O ano em revista: Novembro

Faltam 6 dias para o Final do Ano e até lá no VAVEL Portugal vamos recordar tudo aquilo que de importante se passou em cada um dos meses do ano. Novembro foi um mês repleto de futebol; se a nível interno as contas ainda estavam no início, no que toca à Europa era a hora de decisões. Vamos recordar?

O ano em revista: Novembro
O ano em revista: Novembro

Recuperação do leão, atraso do dragão

Em Novembro jogaram-se apenas duas rondas do campeonato. Contudo, a primeira trouxe o clássico FC Porto x Benfica, partida que acabou empatada a um, graças a um golo tardio dos encarnados, que assim evitaram a derrota no Dragão. As águias voltaram aos triunfos na jornada seguinte, batendo o Moreirense por 3-0

Depois do gélido empate caseiro contra o rival Benfica, o FC Porto não foi capaz de reagir de pronto. Com efeito, e contra outro emblema lisboeta, os dragões empataram a zero com o Belenenses, dando aí início a um ciclo de vários jogos sem marcar.

Quem aproveitou esta situação foi o Sporting. Os leões aproveitaram o clássico para se aproximar da liderança, acabando também por ganhar terreno ao FC Porto no que ao segundo lugar diz respeito. Para tal valeram as vitórias diante do Arouca, em casa, e no Bessa diante do Boavista.

Dragão sem chama e mais tomba-gigantes

Durante este mês jogou-se a 4ª eliminatória da Taça de Portugal, onde o principal destaque foi a eliminação do FC Porto. Os dragões foram a Trás-os-Montes empatar a zero com o Desportivo de Chaves, perdendo posteriormente no desampate por grandes penalidades.

O detentor do troféu, Sporting de Braga, teve de puxar dos galões para vencer o Santa Clara por 2-1. Até aos 85 minutos, os minhotos perdiam por 0-1; contudo, dois golos em quatro minutos deram a volta ao marcador.

Já Benfica e Sporting tiveram tarefas bem mais simples. Os encarnados golearam copiosamente o Marítimo por 6-0, enquanto que os leões receberam e bateram o Praiense por 5-1.

No que a “tomba-gigantes” diz respeito, destaque para o Vilafranquense e Torrense, clubes que eliminaram o Paços de Ferreira e Nacional respectivamente.

Foto: record.xl.pt
Foto: record.xl.pt

Desinspiração portista continua

Em Novembro arrancou a fase de grupos da Taça da Liga, tendo sido disputadas partidas dos grupos A e B. No primeiro o Sporting bateu tranquilamente o Arouca por 1-0, resultado idêntico garantiu o Varzim ao bater o Vitória de Setúbal.

No grupo B o FC Porto deu continuidade ao mau momento, repetindo o nulo diante do Belenenses, desta vez em pleno Estádio do Dragão. Por sua vez o Moreirense bateu o Feirense por 2-1, isolando-se assim na liderança do grupo.

Três passos em frente…um atrás

No que diz respeito às competições europeias, Novembro trouxe jornadas importantes e, em certos casos, decisivas.

Na Liga dos Campeões o Benfica recebeu e venceu novamente o Dínamo de Kiev por 1-0, abrindo assim as portas da qualificação no jogo seguinte. Todavia, os encarnados não foram capazes de capitalizar a sua situação. A ganhar por 3-0 ao intervalo diante do Besiktas, as águias deixaram-se empatar na segunda parte, adiando assim a decisão da qualificação para a última ronda.

Já o FC Porto contrariou o mau momento interno ao vencer em casa o Club Brugge por 1-0, alcançando assim o segundo lugar do grupo. Os dragões também poderiam fechar as contas da qualificação no jogo seguinte, mas não conseguiram melhor do que um empate a zero em Copenhaga.

O Sporting viu goradas as hipóteses de qualificação em Novembro. Os leões perderam em Dortmund por 1-0, e em casa, diante do Real Madrid, por 1-2. Restava ao Sporting lutar pela Liga Europa.

Nessa mesma prova, o Sporting de Braga continuou a alimentar as esperanças de qualificação no seu grupo. Os minhotos venceram em casa o Konyaspor por 3-1, tendo posteriormente empatado na Bélgica a dois golos diante do Gent. Mais uma vez, as decisões ficariam guardadas para o último jogo.

Pequeno susto, pronta reação

Relativamente à selecção portuguesa, os actuais campeões da Europa apenas tiveram um compromisso. A equipa das quinas recebeu e venceu a Letónia por 4-1. Todavia, os comandados de Fernando Santos não se livraram de um pequeno susto; depois de se encontrarem a vencer por 1-0, graças ao golo de Cristiano Ronaldo, Portugal permitiu o empate da Letónia sensivelmente a meio do segundo-tempo.

Aí valeu a rápida resposta portuguesa, recolocando-se em vantagem apenas dois minutos após ter sofrido o golo, através de William Carvalho. Para reforçar a vantagem, Ronaldo e Bruno Alves fizeram o terceiro e quarto golo, selando assim o triunfo português.