Godinho Lopes defende-se das acusações de Bruno de Carvalho
(Foto: Álvaro Isidoro Global Images)

Godinho Lopes defende-se das acusações de Bruno de Carvalho

Na ressaca do agressivo ataque de Bruno de Carvalho à idoneidade da anterior direcção leonina, o principal visado, Godinho Lopes, respondeu ontem através de um comunicado onde garante a isenção das contratações, disponibilizando-se para esclarecer todos os dados.

vavel
VAVEL

Foram duras as críticas da actual direcção do Sporting à gestão da anterior, presidida por Godinho Lopes. Bruno de Carvalho levantou sérias dúvidas quanto à idoneidade e critério da política de contratações, denunciando comissões avultadas, renovações descabidas (caso de Izmailov), negócios opacos e até interferências directivas no regular funcionamento e poder deliberativo do departamento clínico, nomeadamente nos casos de Jeffrén e Alberto Rodríguez. 

Através de um comunicado hoje tornado público, Godinho Lopes defendeu-se das críticas, realçando a  categoria internacional de grande parte dos jogadores contratados na sua era. Aqui fica, na íntegra, o comunicado.

«Tal como o Dr. Bruno de Carvalho pretendeu ser durante o meu mandato enquanto Presidente do Sporting Clube de Portugal, também eu continuo a ser um sócio atento e interessado na vida do Clube. O que vale por dizer que continuo a militar e a pugnar pelos seus sucessos, prestígio e engrandecimento.

Na base da confiança nos sócios eleitos para dirigir o Clube e no pressuposto de que exercem os seus cargos como melhor sabem e podem, tem assentado a minha conduta e a minha preocupação em dar apoio aos responsáveis – o que significa o apoio ao Clube. Até agora esse meu apoio traduziu-se:

- Na espontânea e deliberada colocação de documentos e relatórios deixados à disposição da actual Direcção, com informação completa e verdadeira sobre os actos praticados no meu mandato, tendo ainda reiterado a total disponibilidade para o cabal esclarecimento de quaisquer dúvidas ou questões suscitadas;

- Na comunicação à actual Direcção das perspectivas e linhas de orientação com o objectivo de permitir a resolução dos mais delicados problemas do Clube;

- E no respeito de um pacto de silêncio, recusando quaisquer intervenções públicas críticas ou perturbadoras do trabalho dos órgãos associativos em exercício.

Traduziu-se ainda esse meu apoio na enorme satisfação, nunca por mim regateada, pelos êxitos obtidos pelo Sporting Clube de Portugal.

É assim que continuo a servir os altos interesses do nosso Grande Sporting.

Porém, o serviço do e ao Sporting, que sempre pratiquei sem nunca me ter servido, exige também a adequada e justificada rejeição de imputações caluniosas que me sejam feitas. E isto porque é como calúnias que devem ser interpretadas as propostas que a actual Administração da SAD, presidida pelo Presidente do Clube, se propõe apresentar na Assembleia Geral de 1.10.2014, transcritas no ponto 10 da respectiva convocatória, sabendo antecipadamente da sua aprovação dada a maioria esmagadora que o Clube detém na SAD.

Com efeito, só propõe a instauração de uma acção cível – e não de uma mera investigação – quem desde logo imputa aos visados os comportamentos descritos como ilícitos causadores de prejuízos.

Ora impõe-se, por isso, para já e sem prejuízo de outras actuações que venham a revelar-se necessárias, o esclarecimento de ordem geral que segue.

Todas as contratações de jogadores realizadas durante os dois anos em que estive à frente da SAD foram objecto de escolha criteriosa, sempre numa óptica de investimento.

Foram assim contratados 26 jogadores, dos quais 16 internacionais. Os três jogadores em causa, internacionais, já depois de saírem do Sporting Clube de Portugal, foram avaliados e contratados por outros clubes e dois deles, mesmo depois de terem deixado de envergar a camisola verde-branca, foram chamados às selecções dos respectivos países.

Dos 26 jogadores contratados, só um não jogou na equipa principal do nosso Clube e voltou ao seu país, para salvaguarda das relações com a equipa médica que o operou.

Isto deve ser suficiente para o esclarecimento de quem, de boa-fé, queira abordar este assunto.

No entanto, se necessário for, não deixarei de vir a terreiro detalhar as informações que forem entendidas como úteis relativamente ao número de jogadores contratados pela actual SAD, à sua utilização na equipa principal e o mais que seja preciso para efectiva defesa da minha honra e dos que me acompanharam no Clube e na SAD.

De momento abster-me-ei de o fazer, pois pretendo apenas esclarecer factos e não criar polémicas, no máximo respeito possível pelo pacto de silêncio que assumi, exclusivamente no interesse do Sporting Clube de Portugal

VAVEL Logo