Sob polêmica do VAR, Palmeiras vence e mantém Vasco na má sequência
Foto: Divulgação/SEP

O Vasco chegou a sua quarta partida consecutiva sem vitória no Campeonato Brasileiro. A equipe de Vanderlei Luxemburgo perdeu mais uma vez em casa, por 2 a 1, para o Palmeiras, pela 31º rodada, nesta quarta-feira. Já os visitantes, com o triunfo, diminuíram momentaneamente a diferença para o líder Flamengo. Por enquanto distância caiu para apenas cinco pontos. O gol da vitória foi marcado pelo atacante Luiz Adriano, aos 31 minutos do segundo tempo.

O placar foi aberto por Lucas Lima, nos momentos iniciais da disputa. Pouco tempo depois, Mayke fez contra ao tentar cortar cruzamento de Rossi e deixou tudo igual. O jogo foi marcado por uma atuação bastante questionável do árbitro Rafael Traci, que distribuiu nove cartões amarelos e um vermelho – para Leandro Castán – durante o embate. Com a derrota, o clube carioca cai para a 12º colocação, com os mesmos 39 pontos. O Cruzmaltino volta a campo no próximo domingo (10), as 19h, contra o CSA, em Maceió.

Equilíbrio na bola e clima de tensão 

A etapa inicial foi bastante movimentada. Logo aos 11’ minutos de bola rolando, o Palmeiras abriu o placar em um contra-ataque letal. Após os donos da casa assustarem a meta de Fernando Prass, a equipe saiu jogando em velocidade e Matheus Fernandes deixou Lucas Lima de cara para o gol. O meio campo se infiltrou por dentro da zaga vascaína, e de dentro da área, precisou de duas oportunidades para concluir a jogada.  Foi o primeiro feito do jogador na competição.

Mas a alegria palmeirense durou pouco. Com 18’, Myke tentou cortar o cruzamento rasteiro  de Rossi e marcou contra para igualar o resultado no Rio de Janeiro. Na sequência da infelicidade do lateral alviverde, Zé Rafael fez Fernando Miguel  trabalhar após bom chute de fora da área. A partida aumentou muito em intensidade depois do gol dos visitantes.

O encontro seguiu tenso, com muitas faltas e oportunidades criadas paras as equipes.  Oswaldo Henríquez  e Rossi levaram cartão amarelo por reclamação após o árbitro Rafael Traci sinalizar uma falta de Danilo Barcelos em Lucas Lima. Pouco tempo depois, Bruno Cesar arriscou. O camisa 10 arrancou, invadiu a área e chutou com perigo, mas jogou pra fora. Na jogada seguinte, foi a vez de Deyverson levar perigo. O atacante recebeu na entrada da área e bateu de perna esquerda para firme defesa do arqueiro cruzmaltino.

Aos 34’, Guarín perdeu a melhor chance do time para virar o placar. O colombiano aproveitou a desatenção da zaga adversária, recuperou a bola e saiu cara a cara com o goleiro, mas chutou em cima de Fernando Prass. No contra-ataque, quase outro gol contra, dessa vez dos anfitriões. Pela direita, Deyverson  cruzou entre os defensores vascaínos e Yago Pikachu tentou o recuo de cabeça para Fernando, mas pegou o arqueiro saindo para cortar o lance. Por sorte, ele, no reflexo, impediu que artilheiro da equipe marcasse contra o próprio patrimônio.

Domínio palmeirense em São Januário 

Na volta do intervalo, o Árbitro de Vídeo entrou em ação para corrigir um cartão amarelo dado de maneira equivocada para Thiago Santos. A falta que originou a punição foi feita por Zé Rafael sobre Guarín. Com a bola rolando, a primeira chance de alterar a contagem foi de Pikachu, que arriscou de fora da área mas parou em bela intervenção de Prass. Entretanto, o time parou por aí, e assistiu o Palmeiras dominar as operações ofensivas do restante do embate.

Luiz Adriano – que entrou na etapa final -, desperdiçou duas grandes oportunidades em sequência antes de marcar. Aos 21’, Dudu, que também entrou no decorrer da disputa, cruzou para o centroavante, que debaixo da trave, cabeceou muito mal e não levou perigo.  No lance posterior, Zé Rafael recebeu na esquerda, carregou pro meio e bateu. A bola resvalou na marcação e acertou a trave. No rebote, Luiz antecipou a zaga, mas o toque não foi certeiro e saiu pela linha de fundo.

A insistência palmeirense deu certo. Muito superior na segunda metade do jogo, os visitantes desempataram o placar com Luiz Adriano, aos 31’. O atacante que já havia desperdiçado duas chances, dividiu com Danilo Barcelos, carregou e tocou na saída do goleiro para marcar o gol. Rafael Traci ainda demorou para validar o feito para escutar o VAR sobre uma possível falta do camisa 10 no lance.

O clima de tensão em São Januário refletia no comportamento dos jogadores em  campo.  Na parte final do confronto, a arbitragem perdeu completamente o controle dos atletas. Aos 39’, o encontro foi parado após dividida entre Thiago Santos e Henrique dentro da área do time paulista. Depois de muita reclamação, Leandro Castán recebeu dois cartões amarelos em seguida e foi expulso. Logo após a confusão envolvendo a retirada do zagueiro do gramado, o árbitro foi chamado pelo VAR para rever o lance entre os atletas, mas não alterou sua decisão inicial. O sentimento de apreensão tomou conta de São Januário.

Tendo a vantagem numérica em mãos, não foi complicado para o Palmeiras administrar o resultado  e sair com a vitória. O juiz ainda adicionou oito minutos de acréscimos, o que fez com que os visitantes tivessem tempo para criar novas jogadas de perigo, mas não conseguiram aproveitar e o placar se manteve igual.  

 

VAVEL Logo