Liga Nacional de Basquete endossa FIBA, mas se diz contra punição dos clubes

LNB afirma que ação da Federação traz esperança; entretanto, demonstra insatisfação com suspensão afetando os times brasileiros

Liga Nacional de Basquete endossa FIBA, mas se diz contra punição dos clubes
(Foto: Divulgação/Liga Nacional de Basquete)

Após diversos posicionamentos no mundo do basquetebol nacional pela suspensão da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) feita pela Federação Internacional de Basquete (FIBA), a Liga Nacional de Basquete (LNB) comentou sobre a situação. Em nota oficial, a Liga afirmou sua posição favorável à decisão da FIBA, mas reafirmou que brigará pelos direitos dos clubes de disputarem a Liga das Américas 2017.

Posicionamento da Liga Nacional de Basquete em relação à suspensão da CBB anunciada pela FIBA

"A Liga Nacional de Basquete (LNB) vem através desta manifestar sua posição em relação à decisão da Federação Internacional de Basquete (FIBA) em suspender a Confederação Brasileira de Basketball (CBB).

A LNB reitera o apoio que sempre prestou à FIBA e entende que tal ato é compreensível na medida em que se busque o caminho para a retomada do crescimento do basquetebol no Brasil. Esta ação, por mais dura que possa parecer, deve trazer consigo a esperança, o entendimento e a soma de esforços para que solucionemos os graves problemas que afligem a nossa Confederação.

Apesar de não fazermos parte dos problemas verificados pela FIBA, queremos e nos colocamos à disposição para fazer parte da solução, a qual certamente não passa pela punição aos clubes brasileiros. Por isso é importante registrarmos nossa insatisfação no impedimento de que nossas equipes, Clube de Regatas Flamengo e Bauru Basket, disputem a próxima edição da Liga das Américas, direito adquirido no mérito esportivo e que para tal competição já exigiu esforços específicos dessas equipes em todo o seu planejamento. Essa notícia surpreendeu à LNB já que há duas semanas o Sr. José Luiz Saez, dirigente da FIBA, se reuniu com a presidência da LNB, em São Paulo, e em nenhum momento mencionou que haveria quaisquer punições aos clubes filiados à Liga, uma vez que a entidade sempre contribuiu com a mesma e tem feito um papel incansável para o desenvolvimento do basquetebol brasileiro. Trabalho, inclusive, muitas vezes reconhecido pela própria FIBA. Uma medida como essa serve, apenas, para agravar a atual situação.

O NBB, como principal produto da LNB, tem se tornado a cada ano mais forte, atraindo novos fãs, novas equipes e patrocinadores. Desta forma, a LNB tem ciência de seu papel neste cenário e de maneira proativa estará, como sempre esteve, pronta para ajudar sob a liderança da FIBA e não medirá esforços para buscar junto às entidades que organizam o esporte no Brasil como Ministério do Esporte e Comitê Olímpico Brasileiro, uma solução rápida para que a modalidade no país continue sendo desenvolvida da melhor forma possível. A esperança e o otimismo existentes desde a criação da LNB, devem agora ser a grande ferramenta para a solução definitiva desta que é a segunda modalidade mais popular do mundo e que certamente voltará a ser no Brasil."