Conexão Porto Alegre - Pelotas: 12 jogadores do Brasil-RS já passaram pela dupla Gre-Nal
(Foto: Jonathan Silva / GE Brasil)

Finalista do Campeonato Gaúcho 2018, o Brasil de Pelotas conseguiu montar um elenco forte com um treinador que entende o grupo. A receita vem dando certo até o momento. São 15 neste Gauchão: sete vitórias, seis empates e apenas duas derrotas. Números que levaram o clube da zona sul do estado até a final da competição. A curiosidade fica por conta do número de jogadores Xavantes que passaram pela dupla Gre-Nal. Quatorze atletas do plantel de Clemer possuem experiência na dupla da capital.

Marcelo Pitol

Natural de São Leopoldo (Região Metropolitana de Porto Alegre), o goleiro de 35 anos surgiu no Grêmio em 2002. Jogou cinco partidas pelo tricolor e logo foi negociado com o 15 de Novembro, no ano seguinte. Ao longo da carreira, Pitol conquistou os títulos: de Campeão Gaúcho do Interior, pelo Ypiranga-RS, em 2009; a segunda divisão do Campeonato Cearense com o Icasa, em 2010; a terceira divisão do Campeonato Gaúcho com o Aimoré, em 2012; a Divisão de Acesso (série B) do Gauchão com o Caxias, em 2016 e o Copa Centenária da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), em 2018 (título dado ao campeão da primeira fase do Gauchão, em comemoração aos 100 anos da FGF).

Edinei

O mineiro de 32 anos passou por Porto Alegre em 2013, quando foi contratado pelo Internacional, após ter sido o melhor lateral-direito do Gauchão pelo Veranópolis, na temporada. O defensor chegou a ter seu nome especulado em outros clubes de elite do futebol brasileiro, na época, mas acabou sendo emprestado para a Chapecoense na temporada seguinte. O atleta tem na bagagem, os títulos de: campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior e um Campeonato Mineiro de Juniores; pelo América-MG; duas Taças Minas Gerais (uma pelo América-MG e outra pelo Vila Nova-MG); um Campeonato Armênio e uma Copa da Independência Armênia pelo FC MIKA.

Bruno Collaço

O lateral-esquerdo é oriundo das escolinhas de futebol do Grêmio desde 1999. Após destaque nos torneios juniores, em 2009 foi chamado por Paulo Autuori para integrar a equipe profissional. Natural de São Leopoldo, o lateral ficou no tricolor durante quatro anos. Era tido como uma promessa, tanto que foi convocado diversas vezes para as seleções de bases. Inclusive, Collaço conquistou a Campeonato Sul-Americano e o torneio Nike de seleções, em 2007, a Taça Sundai, no Japão, e a Copa do Mediterrâneo, no ano seguinte.

Pelo Grêmio, como profissional o defensor venceu a Taça Fernando Carvalho (primeiro turno) e foi Campeão Gaúcho, em 2010. No ano seguinte conquistou a Taça Piratini (primeiro turno). Nas categorias de base, o lateral lateral foi bicampeão gaúcho nas categorias sub-15 e sub-17. Além de ter vencido a Copa Santiago de Futebol Juvenil e o Campeonato Brasileiro sub-20, em 2008.

Artur

O paraense de Abel Figueiredo iniciou sua carreira em 2012, pelo JV Lideral-MA. Chegou ao Internacional no ano seguinte e foi integrado as categorias de base do clube. Em 2015, quando o lateral-esquerdo  titular, Geferson foi chamado para a disputa da Copa América, com a Seleção Brasileiro, Artur ganhou espaço e se tornou o titular. No ano seguinte, o defensor fez parte do grupo que foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro com o Inter. Após más atuações, Artur foi emprestado a Ponte Preta. Pelo Colorado foi campeão da Recopa Gaúcha e do Campeonato Gaúcho de 2016. No ano, ainda esteve na seleção do Gauchão.

Héverton

Paulista de 30 anos, Héverton iniciou sua carreira nas categorias de base do Pão de Açúcar Esporte Clube, que hoje é chamado de Grêmio Osasco Audax-SP. Porém, sua carreira como profissional começou no Grêmio. O zagueiro chegou ao clube em 2008 logo foi integrado ao grupo principal. Com a suspensão de Réver e as lesões de Pereira e Léo, Héverton foi o escolhido por Celso Roth para iniciar a partida contra o Palmeiras e estrear no profissional. Ao longo da temporada fez 12 jogos com a camisa tricolor. No ano seguinte, o zagueiro foi emprestado para o América-RN. Pelo Cuiabá, Héverton foi campeão Mato-Grossense em 2017.

Itaqui

Formado nas categorias de base do Grêmio, Odacir Pereira da Silva carrega consigo o nome da cidade natal. Irmão do ex-jogador com o mesmo apelido. Itaqui chegou no Grêmio em 2002, onde jogou das categorias de base até o profissional. Em 2007 iniciou sua caminhada no grupo principal do tricolor. No Grêmio, Itaqui foi Campeão Gaúcho profissional e sub-20 em 2007. Além disso, o jogador foi campeão Brasileiro da Série C, com o Boa Esporte-MG.

Calyson

O meia-atacante de Manhuaçu-MG é cria da base do Grêmio. Iniciou como profissional em 2013 na equipe Porto-alegrense, mas não chegou a atuar no elenco principal. Em 2016, Calyson foi contratado pelo Glória de Vacaria-RS. O treinador da equipe na época era Clemer. Desde então, atleta e treinador já trabalharam juntos em outros dois clubes. Meses depois, Calyson e Clemer foram campeões do Campeonato Sergipano, pelo Sergipe.

Mossoró

Muitos pensam que Vitor Hugo da Silva Nunes é oriundo das categorias de base do Inter. No entanto, foi no Grêmio que Mossoró deu seus primeiros passos no futebol. No tricolor, jogou na categoria sub-19 e 20, em 2013 e 14. Logo foi para o Juventude e em 2016 chegou ao Internacional. No Colorado, foi campeão Brasileiro de Aspirantes (sub-23), em 2017. O meio-campista é jogador do Inter e foi cedido ao Xavante até o fim de 2018.

Valdemir

O paraense de 21 anos é cria das categorias de base do Inter. No clube desde 2016, estava no elenco que conquistou o Brasileirão de Aspirantes. Na temporada passada, chegou a ser utilizados algumas vezes na equipe titular do Inter.

Zé Augusto

Natural de Florianópolis-SC, José Augusto Bernardo, começou sua carreira no Grêmio. Aos 21 anos, tem apenas três partidas realizadas como profissional. Duas pelo Brasil-RS e uma pelo Tricolor da capital.

Alisson Farias

Catarinense de Lages, o atacante começou nas escolas do Atlético Paranaense em 2010. Dois anos mais tarde, desembarcou em Porto Alegre e começou sua carreira na base do Internacional. No Colorado, Alisson conquistou o Gauchão de 2015 e 2016. Foi emprestado para o Estoril-POR, Criciúma até chegar ao Brasil-RS, a pedido de Clemer. O jogador tem contrato com o Colorado e está emprestado ao time de Pelotas.

Robério

O atacante de 23 anos é cria do Ceará. Chegou ao Inter em 2017 após passagem pelo Sergipe-AL, onde assim como Calyson, foi campeão estadual com Clemer. Apesar de ter sido contratado pelo Internacional, não atuou com a camisa Colorada.

Vacaria

O meio-campista de 23 anos passou pelas categorias de base do Internacional, mas não conseguiu chegar até a equipe principal. Vacaria fez boa parte de sua carreira no Juventude. Tem passagem pelo Fortaleza e também foi atleta da base do Milan-ITA.

Lourency

Assim como Vacaria, o autor do gol que levou a decisão da semifinal para os pênaltis teve uma passagem relâmpago pelo Internacional, mas também não chegou ao profissional. O último clube de Lourecy foi a Chapecoense.

VAVEL Logo