Sporting: Perder agora para ganhar depois
Continuidade de Slimani e William aumenta pressão sobre Marco Silva.

Os cerca de 23 milhões de euros encaixados neste defeso permitiram a Bruno de Carvalho esticar a corda ao máximo nas negociações pelos dois maiores activos do plantel leonino, logo a seguir a Marcos Rojo, transferido para o Manchester United. Islam Slimani e William Carvalho ficaram em Alvalade por decisão do Presidente do Sporting, que apesar do assédio decidiu manter os dois internacionais no grupo liderado por Marco Silva.

Rojo e Dier: a almofada de Bruno de Carvalho

Não foi por falta de interessados que Slimani e William ficaram em Alvalade. Leicester, Trabzonspor, Arsenal e Manchester United entraram no leilão pelas duas estrelas leoninas, mas nenhum chegou aos valores exigidos pelos responsáveis do Sporting.

Consciente do papel dos dois jogadores na manobra da equipa comandada por Marco Silva e para o cumprimento dos objectivos traçados, Bruno de Carvalho manteve-se intrasigente nas negociações e rejeitou consecutivamente propostas que chegaram aos 9 milhões, pelo ponta-de-lança, e aos 25 milhões de euros, pelo médio defensivo.

Nem o processo disciplinar movido a Slimani e a pressão especulativa da imprensa em relação à saída do médio foram suficientes para demover o líder dos verde e brancos, "aconchegados" que ficaram os cofres de Alvalade com as vendas de Marcos Rojo e Eric Dier.

Mas a austeridade continua a imperar no reino do leão e a permanência destas duas peças fundamentais para o puzzle de Marco Silva é uma aposta de risco do Presidente do Sporting, que jogou as fichas todas no sucesso da equipa no campeonato português...e na Liga dos Campeões.

Aumentos para acalmar desejos e vontades

Depois demonstrar a aposta do clube nos seus serviços, a SAD leonina deverá proceder até ao final do ano a uma revisão salarial dos dois jogadores, ambos ainda fora dos patamares mais elevados do plantel, apesar do papel preponderante na equipa. Essa terá sido aliás uma reinvindicação de Slimani após a sua participação no Campeonato do Mundo, onde foi considerado o melhor jogador da Argélia e por duas vezes nomeado «man of the match» na competição, onde marcou dois golos. Já antes o avançado havia sido o melhor marcador da campanha de qualificação da selecção africana para o Mundial, com 14 golos.

Agora, com a continuidade dos jogadores garantida, o Sporting vai fazer corresponder o nível salarial dos dois atletas ao estatuto desportivo conquistado em Alvalade.

O trinco e o matador «pedidos» por Marco Silva

Órfão das duas previsíveis referências defensivas para 2014/15 (Rojo e Dier), seria quase suicida para o Sporting perder os outros dois pilares da equipa. William e Slimani, fisicamente poderosos, elevam desde logo o futebol dos leões para outros patamares. Duas armas de outro calibre que oferecem a Marco Silva outros argumentos para conseguir sobreviver, por exemplo, no exigente desafio da Liga dos Campeões.

Ganha a equipa organização, segurança, imponência e critério com o trinco formado em Alcochete, e ainda força, choque e poder de finalização com o ponta-de-lança argelino de 26 anos.

E assim com «apenas» dois jogadores o Sporting se transforma, apresentando-se mais forte, e por isso acrescentando mais pressão sobre os ombros de Marco Silva, obrigado a apresentar resultados.

O treinador do Sporting não recebeu as prendas de última hora que tinha pedido, nomeadamente a contratação de um defesa-central de qualidade, mas perante o «esforço» de Bruno de Carvalho em assegurar a continuidade de William e Slimani pouca margem terá para reclamar.

VAVEL Logo