Benfica empata com Fenerbahçe fora de casa e avança aos playoffs da Champions League
Foto: Divulgação/Benfica

Benfica empata com Fenerbahçe fora de casa e avança aos playoffs da Champions League

Equipe portuguesa havia vencido primeiro jogo por 1 a 0 e foi superior na partida de volta, batendo turcos no placar agregado; na próxima fase, Encarnados enfrentam PAOK, da Grécia

mathenrique
Matheus Henrique
FenerbahçeDemirel; Isla (Özbayraklı), Neudstader, Skrtel, Ali Kaldirim; Elmas, Topal (Alici); Giuliano, Ayew, Valbuena (Soldado); Potuk. Técnico: Philip Cocu
BenficaVlachodimos; André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Grimaldo; Fejsa, Gedson Fernandes, Pizzi; Salvio (Semedo), Castillo (Ferreyra), Cervi. Técnico: Rui Vitória
PlacarGedson Fernandes (26/1°T); Potuk (46/1°T)
ÁRBITROSlavko Vinčić. Amarelados: Elmas, Özbayraklı(Fenerbahçe); Vlachodimos, Rúben Dias, Salvio, Pizzi (Benfica)
INCIDENCIASPartida válida pela terceira pré-eliminatória da Champions League, disputada no Estádio Şükrü Saraçoğlu, em Istambul, na Turquia.

Pela terceira pré-eliminatória da Champions League, o Benfica empatou em 1 a 1 com o Fenerbahçe, no Estádio Şükrü Saraçoğlu, em Istambul, e garantiu a classificação aos playoffs da competição. Gedson Fernandes abriu o placar para os visitantes, enquanto Potuk igualou. Na próxima fase, os portugueses enfrentam o PAOK, da Grécia.

No duelo, o Benfica contava com a vantagem do empate para sair com a classificação, conquistada no primeiro jogo, em Portugal, vencido por 1 a 0. Em casa, o Fenerbahçe contou com o apoio de sua eufórica torcida para reverter a desvantagem no placar. Os fãs incentivaram os jogadores com cânticos e a organização de um mosaico, além de vaias contra a equipe adversária durante os 90 minutos. A resposta em campo se deu por uma pressão inicial turca, que chegou perto de dar resultado logo aos 7 minutos, quando Andre Ayew desviou escanteio cobrado na pequena área e a bola passou rente à trave, causando susto aos portugueses.

Por sua vez, o Benfica investiu em agir com calma e ganhar território intermediando saídas com a posse de bola como prioridade e também em rápidas jogadas de contra-ataque, que gerou efeito em advertências à equipe adversária, quando paradas com faltas. Mesmo aliviada a pressão, a equipe da casa permaneceu superior no jogo, chegando com perigo em duas ocasiões, com Isla e Potuk, sem sucesso. Após três oportunidades turcas, a máxima lei do futebol - "quem não faz, leva" - entrou em cena, em ação portuguesa.

Aos 26 minutos, o treinador Rui Vitória viu suas apostas ampliarem a vantagem do Benfica no duelo. Reserva na ida, Castillo exerceu bem o papel de pivô e passou para Gedson Fernandes em infiltração na área, que teve apenas o trabalho de tirar das mãos de Demirel, em saída peculiar do goleiro. Antes da temporada, o jovem passaria por um período de experiência com a seleção sub-19, mas foi impedido pelo treinador para participar da pré-temporada com o elenco principal.

Após o gol, o Benfica passou a neutralizar as investidas trabalhadas do Fenerbahçe no terço final do campo. Diante das dificuldades, o volante Elmas investiu em um belo chute de fora da área, aos 31 minutos, forçando Vlachodimos a fazer difícil defesa.

Na parte final da primeira etapa, os elementos predominantes mudaram de lado. O Benfica passou a controlar o jogo e levou perigo ao gol adversário, enquanto o Fenerbahçe não conseguia encaixar seus ataques. Os turcos chegaram perto de ver Ferreyra, que entrou no lugar de Castillo, ampliar o placar aos 42 minutos, ao driblar o goleiro e chutar na rede pelo lado de fora.

Quatro minutos depois, a tão famosa frase do futebol inverteu de lado. Em uma das últimas tentativas da primeira etapa, Valbuena cruzou para a área e encontrou Potuk, que superou Rúben Dias no alto e cabeceou para o chão, como manda o regulamento, tirando as chances de Vlachodimos fazer a defesa, empatando o placar. O gol igualou o marcador do segundo jogo, mas não no agregado, e os turcos foram para o vestiário necessitando ainda de dois gols na etapa final para conquistar a classificação.

Quando se esperava uma nova pressão do Fenerbahçe no início da etapa, a equipe turca retornou de forma apática para o jogo, e o Benfica voltou a ter comando. Sem protagonismo algum na trinca de armadores formada por Giuliano, Valbuena e André Ayew, o treinador Cocu optou por uma mudança técnica e tática, aos 15 minutos: saiu Valbuena para entrada do atacante Soldado, e o volante Topal deu lugar ao meia Alici, avançando a equipe. A troca deu solução, sendo seguida imediatamente da primeira finalização portuguesa no segundo tempo, dos pés de Alici, aos 18 minutos.

Mesmo com a chegada em perigo, a postura dos mandantes não evoluiu e os visitantes permaneceram superiores até a parte final do jogo. Com o empate em 1 a 1, o Benfica eliminou o Fenerbahçe e garantiu sua passagem aos playoffs da Champions League. Em caso de chegada à fase de grupos, os portugueses garantem a quantia de 40 milhões de euros, por bônus da UEFA dado aos dez clubes de melhor desempenho na última década na Europa.

VAVEL Logo