VAVEL entrevista: zagueiro Pablo Veloso fala sobre trajetória e revela ansiedade pelo retorno dos jogos em Portugal
Foto: Divulgação/Académica de Coimbra

Em entrevista concedida à VAVEL Brasil, o jovem Pablo Veloso, 19 anos, atualmente na Académica de Coimbra, de Portugal, contou um pouco sobre como iniciou sua trajetória no futebol e a alegria ao se tornar representante de um dos maiores clubes do Nordeste, além do sentimento de realização ao vestir a camisa do Sport

"Comecei no Sport, era um clube que quando fui chamado por morar em Caruaru foi um choque muito grande pra mim e minha família, pois sai de clubes que só jogava em escolinha para representar um dos maiores clubes do nordeste. Foi muito bom, o clube nos dava uma estrutura dentro das condições de referência para aquela região e fui realizado por ter jogado 4 anos com a camisa daquele clube".

O defensor atuou pelo Bragantino no ano de 2018, ou seja, antes da empresa multinacional austríaca de bebidas, Red Bull, fechar parceria com o clube e revelou a confiança no projeto deles, além de acreditar que o time pode se consolidar na primeira divisão do Brasileirão.

Lembrando que o projeto clube-empresa para 2020 é audacioso com alterações significativas, como mudança do nome para Red Bull Bragantino, um novo escudo, além de um uniforme na cor vermelha. Foram injetados cerca de R$ 200 milhões a fim de impactar os adversários da Série A. 

"Acredito sim porque é um clube de estrutura muito boa  , além de ser um projeto grandioso desde quando jogava lá , acredito que agora com a compra do bragantino tem tudo pra ser uma das melhores instituições do futebol brasileiro".

No entanto, nem tudo são flores na história do jogador. Pablo teve um período bem delicado, onde passou por um cirurgia e depois se submeteu a sessões de fisioterapia para se restabelecer fisicamente. E surpreendentemente, o zagueiro recebeu o contato do técnico da Académica, surgindo assim a oportunidade de atuar no exterior.

"Surgiu através do contato do treinador da acadêmica, o Matheus, no qual me ligou e eu estava voltando de uma situação delicada de cirurgia, ele acreditou no meu potencial e conversamos durante algum tempo o que acabou na minha vinda pra cá".

Muito se fala sobre as semelhanças culturais entre Brasil e Portugal, mas sempre bate aquela curiosidade sobre os pontos semelhantes e os diferentes do futebol que é praticado aqui em relação ao português.

"Entre os pontos mais diferentes aqui da Europa pro Brasil é a questão tática, no Brasil sempre estamos acostumados a ver com bola os atletas, aqui somos ensinados a jogar sem bola muitas das vezes, em questões de transições e pressão, após perca da posse e já no Brasil geralmente não se tem esses comportamentos , porém sem dúvida a qualidade do jogador brasileiro se mostra tanto no nosso país como aqui fora".

Outra dúvida, que está no imaginário dos brasileiros, diz respeito ao comportamento dos torcedores. Pablo afirmou que os portugueses são mais contidos na torcida, em outras palavras, continuamos no pódio dos mais apaixonados pela bola.

"O torcedor luso é um pouco diferente do brasileiro , acredito que aqui são um pouco mais contidos e no Brasil o torcedor é mais apaixonado e mais emotivo".

A pandemia do novo coronavírus mudou significativamente a rotina dos jogadores no mundo todo. A maioria do clubes criaram uma tabela de treinos voltados aos atletas com acompanhamento virtual das atividades por preparadores. E de acordo com o zagueiro, ele vem realizando tudo normalmente para quando a competição retornar, estar em sua melhor forma física.

"Estou treinando normalmente como se tivesse em final de temporada, tento treinar o máximo para conseguir corrigir alguns erros que sempre temos a acertar é to ansioso e me esforçando para voltar a jogar e poder dar meu melhor dentro do campo".

A Liga Portuguesa de Futebol anunciou semana passada, através de nota oficial que após cumprir todos os protocolos sanitários com vistorias nos estádios e testes em todos os jogadores, a bola volta à rolar no próximo dia 04 de junho. Questionado sobre como ele e os companheiros analisam esse retorno, o jogador prontamente respondeu e analisou de forma positiva.

"Nós atletas estamos vendo de forma positiva. Estamos em lockdown há um tempo já, mas Portugal foi um dos países que fizeram isso mais rápidos e com mais eficiência para controlar o vírus , o país está abrindo aos poucos e todos os jogos devem ser de portões fechados mas , estamos contentes que já já possamos estar dentro do campo e ver os jogos do final da última temporada".

Vale citar que Portugal, no momento regista 29.209 casos de pessoas infectadas com a doença e 1.231 óbitos, além de mais 1.794 doentes recuperados. Essas informações são do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde divulgado esta segunda-feira (18).

VAVEL Logo