O Porto e a matemática do 3º lugar
A equipa sofre o peso da pior prestação na década

Há um ano atrás, depois de disputadas 25 partidas na liga, o Porto ocupava o 2º lugar, com 63 pontos em 75 possíveis, antecedido do Benfica, na altura líder, com 67 pontos. Somava, então, mais 14 pontos do que na temporada corrente. E contava com o marcador nulo no que diz respeito a derrotas, contra as seis que já sofreu esta época. Acabaria por ser campeão, com 78 pontos, vencendo as últimas cinco jornadas.

Meia dúzia de derrotas

É necessário recuar até 2001/02 para encontrar um Porto mais perdedor do que o actual, naquela que foi a primeira época de José Mourinho na Invicta, adjuvado por Octávio Machado, e na qual o Sporting conquistou o seu último campeonato. Nesta, o Porto contava com 7 derrotas a 5 jornadas do fim, ocupando a igual 3ª posição, com 48 pontos. A mesma que ocupava na época do último troféu ganho pelo Benfica, em2009/10, ao comando de Jesualdo Ferreira, com 4 derrotas contabilizadas. Na última época de Fernando Santos no Dragão, em 2000/01, o clube registou 6 derrotas em 25 jogos e ocupava a 2ª posição. Desta, foi a vez do Boavista de sagrar campeão.

Se atendermos aos 79 campeonatos disputados pelo Futebol Clube do Porto, encontramos o registo de 347 derrotas, correspondendo a uma média arredondada de 4 derrotas por época. O que faz com que os azuis e brancos ultrapassem, por estes dias, a média de jogos sem pontuar no total das edições. Mais se conclui que, nas 4 épocas anteriores juntas, o Porto não totalizou tantas derrotas com que as que já conta este ano - 6. Em 2012/2013 e em 2010/2011 não perdeu qualquer encontro, enquanto em 2011/2012 perdeu 1 e em 2009/2010 não pontou por 4 vezes.

Deslocações infelizes e menos golos

Olhando para os números deste campeonato, facilmente percebemos que a principal causa da actual posição do Porto está na sua incapacidade de pontuar fora de casa. Em 13 jogos na qualidade de visitante, perdeu 5 (contra a Académica, Benfica, Marítimo, Sporting e Nacional), desperdiçando 15 pontos nos 39 possíveis. São 18 pontos conquistados fora, correspondendo à média de 1,38 pontos por jogo. Em casa, a equipa joga mais confortável, com apenas uma derrota (na recepção ao Estoril), angariando 31 pontos em 12 jogos, numa média de 2,58 pontos conquistados por partida realizada no Dragão.

58Era o número de golos marcados pelo Porto na transacta época, finda a 25ª jornada. Mais 13 que na actual. Para encontrar uma menor eficácia atacante no campeonato, precisamos de recuar até às temporadas de 2004/2005 e 2005/2006, onde a equipa apresentava o registo de 30 e 38 golos marcados, respectivamente. Já no número de golos sofridos, o clube também apresenta o registo mais alto das últimas 4 épocas, com 20 tentos marcados na sua baliza.

Particularidade na era Pinto da Costa

Embora a matemática ainda não o comprove, o Futebol Clube do Porto está arredado do título a 5 jornadas do final. São 8 os pontos que o separam do 2º classificado, Sporting, e 15 os que o afastam do líder Benfica. A terminar-se a prova com estas posições, será a primeira vez, desde que Pinto da Costa é dirigente (1982), que os clubes de Lisboa ficarão ambos à frente do clube do Norte. Sempre que Benfica e Sporting terminaram à frente do Porto foram campeões, pelo que será também a primeira vez que, se o Benfica conquistar o título, o clube de Alvalade ficará na frente do Porto sem ser campeão.

Curiosamente, o Benfica experimentou o mesmo que os dragões, em 2008/2009, época em que contava com iguais 49 pontos e ocupava a mesma 3ª posição, antes da 26ª jornada. E cinco jogos depois, o Porto conquistou o seu 24º campeonato. Quanto ao 28º, esse está, teoricamente, longe de ser conquistado em 2013/2014. 

VAVEL Logo