Russia 2018: Japão

Russia 2018: Japão

Inserido no grupo H, juntamente com Polónia, Senegal e Colombia, o Japão chega assim ao seu quinto campeonato do mundo. Num grupo tão equilibrado, os nipónicos podem ter, teoricamente, uma boa oportunidade para, pela terceira vez, chegar à fase a eliminar. Para tal os japoneses apoiarão todas as suas esperanças nas principais estrelas da equipa, como são o caso de Shinji Kagawa ou Maya Yoshida.

Francisco_Ferreira
Francisco Ferreira Gomes

Para chegar ao seu quinto mundial, o Japão teve de atravessar uma sempre difícil fase de qualificação asiática. Perante muita concorrência, os nipónicos apenas garantiram o passaporte para a Rússia no penúltimo jogo, vencendo em casa a Austrália por 2-0.

Chegado à fase final o Japão mede forças com a Polónia, o Senegal, e reencontra a Colômbia, nação com quem mediu forças no último campeonato do mundo, em 2014. Aí, os samurais não tiveram qualquer hipótese, tendo sido derrotados por claros 4-1 diante de uma Colômbia que só parou nos quartos-de-final.

O seleccionador Akira Nishino foi um dos últimos a anunciar os 23 jogadores que levaria para a Rússia. Eis os eleitos:

Guarda-redes: Eiji Kawashima (Metz), Masaaki Higashiguchi (Gamba Osaka), Kosuke Nakamura (Kashiwa Reysol);

Defesas: Yuto Nagatomo (Galatasaray), Tomoaki Makino (Urawa Reds), Wataru Endo (Urawa Reds), Maya Yoshida (Southampton), Hiroki Sakai (Marseille), Gotoku Sakai (Hamburg), Gen Shoji (Kashima Antlers), Naomichi Ueda (Kashima Antlers);

Médios: Makoto Hasebe (Eintracht Frankfurt), Keisuke Honda (Pachuca), Takashi Inui (Eibar), Shinji Kagawa (Dortmund), Hotaru Yamaguchi (Cerezo Osaka), Genki Haraguchi (Fortuna Dusseldorf), Takashi Usami (Fortuna Dusseldorf), Gaku Shibasaki (Getafe), Ryota Oshima (Kawasaki Frontale);

Avançados: Shinji Okazaki (Leicester), Yuya Osako (Werder Bremen), Yoshinori Muto (Mainz).

Desta lista os destaques são Shinji Kagawa, médio do Borussia Dortmund, e que já passou pelo Manchester United, Shinji Okazaki, avançado que já se sagrou campeão inglês ao serviço do Leicester, e ainda Maya Yoshida, capitão de equipa e central do Southampton.

Uma mistura entre jogadores a jogar na Europa e no campeonato nacional parece ter sido a receita escolhida por Nishino para enfrentar um grupo que, apesar de não ter claros favoritos à vitória final, será pautado pelo equilíbrio e será decidido ao pormenor.

O arranque do Japão está marcado para dia 19, precisamente diante da Colômbia, em Saransk.

VAVEL Logo