André Gomes viu a Luz em Valência

André Gomes viu a Luz em Valência

Depois de em raras ocasiões ter logrado a titularidade no Benfica, André Gomes pontifica como uma das estrelas do Valencia.

rafaelreis
Rafael Reis

Um dos jogadores portugueses sobre quem mais interessa falar pelo bom momento que atravessa será mesmo André Gomes, que no pouco tempo em que se encontra em Espanha já caiu nas graças de todos e se situa já nas escolhas de qualquer adepto nacional, entre os quais o próprio seleccionador, Fernando Santos, que não se esqueceu de incluir o seu nome na convocatória para os próximos compromissos de Portugal.

A sua forma agora ao serviço do Valência não surpreende, bastando atentar aos grandes momentos da época passada para demonstrar que já no ano anterior havia atingido um elevadíssimo nível que, entre outros jogos, lhe permitiu ser com todo o mérito titular na final da Liga Europa perdida pelas águias perante o Sevilha.

Nesse encontro em particular, André Gomes foi procurando auxiliar a equipa com o habitual critério no passe e tentou criar movimentos ofensivos apesar de até ter actuado numa posição mais recuada do que aquela que naturalmente ocupa. Uma pequena dose do que agora faz, e em destaque, no Mestalla.

Quando muito, será um sinal de alarme em relação a um grande talento que o clube lisboeta poderia ter aproveitado mais e melhor. Face ao percurso de qualidade que tem protagonizado nos últimos tempos, André Gomes tem sido uma das principais faces das mudanças numa Selecção Nacional que começava a ser algo semelhante a Cristiano Ronaldo e mais dez.

Apesar da qualidade, poucas foram as vezes em que o médio conquistou a titularidade no Benfica

A sua chegada permitiu o equilíbrio do nível qualitativo da equipa, entrando em claro contraste com a forma como acabou por sair da Luz, desportivamente de forma muito precoce de uma equipa na qual demonstrou valor sempre que foi chamado à acção.

Enquanto no Valência é visto como uma das maiores surpresas deste início da época em relação aos jogadores que se encontravam na equipa no passado, irrompendo pela equipa titular na companhia de promessas espanholas como o pequeno Carles Gil, no Benfica chegou a ser várias vezes esquecido uma vez que na Luz nunca foi presenteado com oportunidades frequentes para se estabelecer na equipa inicial.

Ainda assim, André Gomes conseguiu desenvolver-se como jogador e tornar-se em definitivo no chamado ‘jogador feito’, detendo ainda como vantagem a sua juventude e um carácter calmo e tranquilo que sempre contribuem para um bom balneário, o que a aliar à boa imprensa que já merece pelo que vem conseguindo lhe poderão valer uma presença a longo prazo entre os eleitos para representar Portugal, representando um excelente exemplo de potencial em crescimento.

Apesar de o Benfica possuir neste momento uma equipa altamente competitiva e liderar a Primeira Liga numa altura em que na época passada ainda não o fazia, desportivamente é difícil considerar que os encarnados tenham saído beneficiados com a partida do português, actualmente mais maduro e consistente futebolisticamente do que várias unidades que neste momento fazem parte do plantel, ainda que alguns sejam já detentores de algum nome no panorama internacional.

15 milhões acabam por ser um interessantíssimo encaixe, ainda quando o jogador nem era titular

Mais: parece absolutamente preparado para ser protagonista numa nova geração que procurará suceder a eras como as de 66, a ‘Geração de Ouro’ ou o último grupo que conseguiu boas prestações em Mundiais e Europeus.

Todavia, no que diz respeito à venda propriamente dita, terá sempre de se considerar positiva uma vez que não são muitos os jogadores portugueses a gerar uma transferência de 15 milhões de euros, sendo praticamente um caso único isso ter sucedido com um atleta que nem sequer surgia frequentemente como primeira escolha.

Entre as saídas verificadas no Benfica na última época, dois acabam por suscitar algum lamento pelo facto de terem deixado a sensação de que o seu potencial poderia ser ainda mais explorado - Lazar Markovic e André Gomes, que em ambos os casos acabaram por partir face às mais-valias financeiras.

No caso do luso, mesmo que ainda jovem, poderia encontrar-se neste momento como uma peça importante na Luz. Hipoteticamente, a adaptação de Andreas Samaris a uma nova realidade, e posição,  poderia ser bastante mais facilitada, pois poderia, pelo menos, dividir a utilização com esta estrela emergente do futebol português. Acaba Nuno Espírito Santo por sair a ganhar.

VAVEL Logo
CHAT