Westbrook desabafa sobre críticas e apelido pejorativo: "Afeta minha família"
Foto: Divulgação / Los Angeles Lakers

Contratado no último período de free agency da National Basketball Association (NBA), Russell Westbrook chegou ao Los Angeles Lakers para ajudar a franquia a conquistar mais um título. O atleta, entretanto, é criticado há meses por setores da imprensa e da torcida da equipe. A situação chegou no limite, de acordo com ele mesmo, no começo do mês de março. No dia 7, em entrevista coletiva, ele desabafou sobre a situação.

No dia citado, Westbrook e o Lakers perderam para o San Antonio Spurs, por 117 a 110. Após ouvir mais vaias e ameaças, ele disparou. "Eu não quero trazer mais minhas crianças para os jogos porque eu não quero que eles ouçam as pessoas me xingando. Já chegou em um ponto que tudo isso está afetando a minha família", confesso.

Pouco depois, ele comentou que a situação o incomoda há tempos. E também afirmou qual situação mais o incomoda. "Isso não é algo legal. Muitas vezes, eu deixo passar. Mas chegou a hora de acabar com isso. Eu não posso mais permitir as pessoas me chamarem de ‘Westbrick’. Está manchando meu nome e meu legado para os meus filhos", disparou. 

O apelido pejorativo junta o sobrenome do atleta com "brick" - tijolo, em inglês, em referência aos erros do armador na equipe.

Nina Westbrook, esposa do atleta, também se manifestou sobre o ocorrido em redes sociais:

(Traduções dos tweets: "Quando estou sendo assediada diariamente por causa de jogos de basquete, e estou tendo obscenidades e desejos de morte para mim e minha família enviados para mim porque você está expressando sua “verdade”, é difícil para mim concordar com isso

No que diz respeito ao meu marido, ele é sua própria pessoa. Não preciso defendê-lo. Eu o amo e o apoio através de todo o ódio e negatividade injustificados que ele recebe. Eu falo e compartilho minha experiência e conhecimento para aqueles que não têm voz

Minha esperança é que os jogadores incríveis e talentosos que vêm depois dele não precisem ser submetidos a esse tipo de vergonha, xingamentos e escrutínio público por jogar o jogo que amam")

Incansável

Mesmo com todas as críticas, o armador angelino não deixou de falar que não irá abandonar a equipe. "Minhas expectativas são as mesmas. Não sou de desistir. Não está nos meus genes. Eu não desisto, independente do que esteja acontecendo. Eu vou lutar até o fim e, se não funcionar, tudo bem. Eu posso viver com os resultados. Mas eu nunca vou desistir por causa de algumas pequenas dificuldades que estão acontecendo neste ano", finalizou o atleta.

Na média, Westbrook tem, ao todo, 17.9 pontos, 7.4 rebotes e 7 assistência por jogo. São os piores números do atleta desde a temporada 2009-10, quando estava no Oklahoma City Thunder.

VAVEL Logo