Paraná e Atlético-PR não saem do zero e aumentam sequência ruim no Brasileiro

Tricolor criou mais chances, porém não conseguiu primeira vitória no Brasileiro; CAP chega ao sexto jogo seguido sem vencer na Série A

Paraná e Atlético-PR não saem do zero e aumentam sequência ruim no Brasileiro
Foto: Miguel Locatelli/Atlético-PR
Paraná
0 0
Atlético-PR
Paraná: Thiago Rodrigues; Júnior, Néris, Cleber Reis, Mansur; Jhonny Lucas, Leandro Vilela (Carlos Eduardo, min. 20/2ºt), Torito González (Léo Itaperuna, min. 35/2ºt); Caio Henrique; Carlos, Silvinho (Guilherme Biteco, min. 42/2ºt). Técnico: Rogério Micale
Atlético-PR: Santos; Wanderson, Thiago Heleno, Zé Ivaldo; Rossetto, Lucho González (Bruno Guimarães, min. 46/2ºt), Camacho, Thiago Carleto; Nikão, Pablo, Guilherme (Raphael Veiga, , min. 47/2ºt). Técnico: Fernando Diniz
ÁRBITRO: Vinicius Gonçalves Dias Araujo, auxiliado por Emerson Augusto de Carvalho e Alex Ang Ribeiro, todos de SP. Amarelos: Leandro Vilela, Júnior, Néris (PAR); Guilherme, Rossetto (CAP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro 2018, na Vila Capanema, em Curitiba, PR

Em clássico tenso e com times pressionados, Paraná e Atlético-PR acabaram ficando no 0 a 0 e continuam em situação complicada no Campeonato Brasileiro. O Tricolor chegou a criar mais chances e, mesmo com sua torcida sendo a única na Vila Capanema, o time continuou sem vencer na Série A em sete rodadas. Somando todos os torneios, os paranistas não vencem desde março. O Furacão enfrenta jejum de oito jogos na temporada, seis no Nacional.

O Paraná, mesmo com pouca posse de bola, foi o time mais perigoso da primeira etapa. Mesmo mantendo a posse em 69% do tempo, o Atlético-PR foi pouco incisivo e só conseguiu uma finalização na primeira etapa. Enquanto isso, o Tricolor finalizou sete vezes, teve seis escanteios, contra um do CAP, e esteve mais perto do gol.

A primeira oportunidade foi dos visitantes, aos quatro. Camacho arriscou chute rasteiro de longe, perto da trave. Depois de um início dominante do Furacão, o Paraná conseguiu bloquear as linhas de passe do Atlético e arrumar espaços para assustar. Aos 22, Mansur recebeu lançamento na segunda trave e apareceu com espaço para desviar de cabeça, para defesa segura de Santos.

As melhores chances do Paraná foram em bolas aéreas. Aos 29, Carlos cruzou da direita, Santos soltou e Torito ficou livre com o rebote na entrada da área, mas pegou mal e mandou por cima. Aos 33, Caio Henrique cobrou o escanteio e Leandro Vilela cabeceou com perigo, porém a bola acabou batendo na rede pelo lado de fora.

Sem criatividade para chegar perto do gol do Paraná, o Atlético foi um time inofensivo em grande parte do primeiro tempo, enquanto os mandantes rondaram a área e assustaram em cruzamentos na reta final da etapa inicial, mas o jogo foi para o intervalo no 0 a 0.

A segunda etapa manteve o mesmo panorama da primeira. Mesmo com muito mais posse de bola - 69% no total -, o Atlético só conseguiu uma finalização no alvo durante todo o jogo, seis no total. O Paraná continuou sendo mais incisivo e pareceu sempre o time mais perto da vitória na Vila.

Aos 16, Mansur chegou até a linha de fundo e cruzou para trás, onde Caio Henrique apareceu livre, mas finalizou para fora. O Atlético-PR, mesmo com dificuldades para criar, teve uma grande chance aos 20. Nikão recebeu lançamento de Lucho de frente para o goleiro e finalizou de primeira, porém Thiago Rodrigues salvou com os pés.

Apesar desta grande chance, o Paraná permaneceu superior no jogo. Rogério Micale mexeu de forma ofensiva no time, com as entradas de Carlos Eduardo e Léo Itaperuna nas vagas de Vilela e González, enquanto Fernando Diniz não alterou a equipe até os acréscimos, e os mandantes continuaram mais perigosos.

A polêmica do clássico aconteceu aos 38. Léo Itaperuna foi empurrado por Zé Ivaldo dentro da área e o Paraná pediu pênalti, ignorado pela arbitragem. Já na reta final, Caio Henrique limpou a marcação na entrada da área e finalizou colocado, mas Wanderson cortou a direção da bola e garantiu o 0 a 0.

Com três pontos, o Paraná permanece na última colocação, quatro atrás do Atlético-PR, que é o primeiro time fora da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, o Tricolor entra em campo na quarta-feira (30), contra o Vasco em São Januário, às 19h30. Já o Furacão joga na quinta-feira (31), às 21h, diante do Santos, na Arena da Baixada.