Defesa alvirrubra tem noite infeliz e Náutico perde para Ponte Preta  na Copa do Brasil
(Foto: Léo Lemos/ Náutico)

Defesa alvirrubra tem noite infeliz e Náutico perde para Ponte Preta  na Copa do Brasil

Ainda com resquícios da euforia do título, torcedores alvirrubros veem time fazer jogo muito ruim nesta quarta-feira (11) diante da Macaca, em Campinas

LucasMacieira3
Lucas Macieira
Ponte PretaIVAN; EMERSON, RENAN FONSECA, REYNALDO E MACIEL; NATHAN, PAULINHO E LUCAS MINEIRO(MURILO HENRIQUE); FELIPE SARAIVA(AARON), JÚNIOR SANTOS(FELIPPE CARDOSO) E ORINHO. TÉCNICO: DORIVA
NáuticoBRUNO; THIAGO ENNES, CAMUTANGA, CAMACHO E KEVIN; NEGRETTI, JOBSON, BRYAN, GABRIEL ARAÚJO(FERNANDINHO) E JÚNIOR TIMBÓ(HYGOR); ODILÁVIO(THARCYSIO). TÉCNICO: ROBERTO FERNANDES
Placar1-0, MIN. 15/1°T, ORINHO. 2-0, MIN. 20/1°T, FELIPE SARAIVA. 3-0, MIN. 26/1°T, JÚNIOR SANTOS.
ÁRBITRODANIEL NOBRE BINS - RS (CBF). CARTÕES AMARELOS: KEVIN (MIN.7/1°T), JOBSON (MIN.21/1°T, MIN.3/2°T), FERNANDINHO (MIN. 6/2°T) E MARCIEL (28/2°T). CARTÕES VERMELHOS: JOBSON (MIN.3/2°T).
INCIDENCIASPRIMEIRO DE DOIS CONFRONTOS EM PARTIDA VÁLIDA PELA QUARTA FASE DA COPA DO BRASIL, DISPUTA ÀS 21H45 NO ESTÁDIO MOISÉS LUCARELLI, EM CAMPINAS.

Náutico voltou a perder após 11 jogos de invencibilidade. A Ponte Preta impôs seu ritmo durante toda a partida, resolvendo o jogo praticamente no primeiro tempo. O Timbu, por sua vez, parecia não ter entrado em campo e se deixou envolver ante a superioridade da Macaca.

Macaca soberana

O início da primeira etapa parecia dar uma prévia do que viria pela frente: um baile. Nos primeiros sete minutos a Ponte dominou as ações da partida, chegando quase sempre pelo lado direito do ataque, nas costas do lateral esquerdo Kevin, que recebeu amarelo após fazer duas faltas seguidas.

A equipe alvinegra continuou pressionando a defesa recifense até que saiu o gol, já no décimo quinto minuto. Após o zagueiro Camutanga afastar um cruzamento para o meio da área, Orinho domina e chuta forte para abrir o marcador no Moisés Lucarelli.

Náutico se manteve com a postura defensiva nos minutos seguintes e, ainda assim, era facilmente envolvido pela troca de passes e movimentação do time de Campinas.

Após cruzamento da Ponte, defesa alvirrubra afasta novamente para o meio da área e Orinho quase marca o segundo gol da partida, mas Bruno estava atento e espalmou para fora.

A recompensa pela bom jogo do time comandado por Doriva veio novamente aos 20. O zagueirão Reynaldo fez belo lançamento para Felipe Saraiva que recebe passe com certo espaço. Atacante conduziu a bola até a área, driblou um marcador, o goleiro e fez um golaço para a loucura da torcida Pontepretana.

O tempo se passava e jogo não mudava de rumo. Jogadores alvirrubros não conseguiam acompanhar o ritmo do adversário e só paravam as investidas ofensivas com falta. Assim Jobson foi amarelado, após dar um carrinho perigoso aos 21.

Quando o Náutico tentou esboçar alguma reação, tudo foi por água a baixo. Thiago Ennes fez boa jogada, mas errou o cruzamento e perdeu a bola no campo de ataque. Ponte Preta saiu em velocidade, os zagueiros Camutanga e Camacho se atrapalham, Junior Santos saiu com a bola dominada de frente com o goleiro Bruno e tocou com categoria para dentro do gol. Ponte 3 a 0.

Aos 30, quase o marcador se ampliava. Após troca de passes, Rogerinho limpou defensor alvirrubro e chutou forte com perigo, mas bola vai para fora.

Com a Ponte Preta soberana, o árbitro gaúcho Daniel Nobre Bins encerrou o primeiro tempo com um dado que mostra bem o que foi o jogo: Náutico com apenas 30% de posse de bola.

Segundo tempo

Roberto Fernandes voltou com duas alterações, com Hygor no lugar de Timbó e Fernandinho na vaga de Gabriel Araújo. Mas a segunda etapa já começou com um banho de água fria em qualquer reação que os alvirrubros pudessem desenhar. Aos três minutos, Jobson abre os braços, atinge jogador da Ponte no rosto e toma segundo amarelo seguido de vermelho. 

A Ponte Preta, no entanto, não aproveitou a oportunidade de ampliar o marcador e aniquilar de vez uma possível classificação pernambucana.

A primeira chance de perigo foi do Náutico, mesmo com um a menos. Em cobrança de escanteio aos 15 minutos, Hygor desviou cruzamento mas ninguém apareceu para colocar a bola para dentro e diminuir a diferença no placar.

Náutico chegou novamente, três minutos depois, com chute fraco de Bryan para uma defesa sem dificuldades do goleiro Ivan.

Sem forçar e administrando a partida, a Macaca seguiu o segundo tempo muito apática. A primeira chance dos alvinegros, a melhor da segunda etapa, só veio aos 39. Após levantamento na área, Aaron bateu cruzado e bola passou com perigo para fora.

Com a Ponte trocando passes sem querer arriscar tomar um gol e com o Timbu sem forças para buscar o placar, o jogo seguiu morno e se encerrou sem mais grandes oportunidades.

Agora a situação do Náutico na Copa do Brasil fica complicada. Vai precisar vencer por três gols de diferença para levar o confronto para as penalidades. Lembrando que gols fora de casa não contam como critério de desempate. Caso vença por quatro gols de vantagem, a vaga é alvirrubra.

O próximo duelo do Timbu acontecerá já neste domingo (15) frente ao rival Santa Cruz pela Série C. A partida ocorrerá na Arena de Pernambuco às 19h. 

 

 

VAVEL Logo