O Flamengo é tricampeão da Libertadores. Depois do esquadrão de Zico e Cia em 1981, e do timaço do mister Jorge Jesus em 2019, foi a vez do Flamengo de 2022, ainda com muitos jogadores do último título, conquistarem o tricampeonato da competição para o Flamengo.

O Rubro-Negro igualou a marca de títulos de Palmeiras, Santos, São Paulo e Grêmio, como os maiores campeões brasileiros do torneio.

Mas a campanha do Flamengo nessa temporada teve um toque especial. A equipe teve uma campanha quase perfeita na competição. Veja abaixo como foi o caminho do Flamengo até a Glória Eterna.

Primeira fase sem dificuldades

Ainda sob o comando técnico de Paulo Sousa, o Flamengo fez uma primeira fase sem sustos. Nas seis partidas disputadas, foram cinco vitórias e um empate. O empate por 2 a 2 com o Talleres, inclusive, foi o único tropeço da equipe em toda a competição.

Mesmo sem um futebol vistoso, a superioridade da equipe sobre os rivais era nítida, o que fez o Flamengo garantir a classificação para as oitavas de finais em primeiro lugar no grupo.

Paulo Sousa cai e Dorival comanda engrenagem

Após a demissão de Paulo Sousa, Dorival Jr chegou ao Flamengo com um time sem vida. Na estreia do treinador, na derrota por 3 a 1 para o Internacional, pelo Campeonato Brasileiro, o técnico ouviu de Mano Menezes, treinador do Inter, a seguinte frase: “Dá pra melhorar, meu time também estava esculhambado.”

Esculhambado ou não, a verdade é que Dorival Jr ajeitou o time do Flamengo. E o principal reforço da equipe na competição, ele tirou do banco de reservas.

Pedro, até então preterido por Paulo Sousa, entrou no time titular do Flamengo e deslanchou. Depois de vencer a primeira partida contra o Tolima na Colômbia por 1 a 0, Pedro marcou quatro vezes no Maracanã e comandou a goleada rubro-negra por 7 a 1.

Nas quartas de finais, o atacante foi mais uma vez decisivo no Maracanã, e marcou o gol da vitória sobre o Corinthians por 1 a 0, depois da equipe já ter vencido o primeiro jogo fora de casa por 2 a 0.

Massacre contra o Velez e final brasileira

Nas semifinais, mais uma vez o Flamengo garantiu o resultado já na primeira partida jogando fora de casa. E, novamente, uma senhora goleada.

O Rubro-Negro não tomou conhecimento do Velez Sarsfield e goleou na Argentina por 4 a 0, encaminhando a classificação. Na volta, nova vitória, dessa vez por 2 a 1.

E neste sábado, o último desafio. O duelo brasileiro contra o Athletico-PR, que vinha se superando na competição. O Furacão, campeão da Copa Sul-Americana do ano passado, chegou a final após eliminar os gigantes Estudiantes e Palmeiras.

Mas no jogo, o Flamengo fez valer o favoritismo. Com gol de Gabigol, venceu por 1 a 0 e conquistou o tricampeonato da Libertadores. Festa rubro-negra em todo o país.

Pedro e Gabigol, os nomes do título

Se desde a entrada de Dorival Jr, Pedro foi o grande nome do Flamengo na competição, Gabigol segue sendo protagonista na história rubro-negra.

O atacante mais uma vez fez o gol do título rubro-negro e se consolida ainda mãos na galeria de ídolos do Flamengo.

Pedro, artilheiro da Libertadores com 12 gols, foi eleito o craque da competição. Gabigol, com seis gols, foi o craque da final. Ambos, para sempre na história rubro-negra.