Carpegiani critica time após derrota na estreia pelo Vitória: "Falta de garra, de ambição"

Treinador criticou equipe após derrota por 3 a 0 contra o Palmeiras no Barradão

Carpegiani critica time após derrota na estreia pelo Vitória: "Falta de garra, de ambição"
Foto: Mauricia da Matta/EC Vitória

Paulo César Carpegiani criticou abertamente a postura da equipe do Vitória durante a derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, no Barradão. Fazendo sua estreia no comando técnico da equipe baiana, Carpegiani reconheceu erros táticos, mas deu mais importância à postura ruim da equipe em campo.

"Acredito que todo mundo viu. Realmente deixamos muito a desejar, sob todos os aspectos. Não temos muito o que dizer, todo mundo viu o que ocorreu. Não podemos desmerecer uma equipe que é outro patamar, outro tipo de investimento, que é candidata a meu ver (ao título). Acredito que o Palmeiras, se fixar, passa a ser o grande candidato. Já uma diferença, mas a diferença foi muito grande. Encontramos uma equipe apática, sem a compostura que tínhamos que ter. Encontramos dificuldades normais de três dias de treinamento", disse.

"Esperava de minha equipe muito mais, mas sou obrigado a reconhecer que a falta de tempo também contribuiu, mas principalmente a falta de ambição, falta de garra, de disposição. Temos que agregar tudo isso. Temos que tirar esse time, ter algo mais. Tem muita gente no departamento médico, e o pior é que não vão voltar. Vai demorar um pouco de tempo. Estamos encontrando dificuldade, mas vamos tratar de superar. Vitória é muito grande. Também estou preocupado", completou.

Sobre a tática da equipe, o treinador revelou que os jogadores não fizeram o que foi combinado no treino e que serão necessárias correções no posicionamento para formar uma equipe mais compacta e competitiva:

"Não gosto de falar muito em nomes, individualmente. Mas começou o jogo e não era aquilo que treinei. Por isso que libero o treinamento para vocês. Desde o princípio já estava frouxo no meio. Segundo tempo melhorou um pouco. Um paradoxo. Por incrível que pareça, tivemos 58% de posse de bola, mas não criamos. O que me preocupa é essa inconstância, essa falta de entrega, de maturidade, que me passou essa equipe. Isso que me preocupa muito mais do que a parte como time, como equipe", declarou.

"Quando não tem uma equipe compacta, estoura tudo em cima da zaga. Se analisar os gols, mérito do adversário, mas tiveram um, dois erros nossos de posicionamento. Mas eles tiveram outras oportunidades. É uma preocupação nossa. Vamos ver o que a gente tem. Amanhã vou ter o coletivo com a base, vamos ver. Fazer uma equipe um pouco mais competitiva para que a gente possa enfrentar o outro adversário com mais ou menos igualdade de condições", afirmou.

Carpegiani ressaltou ainda a importância do fator psicológico para ajudar a mudar o momento difícil vivida pelos rubro-negros baianos.

"Futebol é uma psicologia total. Você tem curvas que vivem de bons momentos, algumas descidas, e tem que contornar isso. É uma psicologia total. Depende do momento. O momento é difícil e isso mina a confiança. Mas temos que superar isso. Não existe outra situação. Temos que enfrentar isso e encontrar soluções. Oxalá tenha o retorno de um ou outro jogador e que a gente possa formar uma equipe mais competitiva, mais aguerrida, sem essa dificuldade. Não tenho ainda a colocação de como essa equipe reage dentro de casa, se fora encontra as mesmas dificuldades. Vamos tratar de recompor as forçar. Não há muito o que dizer", finalizou.

O Vitória é o 17º colocado na Série A, com 19 pontos. O Leão da Barra enfrenta o Flamengo, na próxima quinta-feira, no Maracanã, pela 20ª rodada do Brasileirão.