais uma opção de nível para Jorge Jesus reforçar o meio-campo.

VAVEL Logo
CHAT