Portugal e as alternativas do Paulo Bento

O primeiro lugar do apuramento está quase impossível para os homens de Paulo Bento, só vale ganhar os dois últimos jogos e esperar a que Luxemburgo ou Azerbaijão façam o milagre ante a Rússia do Capello. Também não é que a Seleção precise de uma grande debacle do atual líder do Grupo F, com que deixem dois pontos no caminho, um empate, é suficiente para o passe direto de Portugal.

As contas são simples e os soviéticos já perderam dois jogos, mas o problema não é o inimigo. É a própria Portugal. O jogo que nunca melhorou e o que fiz que se chegara a esta altura do apuramento com opções graças às jogadas a bola parada, nas quais Bruno Alves tem marcado até quatro golos. O facto do elevado número de golos do defesa poderia ser um grande dado, mas parece que é a única forma em que a Seleção obtém o prémio do golo.

Moutinho nunca mostrou sua melhor versão.

E é assim porque o jogo planejado por Paulo Bento começa e acaba em Cristiano Ronaldo. Ele sempre responde, o jogo na Irlanda do Norte é uma boa prova disso. Um dos cinco combinados nacionais com melhores nomes do futebol mundial não pode perder a oportunidade de exibir um jogo à altura, ver a Portugal no undécimo lugar do Ranking FIFA com estes nomes doe.

Doe porque Moutinho nunca mostrou sua melhor versão nas atuações internacionais. O homem que devia levar o peso do jogo da equipa não aparece e nem Veloso nem Meireles têm as qualidades do ex-jogador do F.C. Porto. E o pior é ver ao Bento insistir nos mesmo homens e não dar a oportunidade a outros com capacidade para criar jogo como Danny ou Josué.

Também não há alterações no esquema do 4-3-3, ainda sejam só de jogadores com características diferentes. Se calhar provar com outra combinação no médio. Dando por bom que há duas posições definidas para o Cristiano e o ponta de lança, normalmente Hélder Postiga, poderia haver um espaço para outro lateral que poda ocupar a banda direita toda e colocar a mais um jogador no centro. Assim o rival não só teria que defender ao Moutinho e Cristiano para acabar com o jogo português.

Para estes dois jogos há baixas tão importantes como Alves na defesa e Meireles. E dizer, o treinador da Seleção tem a escusa perfeita para fazer alterações e sair de início com algumas caras nova como André Almeida ou Cédric, sendo este último uma interessante possibilidade para ocupar o lugar de João Pereira. Despois está um Éder que não está ao nível ao que chegou antes da lesão, mas ele ou Hugo Almeida deveriam discutir-se o lugar mais avançado do campo.

Paulo Bento quer sair a dominar e para isso deverá fazer alguma alteração no médio. Onde as variáveis são reduzidas pelo facto do treinador ter chamado quase os mesmo extremos (5) que médios (6). Bem é certo que Danny poderia fazer um bom rol junto ao Moutinho e que Cústodio no lugar de Meireles daria mais pausa ao jogo, fazendo que os três homens mais avançados ir mais atrás a receber e formar uma equipa mais unida.

A opção mais arriscada passa por deixar ao Cristiano Ronaldo como ponta de lança e formar um centro do campo com Veloso, Moutinho, Josué, Danny e Nani. Uma alternativa ofensiva e com a ideia clara de sair desde o início a dominar uns jogos que a Seleção da Quinas não pode deixar escapar. Mas só há um homen se saiba como quer que seja o estilo do jogo português, Paulo Bento desvelará-nos isso uma hora antes do apito do árbitro em Alvalade.

Foto1: PA / itv.com

Foto2: footballuser.com

VAVEL Logo