Seis anos depois do nulo, Benfica visita Boavista como campeão

Seis anos depois do nulo, Benfica visita Boavista como campeão

Passaram já seis anos desde que o Benfica e o Boavista se encontraram para a liga; na altura o 0-0 prevaleceu. Hoje, o campeão Benfica desloca-se ao reduto do retornado Boavista, com um favoritismo poucas vezes antes visto.

vavel
VAVEL

Já se passaram seis anos desde que o Boavista e o Benfica mediram forças: foi na temporada de 2007/2008, na então denominada Liga Bwin, que os encarnados pela última vez enfrentaram o Boavista, no seu reduto, como acontecerá hoje. No dia 6 de Abril de 2008, as «águias» empataram a zeros com os «axadrezados», Maxi lembrar-se-á, pois já era jogador encarnado, um dos poucos que ainda compõe o plantel das «águias», juntamente com Luisão.

Quem também irá reviver velhos tempos será Fary - o avançado recordista (mais velho da Liga e com mais golos na prova estando em actividade) de 39 anos permanece no clube nortenho e sabe de cor e salteado como é defrontar o Benfica, apesar de nunca ter marcado aos encarnados para a Liga, ao serviço dos boavisteiros. No sintético do Boavista irão digladiar-se duas formações que estão apartadas no que às «odds» diz respeito: o Benfica, campeão, carrega consigo todo o favoritismo, enquanto o Boavista, total «underdog», tentará debater-se para chocar o clube que detém a coroa da liga nacional.

Uma casa onde o Benfica já foi feliz

Se puxarmos o fime atrás e recordarmos cenas doutros capítulos, veremos que os encarnados já foram bastante felizes na casa do Boavista: foi lá que, em Maio de 2005, o Benfica confirmou a consagração de campeão nacional luso, ao empatar, na última jornada, 1-1 com o Boavista - à data, o timoneiro encarnado era italiano e chamava-se Trapattoni. Mais: a última ocasião que o Benfica visitou o reduto boavisteiro enquanto campeão, venceu por 0-2, com golos de Tiago (auto-golo) e Mantorras, no dia 25 de Abril de 2006.

Boavista sabe tomar conta da sua casa

Se analisarmos os registos dos jogos em que o Boavista recebeu o Benfica, rapidamamente salta à vista uma constatação: raramente o Benfica venceu, na primeira década do milénio, os axadrezados quando os visitou. Em 9 partidas realizadas desde 2000 até 2008, por uma vez apenas o Benfica foi capaz de quebrar a hostilidade caseira e sair do reduto axadrezado com os três pontos: tal acontece, como acima se relata, em 2006. Nas restantes oito partidas, verificaram-se 5 empates e 3 triunfos nortenhos.

Um desses triunfos contribuiu para o momento alto da História do Boavista: falamos da conquista do título de campeão nacional. Duda, aos dois minutos, colocou o Boavista a vencer perante o Benfica (treinado por José Mourinho), na quinta jornada da época 2000/2001, temporada em que o exército unido de Jaime Pacheco ergueu o troféu, intrometendo-se na luta dos titãs Benfica, Sporting e Porto.

Enzo é incógnita, Samaris e Júlio César ainda de fora

Para a partida de hoje, marcada para as 19:30 horas, Jorge Jesus carrega ainda algumas dúvidas na sua mala de viagem: Enzo acusou fadiga muscular durante a partida com o Paços e apenas integrou os treinos completos na quinta-feira. Apesar de convocado, o argentino (cobiçado pelo Valência e negociado nos últimos dias) poderá não sair do banco. Apesar de terem reforçado o Benfica no início da semana que agora finda, Andreas Samaris e Júlio César não foram convocados - Artur gozará da titularidade durante mais um jogo...pelo menos.

O guardião brasileiro, que realizou uma pré-época fraca, respondeu com quatro penalidades defendidas nos dois primeiros jogos oficiais (3 no desempate por grandes penalidades, contra o Rio Ave, e uma diante do Paços, impedindo o 0-1 para os «castores»), ganhando terreno na luta que terá de batalhar contra o titã das balizas, o compatriota Júlio César.

De referir que Pizzi e Nélson Oliveira também foram convocados para o jogo. O extremo recuperou totalmente de uma lesão no cotovelo e poderá estrear-se com a camisola das «águias» vestida. 

Petit terá de arquitectar um Boavista que se exceda a si mesmo

O trabalho requer astúcia, concentração e claro, uma dose generosa de sorte - Petit, antiga glória de Boavista e Benfica (foi campeão por ambos os clubes), terá de montar uma equipa capaz de suster o poderio ofensivo do Benfica, tentando, simultaneamente, dar alguma afinação e argúcia ao seu ataque. Ora, esta tarefa, levada a cabo no seio de um plantel inexperiente, é hercúlea.

A estratégia passará pela liderança do internacional hondurenho Beckeles (de 28 anos) no eixo da defesa, pela técnica do médio Diego Lima (de 25 anos) e pela velocidade de Brito, antigo jogador do Gil Vicente (de 26 anos). Depois da pesada derrota em Braga, por três tentos sem retruque, os boavisteiros jogam contra as probabilidades, de novo: será um caminho penoso para o Boavista, esta liga 2014/2015...

Onzes prováveis

VAVEL Logo
CHAT