José Fonte: mais vale tarde do que nunca
Foto: Lusa

José Fonte: mais vale tarde do que nunca

Aos 30 anos, o central que actua no Southampton fez a sua estreia pela Selecção Portuguesa, na senda das grandes exibições realizadas ao serviço do Southampton.

ricardo-cruz
Ricardo Cruz

José Miguel da Rocha Fonte, natural de Penafiel é irmão de Rui Fonte ( jogador do Benfica B) e filho de Artur Fonte (ex jogador de futebol profissional). O central de 30 anos que neste momento representa o Southampton teve uma carreira de altos e baixos. Aos 12 anos foi dispensado pelo Sporting, clube que mais tarde o iria voltar a contratar. Porém, depois de dois anos ao serviço da equipa B dos leões voltou a deixar Alvalade e passou por clubes como Salgueiros, Felgueiras, Vitória de Setúbal e Benfica.

A experiência nos encarnados também não foi positiva e em 2008 o Crystal Palace acabou por comprar o central português. Ao fim de duas épocas e meia a representar o clube inglês resolveu descer um degrau e ingressar no Southampton que na altura atuava na League One. Uma aposta ganha por José Fonte visto que se tornou num dos capitães da equipa que na época de 2011/2012 subiu aquela que é considerada por muitos a melhor liga de futebol do mundo, a Premier League.

Fonte é essencial na formação do Southampton (Foto: The Times)

Desde então, José Fonte tem vindo a ser determinante na constância e na regularidade defensiva sua equipa, realizando excelentes exibições. A chamada à seleção e a primeira internacionalização são o prémio do esforço consecutivo deste português de 30 anos. 

Muita emoção na estreia 

Em declarações dadas ao site maisfutebol, José Fonte afirmou: «Sempre tive que lutar muito pelo que queria. Este foi mais um caso. Continuei a trabalhar e a esperar, pacientemente. É uma honra enorme, um orgulho imenso para mim, para a minha família e para os meus amigos».

Depois de uma carreira controversa, o central admite que as desilusões são importantes e que o trabalho é a melhor arma para provar às pessoas que estavam erradas. O central não esconde a vontade de vêr o irmão com a camisola das quinas ao peito : «Seria a cereja no topo do bolo. Tem feito um bom trabalho, teve quinze meses de um grande calvário, mas agora já tem onze golos em quinze jogos, espero que continue assim para, um dia mais tarde, jogarmos os dois aqui na selecção». 

José Fonte está encantado com a sua estreia e espera voltar a poder pisar mais relvados com o simbolo de Portugal ao peito. No último jogo da selecção portuguesa, Fonte estreou-se por Portugal, de forma meritória, numa partida em que Portugal bateu a Argentina por 1-0 em Old Trafford. 

Aos 30 anos, José Fonte teve o prémio merecido (Foto: federacaoportuguesadefutebol.blogspot.com)
VAVEL Logo
CHAT