Com um a menos, América-MG vence clássico sobre Atlético-MG pelo Brasileirão
Foto: Fernando Moreno/CBF/AGIF

Neste sábado (7), o Atlético perdeu o clássico mineiro para o América por 2 a 1, como mandante, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Coelho foram marcados por Iago Maidana, de pênalti, e por Raúl Cáceres. Nacho Fernández fez o gol do Galo.

Jogo eletrizante e pegado

Primeiro tempo bastante movimentado, com muita pressão por parte do Atlético para cima do América. Apesar da grande pressão alvinegra no ataque, o Coelho fazia marcação alta, com os blocos avançados na intenção de conseguir um contra-ataque. A estratégia se fez extremamente eficiente, quando Allan tentava sair com os pés após tiro de meta curto pela entrada da área e perdeu a bola. Juninho tomou à frente, entrou na área e foi derrubado. A arbitragem sem titubear marcou a penalidade a favor da equipe americana, com razão. Iago Maidana foi para a cobrança e abriu o placar para os visitantes, com apenas sete da primeira etapa.

Com o placar desfavorável, o Galo buscava trabalhar bem a posse de bola, procurando a referência de Nacho Fernández e Hulk, mas não conseguia as conexões. O Coelho se soltou mais, Matheusinho partindo para cima da defesa na jogada individual, Patric subindo mais vezes para o ataque, fazendo tabela. E nessa tabela, chegou com ótima chance de fazer o gol e Everson fez ótima defesa. Na sequência, ótima oportunidade para o alvinegro, Guga fez ótimo corte e cruzou para Ademir, mas não conseguiu a finalização e a bola ficou nas mãos de Jailson.

A pressão americana cresceu ainda mais e em ótimo cruzamento pela ponta direita, o atacante do Coelho soltou uma cabeceada de manual, no contrapé de Éverson, mas o goleiro fez outro milagre no Horto. Na sequência, em jogada coletiva do Galo, Allan recebeu na entrada da área e bateu para o gol, mas Jailson saltou para fazer a defesa e jogou para escanteio. O Atlético partiu para cima, tentando responder ao gol sofrido no início. Como forma de impedir, o América fazia muitas faltas e com isso, alguns de seus jogadores iam sendo amarelados e precisavam se controlar mais, para não acabar recebendo o segundo.

O jogo ficou lá e cá, bastante brigado, com inúmeras faltas, que só um clássico poderia proporcionar. O Coelho chegava com perigo, o Galo respondia na sequência e vice-versa, primeiro tempo bastante emocionante chegando no seu último terço. Diferente do clássico pela Libertadores, nesta primeira etapa o América manteve consistência, confiança e equilíbrio. Foi superior em alguns momentos, incomodou, assustou e abalou o psicológico do setor defensivo alvinegro. O Galo, que vinha dominando, passou a ter dificuldades, sofreu com as duras faltas e quando encaixava as jogadas, pecava nas finalizações. Apesar do bombardeio alvinegro e da persistência, o placar se manteve o mesmo e as equipes desceram para o vestiário com o Coelho na frente.

Muito brigado e intenso

A etapa final voltou eletrizante, como havia terminado a primeira. As equipes com vontade de jogo, partindo para cima e sem se esconder. A primeira chance dentro do primeiro terço foi a favor do clube alvinegro, quando Ademir recebeu na ponta direita e ganhou do marcador, entrou na área e na batida, saiu mascado. Na sequência, num belíssimo contra-ataque a chance de Hulk, mas desta vez a defesa estava ligada e conseguiu fazer o corte no momento certo.

Com o relógio batendo a metade da partida, o clube alvinegro mantinha a maior posse de bola, controlava o meio campo e ofereceu mais perigo no ataque, tendo até bola na trave, mas não conseguia concluir. No melhor momento do Galo, Hulk meteu uma bicicleta dentro da área, a bola bateu na trave e,no rebote, Nacho Fernández, livre de marcação, mandou para o fundo das redes. O bandeira assinalou impedimento e na checagem do VAR, a arbitragem confirmou o gol — que poderia ter sido mais rápida. Na sequência, num contra-ataque relâmpago, Hulk recebeu em profundidade, chamou o zagueiro para dançar e na finalização de cobertura, a bola passou na frente do gol e não entrou.

O gol de empate acendeu as duas equipes e colocou ainda mais fogo na partida. O Atlético, que já estava se lançando com frequência ao ataque, passou a sufocar a equipe americana em seu campo de defesa, que lutava para tentar manter a bola no campo de ataque e criar suas oportunidades. Com a estratégia de contra-ataque sendo a principal arma para a reta final da partida, o Coelho chegou ao gol que colocou a equipe na frente outra vez. Ramirez recebeu próximo da entrada da área e rolou para Raúl Cáceres, na ponta esquerda. O jogador livre de marcação, bateu de chapa tirando do goleiro e a bola foi morrer no fundo das redes. Num momento em que o Galo era melhor, o América fez um gol valioso e jogou a bomba para o adversário. 

Depois da expulsão de Felipe Azevedo, o Coelho se preocupou mais com a defesa do que com o ataque, até porque, estavam com o placar favorável. Em falha do meio-campo americano, a bola sobrou para Allan. O meia ligou Fábio Gomes, que girou na marcação, saiu cara a cara com Jailson e na finalização, melhor para o goleiro do Coelho. Pouco depois, novamente o Atlético chegou com perigo. Em bola rebatida na área, sobrou para Allan bater de fora, mas a bola saiu raspando a trave.

O América ainda teve a chance de fazer o terceiro gol, com Pedrinho, num ataque de três contra dois, mas Éverson foi melhor. No rebote, nova finalização, mas o defensor estava lá para fazer o corte. Apesar das dificuldades e do gol perdido, o Coelho venceu e quebrou um tabu de seis anos, sem vencer o rival.

Situação e próximos confrontos

Com a vitória, o Coelho subiu para a vice-liderança e jogou o Galo para a quarta posição. Ambas as equipes podem cair mais posições, dependendo dos resultados da rodada que se encerra somente na segunda-feira (9).

O Atlético-MG volta a campo na quarta-feira (11), contra o Red Bull Bragantino no interior de São Paulo, às 20h30, em partida antecipada da sétima rodada do Brasileirão. O América-MG volta a campo no domingo (15), contra o Coritiba em Curitiba, às 17h30, pela sexta rodada do Brasileirão.

VAVEL Logo