Ataque da Colômbia
Foto: Maisfutebol.iol.pt

Quando Sporting e Porto se alinharem para o clássico da 8ª jornada, milhares de portugueses farão uma pausa nas suas vidas, para assistir ao encontro. E muitos colombianos farão o mesmo. A Colômbia é o berço do ataque das duas equipas, investido nas figuras de Fredy Montero e Jackson Martínez. Do lado dos leões, a surpresa goleadora do campeonato, nascida no norte colombiano, em Campo de la Cruz. No contrário, a já confirmação dos dragões no ataque desde a transacta época, nascida mais a sul, em Quibdó.

Num jogo que se espera mais táctico e tenso, ambos estão aptos para mostrar a sua individualidade criativa e facturar na baliza adversária. Montero entra em campo com a moral elevada, após o hat-trick do fim-de-semana passado, frente ao Alba. Para além dos três tentos marcados, esteve presente em outros tantos da equipa, confirmando a sua capacidade de produzir grandes exibições. Por seu turno, Jackson não tem muito que provar à sua equipa, uma vez que tem sido a chave para o ataque do FC Porto desde a sua chegada à Invicta. Para já, nesta época, Fredy Montero leva a melhor na estatística individual para o campeonato. Conta com 9 golos em 7 jogos, mais dois que o compatriota Jackson Martínez.

Nascidos no mesmo país, com um ano de diferença (Montero tem 26 e Jackson 27 anos), os dois jogadores têm percursos distintos. Antes de representar o FC Porto, Jackson Martínez representou profissionalmente apenas dois clubes. No Independiente Medellín foi o melhor marcador no campeonato colombiano, o que o levou, em 2009, para o México. Lá, representou o Jaguares de Chiapas durante duas épocas, a que se seguiu a época de confirmação no Dragão. Na época de 2012/2013, “Cha Cha Cha” ajudou a equipa de Vítor Pereira a conquistar o título português e foi considerado cinco vezes o melhor jogador do mês. Terminou com a conquista individual de melhor marcador do campeonato, com 26 golos em 30 jornadas.

Se Jackson já conta com a experiência de um ano de adaptação na liga portuguesa, Fredy Montero não parece estar com dificuldades em se ambientar à realidade leonina. Numa equipa jovem e renovada, é a grande surpresa nas contratações de Leonardo Jardim, contribuindo, em golos, para a elevação de moral que se faz sentir para os lados de Alvalade. Antes, representou os emblemas colombianos do Atlético Huila e do Deportivo Cali, para depois rumar aos americanos Seattle Sounders e terminar emprestado aos populares do Millionarios, na época passada.

Em Alvalade, Fredy Montero já surge como um símbolo para a massa associativa leonina, respondendo com eficácia ao seu apelo de festejo de golos. O Sporting procurava mais um avançado goleador para cumprir a tradição do clube e quem por já la passou, de emblema ao peito, parece apostar no colombiano. É o caso de Paulo Futre, que diz que Montero “tem coisas do Romário”. Já Derlei, que representou no passado o FC Porto e Sporting, está convicto de que o jogo no Dragão será renhido e que estará nos avançados o factor destabilizador, antevendo “um duelo interessante, porque são dois jogadores que são goleadores, estão bem  e começaram muito bem a temporada”. Quem espera o empate entre os dois é o embaixador da Colômbia em Portugal, que também se manifestou em apoio aos representantes do seu país.

Amanhã à noite, Jackson contará no currículo com a experiência valiosa de já ter jogado um Porto-Sporting. Ou com a experiência feliz. Já que se estreou nos grandes jogos da liga, a 7 de Outubro de 2012, inaugurando o marcador aos 9 minutos, com um golo de calcanhar que fica para a história. Era um Sporting diferente como adversário, perante um Porto sólido que marcou por duas vezes. Mas isso pouco conta na performance individual de um jogador. Jackson recebeu o prémio de melhor jogador em campo e abriu caminho para uma série de jogos em que foi decisivo. Vamos ver Montero lhe segue as pisadas ou se, por outro lado, Quibdó volta a festejar orgulhoso, em detrimento de Campo de la Cruz.          

VAVEL Logo