Erik ten Hag: o discípulo de Guardiola
(Foto: Reprodução/DFB)

Erik ten Hag: o discípulo de Guardiola

Além da aparência os dois treinadores tem muito em comum; a relação especial entre o técnico do Ajax e o fenômeno Pep Guardiola

marinaaleite
Marina Leite

Nesta temporada, Erik Ten Hag se destaca com o Ajax na Liga dos Campeões e isso também não passou despercebido na Inglaterra. Pep Guardiola, que trabalhou no passado no Bayern de Munique junto ao treinador da equipe de Amsterdã, disse que está de olho no ex-colega e que está feliz com os últimos resultados ten Hag.

Manchester City e Ajax corriam o risco de se enfrentarem, caso o City tivesse vencido o Tottenham nas partidas da quartas de final. No entanto, quem enfrentará o Ajax é a equipe de Mauricio Pochettino.

"Eu teria gostado de jogar contra ele, mas eu vou estar sentado na frente da televisão mais tarde", declarou Guardiola em uma coletiva de imprensa.

Guardiola e ten Hag se conheceram em Munique: entre 2013 e 2015, Ten Hag foi o treinador da segunda equipe do Bayern enquanto Guardiola era o treinador do time principal.

"Tive a sorte de conhecer Erik ten Hag no Bayern de Munique. Conversamos regularmente e estou feliz em ver como ele está indo bem com um clube histórico como o Ajax", contou o espanhol.

Gosto pela base

O atual treinador do City é conhecido por gostar de trabalhar com jovens e por isso ten Hag se identifica com seu colega espanhol. Por mais estudioso que seja, Hag absorveu tudo o que discutiam juntos, guardou tudo o que viu em sua cabeça ou anotou em um caderno.

"Toda vez que tenho permissão para trabalhar com ele, fico ansioso por isso. Ele inspira todas as vezes", disse o holandês após seu primeiro ano trabalhando com Pep.  

Guardiola criou uma filosofia de futebol (baseada na de Johan Cruijff) e ten Hag está tentando espalhar isso de sua forma. O atual treinador do Ajax também disse: "Você nunca deve copiar um treinador".

"Fui moldado pelo estilo holandês, mas Munique aguçou minha visão. A experiência lá, sempre querendo vencer e o futebol dominante de Guardiola, isso realmente me atrai. A parte mental e o team building são incrivelmente importantes. Não é apenas sobre os primeiros 11, mas sobre o camarim total. Envolvendo todos. Eu posso definitivamente ver isso agora. Fora do campo, mas também no campo. Eu vejo como o banco reage quando pontuamos ", finalizou o técnico holandês em uma entrevista concedida a NOS, portal de notícias da Holanda. 

VAVEL Logo