SC Braga em todas as frentes: ganhar ou morrer na praia?
SC Braga 2-2 Sion // Foto: Facebook do SC Braga

SC Braga em todas as frentes: ganhar ou morrer na praia?

Em pleno mês de Fevereiro, o SC Braga está ainda envolvido na Liga NOS, Taça de Portugal, Taça da Liga e Liga Europa. Trata-se da única equipa lusa a competir em 4 provas, espelhando a incrível época da equipa guerreira de Paulo Fonseca.

francisco-dias
Francisco Dias

Na passada Quarta-Feira, o SC Braga eliminou o Sion e apurou-se para os oitavos de final da Liga Europa. Esta proeza tem colocado os minhotos na grande montra europeia, sendo os arsenalistas a única equipa lusa a poder entrar em campo para disputar 4 provas distintas. Na Taça da Liga e de Portugal os bracarenses perfilam-se como fortes candidatos a conquistar os troféus, e na Liga Europa tudo pode acontecer. No campeonato o título é uma miragem, mas o quarto lugar seguro não deixa de ser um excelente posto para uma equipa organizada taticamente e com jogadores talentosos como Alan ou Rafa.

Liga Europa: brilhante percurso

Em setembro de 2015, o Braga conheceu o seu grupo na Liga Europa e teve de enfrentar o Marselha, Slovan Liberec e Groningen para se apurar para os 16 avos de final. No grupo F os minhotos perderam apenas um dos 6 confrontos e apuraram-se em 1º lugar com 13 pontos, carimbando uma campanha fabulosa da equipa de Paulo Fonseca. No sorteio da fase seguinte calhou em sorte os suíços do Sion, revalando-se um rival difícil de ultrapassar. Os guerreiros do minho venceram na primeira mão por 1-2 na Suíça, e em Braga o susto fez os arsenalistas tremer. Na passada quarta-feira nem mesmo a vantagem tranquilizou o futebol bracarense, e em 30 minutos o Sion anulou a desvantagem e vencia no Estádio AXA por 0-2.

Josué foi um dos autores dos golos frente ao Sion // Foto: Facebook do SC Braga
Josué foi um dos autores dos golos frente ao Sion // Foto: Facebook do SC Braga

Na segunda parte a alma minhota veio ao de cima e Josué, ao minuto 27 (grande penalidade), e Stoiljkovic, aos 48', empataram o jogo e voltaram a colocar o Braga na órbita dos oitavos. Antes da festa os espectadores sofreram nos instantes finais, com o Sion a ficar perto do golo que eliminaria a equipa lusa, com uma bola na barra a segundos do fim. Com a eliminação do Porto e do Sporting, resta ao Braga representar Portugal na Liga Europa e, quem sabe, repetir o feito de 2011 quando atingiu a final perdida para o Porto. Na manhã desta sexta-feira o sorteio ditou que será o Fenerbahçe a defrontar o SC Braga nos oitavos, com a curiosidade de reencontrar portugueses como Vítor Pereira, Bruno Alves, Raúl Meireles e Nani, pelo que se espera uma tarefa complicada para a armada de Paulo Fonseca.

Taças nacionais ao alcance do Braga

Na Taça de Portugal os arsenalistas procuram repetir a final da época passada, e para tal têm eliminado um a um todos os obstáculos que lhe aparecem. Até chegar às meias-finais os guerreiros do minho recordam com orgulho a épica batalha diante o Sporting, que registou no AXA um triunfo por 4-3 frente aos leões. Em desvantagem por 2 vezes no duelo, o Braga teve coração lutador e eliminaram os de Alvalade, dando a volta ao marcador na segunda parte do prolongamento. Com a meia-final no horizonte, os pupilos de Paulo Fonseca estão a disputar o acesso ao Jamor com o Rio Ave, tendo vencido a primeira mão por 1-0 com golo de Pedro Santos, convertendo um castigo máximo. A segunda parte da eliminatória jogar-se-á no dia 2 de março e em persgectiva teremos uma final nortenha em Lisboa, um Porto x Braga (caso se confirme o favoritismo de portistas e bracarenses). Depois da desoladora final em 2015, o Braga mantém a ambição de levantar a Taça rainha do futebol das quinas.

Na Taça da Liga o cenário é também muito favorável, com os minhotos a ganharem um grupo onde vigoraram as equipas do Rio Ave, Belenenses e Leixões. Na meia-final, os arsenalistas encontrarão o rei da prova Benfica, mas o desejo de chegar à final é gigantesco. O Braga também já venceu a competição em 2013, e é com expectativa que quererão repetir o feito.

André Pinto, Luis Carlos e Rafa: o esqueleto da equipa

Na Liga NOS a estabilidade é a palavra chave. O Braga está no quarto lugar, com 43 pontos e  9 de avanço sobre o Arouca. Para chegar aos 3 da frente os minhotos teriam de recuperar na tabela com um milagre, mas não deixam de ser o conjunto mais temido pelos ditos 3 grandes. Os crónicos candidatos ao título ainda terão o Braga pela frente, e o papel dos arsenalistas para decidir o próximo campeão será fundamental.

Foto: Facebook do SC Braga
Foto: Facebook do SC Braga

Os méritos do Braga englobam 3 factores fundamentais: uma estrutura forte, uma equipa técnica estável e um plantel variado em quantidade e qualidade. Paulo Fonseca ofereceu maior rigor tático que o seu antecessor e os guerreiros do minho são hoje uma equipa incrivelmente completa. Têm equilíbrio a defender, dinâmica a controlar o centro do terreno e velocidade/qualidade na frente de ataque. Na baliza, Marafona e Mateus dividem os postes, e é uma mais valia contar com 2 guardiões experientes, ágeis e seguros. No eixo defensivo, André Pinto é um dos centrais mais em voga, tratando-se de um jogador que oferece liderança e agressividade na marcação aos avançados. O lateral Djavan é um portento de força e resistência, aguentando os 90 minutos num ritmo alucinante a defender e a integrar o processo ofensivo.

Na virtude da equipa apresenta-se Luís Carlos, brasileiro maduro com um posicionamento tático acima da média. Este médio 6 não fica atrás de nomes como Samaris e William, dando ao Braga estabilidade no processo de sair da defesa para o ataque. Tem qualidade para alinhar num grande e raramente falha um passe. Por fim, relevo para um lote espantoso de soluções para o ataque, que permitem ao treinador rodar unidades nas diferentes posições. Entre Alan, Wilson Eduardo, passando por Hassan e Pedro Santos e ainda Rafa e Stoiljkovic. De entre estes nomes, Alan e Rafa brilham mais alto, sendo a idade o único factor que os separa, porque em qualidade e talento a tratar o esférico não poderiam ser mais similares.

Alan é uma das estrelas da equipa // Foto: Facebook do SC Braga
Alan é uma das estrelas da equipa // Foto: Facebook do SC Braga

Toda esta estrutura que compõe os bracarenses revela o segredo para uma temporada de sonho, que faz dos minhotos a única equipa a lutar em 4 frentes. Resta saber se já adquiriram a mentalidade necessária para saltar a barreira de um clube outsider que impressiona para um emblema que já não é surpresa, e que conquista os títulos que os adeptos fiéis do Braga tanto reclamam.

VAVEL Logo
CHAT