Porto x Benfica: 14 de Dezembro de 2014, o que mudou desde então?
Foto: Reuters

Porto x Benfica: 14 de Dezembro de 2014, o que mudou desde então?

Foi nesta data que as duas equipas se encontraram pela última vez no Estádio do Dragão. Os encarnados venceram por 0-2, com dois golos de Lima, mas tal como o brasileiro saiu da Luz, muitas mais mudanças houve nos dois lados da «barricada» deste grande duelo do futebol português.

RodolfoReis
Rodolfo Reis

É já no próximo domingo pelas 19h15, que Porto e Benfica, se encontram para mais um clássico do futebol português. Os dragões seguem na frente do campeonato, com mais um ponto que o rival da Luz e querem a vitória para aumentar a distância, mas por seu turno as àguias sabem que ganhando passam para a frente da tabela, ainda que de forma provisória. E ganhar foi precisamente o que os encarnados fizeram na última vez que jogaram no Estádio do Dragão, com dois golos do avançado brasileiro Lima, a silenciarem os mais de 50 mil adeptos portistas.

No entanto desde esse domingo de 14 de Dezembro de 2014, muita coisa mudou nas duas equipas, desde logo no comando técnico, pois se no azuis e brancos Julen Lopetegui continua a orientar os seus jogadores, o Benfica viu o seu treinador de seis anos (2009-2015) Jorge Jesus sair para o outro lado da segunda circular para orientar o rival Sporting. Uma saída com toda a polémica e controvérsia que é sabída. Para o seu lugar chegou Rui Vitória, do Vitória Guimarães, e que já tinha passado pela Luz como treinador dos escalões de formação.

Lima e Jackson são ausências que deixarão saudades

Esta vai ser a primeira vez que os dois treinadores se vão defrontar num clássico, mas na época passada o espanhol levou a melhor sobre o português, empatando a um golo na cidadede Guimarães, vencendo depois na segunda volta no Dragão por 1-0. Só que ambos procuram no Domingo algo que nunca conseguiram - vencer a equipa adversária, pois nem Julen Lopetegui venceu na temporada passada o Benfica, perdendo em casa e empatando na capital, nem nunca Rui Vitória ganhou ao FC Porto, averbando nove derrotas e quatro empates no seu historial.

Rui Vitória quer vencer o FC Porto
Lopetegui procura derrotar o Benfica

Já no que diz respeito aos dois conjuntos em si, muitas foram as entradas e saídas e, se nos centrarmos apenas nos onzes apresentados no último clássico, vemos que no Benfica restam seis elementos, Júlio César, Luisão, Jardel, Samaris, Talisca e Gaitàn (André Almeida não tem sido opção e Salvio encontra-se lesionado), tendo Maxi Pereira saído para o Dragão e Enzo Peréz e Lima rumado ao Valência e Al-Ahly, respectivamente. Já no FC Porto a razia foi ainda maior, e dos titulares desse encontro sobram apenas Martins Indi (que não é primeira opção), Ivan Marcano, Herrera, Brahimi e Cristian Tello (que também não é dos mais utilizados). Fabiano saiu por empréstimo para o Fenerbahçe, Danilo protagonizou uma transferência milionária para o Real Madrid, juntamente com Casemiro, enquanto Óliver Torres e Jackson Martinez seguiram para o rival Atlético Madrid; por último, Alex Sandro rumou à Juventus.

Sem os goleadores Lima e Jackson Martínez, trunfos de peso de Benfica e Porto que agora habitam outras paragens, serão Mitroglou e Vincent Aboubakar (vem de um bis na Lga dos Campeões e está em grande forma) os novos ases prontos a fazerem a diferença no duelo. O grego fará parelha com a ameaça habitual chamada Jonas (leva já 8 golos na temporada) e o camaronês do Porto terá o apoio de reforços como Jesús Corona, Miguel Layún ou até de Pablo Osvaldo, caso a necessidade de marcar aperte. 

Vitória com Benfica mais português 

No que toca aos jogadores portugueses em cada equipa, o Benfica leva vantagem, fruto de Rui Vitória ser um técnico que aposta mais na formação, tendo introduzido o jovem Nelson Semedo e ter apostado ao que parece em definitivo, em Gonçalo Guedes, que se juntam a Paulo Lopes, Eliseu, Sílvio, André Almeida e Pizzi. Já nos portistas houve uma ligeira quebra, já que viram sair Ricardo, Ricardo Pereira, Quaresma, Josué, Hernâni e Gonçalo Paciência, mas por outro lado chegaram André André Danilo Pereira e os regressados Silvestre Varela e Sérgio Oliveira a juntar a Rúben Neves, que já fazia parte do plantel na época transacta.

No próximo Domingo será escrito mais um capítulo na história dos clássicos entre Porto e Benfica - as mudanças foram muitas, mas a vontade de vencer será a mesma de sempre. Em campo vão estar os dois emblemas que têm discutido entre si o título nacional nos últimos anos, e que este ano querem mais do que nunca voltar a conquistar o campeonato, ainda que as razões e ambições que os movem sejam diferentes. O Porto está apostado em impedir o bicampeão Benfica de realizar o tri, enquanto a águia tenta voar cada vez mais alto, apontando para a hegemonia encarnada do futebol português. O espectáculo esse está garantido, esperemos que o seja tanto no relvado como nas bancadas.

VAVEL Logo
CHAT