1-0 53' Ruiz ; 90' 1-1' Sokratis
Costa-Rica bate Grécia e ruma aos quartos
Jogadores Costa Riquenhos celebram a passagem aos quartos de final. (Fonte: FIFA)

Costa-Rica bate Grécia e ruma aos quartos

Depois de jogo "à Grécia", Costa-Rica carimba o passaporte para os quartos, ao bater a selecção de Fernando Santos no desempate por grande penalidades.

francisco-fontes
Francisco Fontes

O jogo na Arena Pernambuco, em Recife, era teoricamente um dos mais fracos destes oitavos de final. Dum lado, a sensação Costa-Rica, com um plantel quase sem estrelas, mas com muito coração e do outro lado, uma Grécia, que passou à fase seguinte depois de apenas ter marcado dois golos e com uma postura bastante defensiva.

Uma primeira parte de aquecimento

A primeira parte do jogo em Recife foi tal e qual aquilo que se esperava. As duas equipas entraram bastante recuadas no terreno, com muito medo de errar numa fase da prova em que qualquer desvio em relação ao plano inicial pode ser fatal. Depois de uns primeiros 10 minutos de jogo onde a seleção da America foi mais forte, nomeadamente através do trio de ataque Bolanos, Ruiz e Campbell, a Grécia foi se instalando e assumindo, progressivamente, as despesas da partida. Por volta dos 15 minutos de jogo, a Grécia dispôs de duas boas ocasiões para inaugurar o marcador, através do irrequieto Lazaros, uma autêntica seta apontada à baliza defendida por Keylor Navas. 

À medida que o tempo ia passando, estava evidente que o meio-campo Tico estava a ter sérias dificuldades em aguentar a pressão Grega, com Borges e Tejeda a terem que dobrar Bolanos e Ruiz, respectivamente, que não acompanhavas as incursões ofensivas dos laterais gregos. Aliás, foi mesmo pelo corredor direito da Costa Rica que surgiu mais perigo para a baliza de Navas. 

O portento fisico Cholevas deu, durante a primeira parte, muitas dores de cabeça à defensiva Costa Riquenha, com os seus sucessivos cruzamentos venenosos. Um deles ia resultando em golo, não fosse a enorme intervenção do guarda-redes sensação do Mundial. Cholevas cruza a meio do meio campo  para o segundo poste, onde aparece Salpingidis, que remata de primeira. No entanto, a mancha soberba do guarda-redes do Levante foi superior e levava o marcador a zeros para o intervalo.

Navas foi o homem-chave durante a primeira parte. (Fonte: Getty Images)

Mais Grécia na segunda parte

Na segunda parte, o comportamento das duas equipas foi semelhante ao da primeira parte. No entanto, a Grécia foi surpreendida, logo aos 5 minutos. Bolanos assiste Ruiz, que à entrada da área, num remate com bastante classe mete a bola na baliza de Karnezis, sem que este tenha sequer hipótese de se fazer à bola. Um pouco contra a corrente do jogo, a Costa Rica liderava o marcador. A partir daí, a Grécia teve que se expor mais e arriscar e poucos minutos a seguir, o jogo podia ter ficado sentenciado.

Num lance rápido de contra ataque, Ruiz cruza a bola para Bolanos, que tinha tudo para fazer o golo, mas Torosidis desvia a bola do extremo do Copenhaga com a mão. Não obstante, o árbitro nada assinalou, apesar dos fortes protestos Ticos. A partir daqui, o jogo passou a ser dominado pela Grécia, que tentava desesperadamente o golo do empate. Aos 66 minutos, Oscar Duarte, defesa da Costa Rica, é expulso por ver o segundo amarelo por ter derrubado Cholevas.

Duarte foi expulso depois de ter derrubado o lateral grego. (Fonte. AFP)

Em inferioridade numérica, a equipa da América Central recuou bastante no terreno e tentou sobreviver às investidas Helénicas. Fernando Santos arriscou tudo e fez entrar Mitroglou, Gekas e Katsouranis numa tentativa desesperada de chegar ao empate. No entanto, Keylor Navas esteve sempre muito seguro na baliza e foi adiando o inevitável.

Aos 90 minutos, à semelhança do que tinha acontecido na partida contra a Costa do Marfim, a Grécia chega ao empate. Samaras despeja a bola para a área, Sokratis desvia de cabeça para Gekas, que dispara com violência mas vê o seu remate travado por Navas. No entanto, na recarga, o central do Dortmund não perdoa e establece justiça no marcador. Dois minutos depois, aos 92, Keylor Navas nega um golo certo a Mitroglou, com mais uma defesa espectacular, e adia a decisão para prolongamento

Keylor Navas só não conseguiu parar o remate de Sokratis aos 90'. (Fonte: Reuters)

Prolongamento dominado pela Grécia

No prolongamento, a história repetiu-se. A Grécia tentou explorar a vantagem numérica e encostar os Costa-Riquenhos, que já estavam muito debilitados fisicamente, às cordas. Com as suas referências ofensivas, Joel Campbell e  Bryan Ruiz completamente esgotadas, a Costa-Rica quase que abdicou de atacar. A Grécia foi insistindo mas todas as suas investidas esbarravam ou nos pés dos centrais Ticos ou nas mãos do sensacional Navas, que aos 120 voltou a tirar golo certo a Mitroglou, à semelhança do que já tinha feito durante toda a partida. 

Lotaria dos penalties

Na lotaria dos pénalties, a sorte sorriu aos Costa-Riquenhos, que bateram a Grécia por 5-3. Do lado dos Ticos, converteram, exemplarmente, Borges, Ruiz, Gonzales, Campbell e Umana enquanto que do lado grego Mitroglou, Lazaros, Cholevas conseguiram marcar mas Gekas viu o seu remate ser parado por Navas, o herói da partida.

Navas deteve o penalti de Gekas e deu a vitória à Costa Rica. (Fonte: Lusa)

A Costa Rica carimbou assim o passaporte aos quartos de final, num  jogo "à Grécia", em que se limitou a defender e explorar o contra ataque. Os Ticos muito têm a agradecer a Keylor Navas, que apareceu sempre que foi chamado e que levou aos ombros a seleção da Costa-Rica, rumo aos quartos. A surpresa continua!

VAVEL Logo
CHAT