Recta final da Liga NOS: Faltam 10 etapas ao 'sprint'

Recta final da Liga NOS: Faltam 10 etapas ao 'sprint'

A dez jornadas do final da Liga NOS, praticamente todas as lutas se encontram em aberto, prometendo muita emoção até final.

rafaelreis
Rafael Reis

Chegada a 24ª jornada, esta ronda pode e deve ser vista como um marco para esta edição da Liga NOS visto que se encontra a precisamente dez jornadas do final. Pode então ser encarado como um momento para se fazer um ponto da situação a todas as disputas que encerram tanto os primeiros como os últimos postos numa prova que até há alguns meses parecia sofrer com as divergências pela liderança da Liga de Clubes que rivalizavam com o próprio espectáculo desportivo.

Felizmente para o futebol nacional que apesar de semana a semana se alterarem as ‘obrigatórias’ polémicas e casos dos mais importantes encontros, o que vem reinando é mesmo a bola e comecemos pelo mais importante e mediático, a acesa luta pela conquista do título nacional, que ainda se mantém por mérito do FC Porto.

O dragão procurará ter por modelos as recentes recepções a Sporting e Basileia, para a Liga e Liga dos Campeões respectivamente, como pontos altos de uma reacção que tem exibido uma equipa em crescendo mas ainda assim ligeiramente menos brilhante na prova doméstica do que comparativamente com a Champions. Mesmo assim, a equipa parece na máxima força, mesmo quando se encontra privada de estrelas como Jackson Martinez ou Danilo.

Tem sido visível o bom trabalho de construção de Julen Lopetegui, que procura recuperar o terreno perdido numa anterior fase em que poderá ser justamente acusado de ter sido evasivo e de ter apontado demasiadas baterias em prol da Liga dos Campeões em detrimento da Liga NOS, apresentando como obrigação manter o Estádio do Dragão como fortaleza depois de ter sido neste mesmo palco derrotado pelo Benfica e ter sofrido alguns calafrios em ocasiões diversas.

Para cúmulo, será complicado transpor o líder e campeão em título Benfica, que se distingue dos restantes concorrentes pela segura e muito experiente defesa muito importante em vários momentos da temporada e pela vantagem pontual de quatro pontos que até poderá ter o valor de cinco caso o FC Porto não vença na Luz por três golos de diferença que permite às águias poder até apelar a algum factor sorte caso alguma das próximas partidas não venha a correr pelo melhor.

Benfica segue como líder (Foto via: A Bola)

O primeiro e ao mesmo tempo um dos mais determinantes obstáculos tem lugar no próximo Sábado frente ao SC Braga, bastando recordar-se que na primeira volta no encontro disputado no Minho se assistiu a uma partida de enorme intensidade que apenas fará com os adeptos anseiem por mais.

É sempre mais fácil gerir para quem se encontra no topo e tudo se facilita quando existe margem de erro, um enorme ponto a favor para os encarnados que em caso de vitória ante os arsenalistas ganharão um fôlego extra para segurar a vantagem detida e neste momento controlam a revalidação do título.

Como tal, o Benfica terá em breve uma possibilidade marcante de provar que se encontra perto de conduzir uma vez mais os seus adeptos a uma acesa festa no Marquês de Pombal (ver-se-á se a mais um discurso elogioso do Presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, nos Paços do Concelho, dependendo do final do caso relacionado com a isenção de taxas com a Câmara Municipal).

Para além da luta pelo título, Sporting e Braga disputam ainda o terceiro lugar

Mais ‘descansados’ em termos de objectivos imediatos estarão neste momento Sporting e o já referido SC Braga com o terceiro posto. Parece evidente esta temporada o ‘fosso’ qualitativo que separa as quatro equipas melhor classificadas em relação às restantes, podendo separar-se por completo Benfica, FC Porto, Sporting e Sporting de Braga em relação aos restantes concorrentes entre os quais alguns disputarão as duas vagas que restam para a Liga Europa.

Esses ‘bilhetes’ serão atribuídos ao 5º posto e provavelmente o 6º desde que Sporting e Sp. Braga cumpram o favoritismo que se lhes aponta e protagonizem a final da Taça de Portugal. No caso dos leões, bastaria ‘apenas’ manter um nível satisfatório para assegurar aquele que seria visto como uma meta mínima no início da época, a presença no playoff de acesso à Liga dos Campeões.

No entanto, tendo em conta a dimensão do clube e o facto de não interessar quem veste a sua camisola ou qual é o seu oponente pois será sempre a entidade Sporting a ser representada os leões devem aos seus apoiantes e ao futebol nacional uma ponta de final de época ao mais alto nível possível, ainda mais devido à pujança demonstrada pelo seu presidente, Bruno de Carvalho, na defesa do clube em ‘hasta pública‘.

Ao mesmo tempo, o polémico dirigente cumpre um intratável trabalho de recuperação financeira, restando saber quais os resultados finais do que aos relvados diz respeito. Para que o pódio seja uma realidade apenas se exigirá ao Sporting repetir as jogadas colectivas que os conduziram a uma boa carreira na Taça.

Como acréscimo, o emblema de Alvalade esperará também para tal que na frente de ataque o habitual titular Islam Slimani conte com uma alternativa credível, algo que não tem sucedido e facilmente se percebeu aquando da sua ausência ao serviço da Argélia na CAN ainda que o técnico Marco Silva tenha preferido não reconhecer publicamente, como um eventual retorno aos golos de Fredy Montero como havia sucedido na fase inicial da época.

Já no que concerne aos bracarenses, terão completamente na sua mão o quarto lugar justificado com uma forma de jogar muito agradável para o público, muito sustentada por um valor como Pedro Tiba, já reconhecido com uma chamada à Selecção pelo percurso que tem apresentado até este momento e o maior impulsionador da forma como a equipa constrói e procura o golo até aos instantes finais.

Esse estilo atractivo e atacante beneficia a acção de homens de ataque como Zé Luís ou até Éder, que vai vivendo na ’sombra’ do cabo-verdiano depois de ter concluído a temporada anterior integrado na Selecção Nacional na disputa do Mundial 2014, prova na qual participou nos três encontros em que a equipa nacional esteve presente, com uma pequena réstia de esperança em aproximar-se do Sporting até final.

Despique pelas vagas europeias mantém-se aceso, assim como a fuga à despromoção

Com o Vitória de Guimarães bem instalado no 5º lugar, uma palavra a dizer em relação à luta pelo sexto posto poderá ainda ter o Rio Ave, que ao estar a cinco pontos do lugar ocupado neste momento pelo Belenenses com o Paços de Ferreira nos seus ’calcanhares’ e ainda vir a disputar a meia-final da Taça marcará outro dos focos de interesse nestes últimos dez encontros de Liga.

Apresentando em destaque o lateral esquerdo Tiago Pinto, que estará a ser observado como possibilidade para a Selecção Nacional, os vila-condenses serão entre os conjuntos que ainda ambicionam um lugar europeu aquela que melhor estará talhada para jogar em transição, o que poderá ser determinante para recuperar o atraso pontual que actualmente se verifica.

Refira-se, todavia, que a concretizar-se tal constituiria um feito tendo em conta que até final da época o Rio Ave ainda defrontará Benfica e FC Porto. Outro conjunto que ainda poderá vir a fazer parte dessa luta é o Marítimo, que soma para já os mesmos pontos e possui argumentos para levar a melhor nesta disputa europeia caso encontre o seu caminho em termos defensivos.

Dessa forma os insulares fariam jus à qualidade que apresenta na baliza, sector defendido por unidades de qualidade insuspeita como Romain Salin ou o jovem internacional sub-21 José Sá. Tal como o Marítimo, o seu vizinho Nacional faz também parte da luta, posicionando-se mesmo dois pontos à frente dos seus rivais,

O emblema da Choupana detém ainda a vantagem de depender apenas de si para assegurar o seu lugar na Liga Europa, algo que sucederia de forma automática em caso de vitória na Taça ou pelo menos presença na final caso o adversário fosse o SC Braga.

No entanto, para isso seria necessária uma improvável mas não impossível noite histórica em Alvalade para a qual, tal como o eventual sucesso nestas últimas dez rondas de Liga, terá forçosamente de se verificar a perda da dependência de unidades como Marco Matias e Lucas João, praticamente as duas únicas fontes produtoras de golos para a equipa.

Para além das entusiasmantes disputas pelo título, pódio e lugares europeus resta a luta pela permanência, na qual se encontram oito equipas com argumentos semelhantes que fazem prometer uma batalha apertada cujo epílogo estará marcado para o último segundo da derradeira jornada desta Liga. Não se perca qualquer um destes sprints…

VAVEL Logo
CHAT